Afonso Silva venceu o 15º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves (Taça de Portugal de Juniores)

Afonso Silva (Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana) venceu o 15º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves, prova para a categoria de juniores, pontuável para a Taça de Portugal e para a Taça do Minho, que homenageou a velha glória do ciclismo português e vencedor da Volta a Portugal de 1965. A corrida consagrou Pedro Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola) como vencedor da Taça de Portugal de Juniores.

Organizada pela Associação de Ciclismo do Minho, tendo como patrocinador principal a Junta de Freguesia de Palmeira, a prova bracarense - que já foi ganha, entre outros, pelo Campeão do Mundo Rui Costa – contou com 136 corredores que alinharam à partida para efetuar um percurso de 110,4 quilómetros. À prova de homenagem ao palmeirense vencedor da Volta a Portugal de 1965, associaram-se, Peixoto Alves, Sameiro Araújo (vereadora do Desporto da Câmara Municipal de Braga), José António Peixoto (Presidente da Junta de Freguesia de Palmeira), Delmino Pereira (Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo), assim como vários autarcas, ex-autarcas e outras individualidades.

Pontuável para a Taça de Portugal e para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, o 15º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves teve início na EN 101 e final depois de uma seletiva subida que culminou junto à Igreja de Palmeira. A corrida foi bastante animada do primeiro ao último instante, em especial devido à existência de duas metas de montanha no Bom Jesus e de cinco metas volantes nas várias freguesias ao longo do trajeto.

Afonso Silva (Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana) foi o vencedor do 15º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves uma corrida que consagrou Pedro Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola) como vencedor da Taça de Portugal de Juniores.

O alentejano da equipa sportinguista foi claramente o mais forte nos 110 quilómetros disputados no concelho de Braga, com início e final na freguesia da Palmeira. Afonso Silva cortou a meta ao fim de 3h07m09s, tendo de esperar 1m06s pela chegada do segundo classificado, Pedro Teixeira (Maia). O terceiro classificado, a 1m08s, foi Hugo Garcez (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel).

Hugo Cunha (Tensai / Sambiental / Santa Marta) venceu a meta de montanha "Auto Sueco" e Afonso Silva (Sporting/Tavira/Formação Eng.Brito da Mana) a meta de montanha "Motel Horly", enquanto Wilson Esperança (Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense) ganhou duas metas volantes (Freguesia de Palmeira e União de Freguesias de Merelim São Pedro e Frossos), Francisco Pereira (Maia) a meta volante da União de Freguesias de Merelim São Paio, Panóias e Parada de Tibães, Pedro Pinto (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel) a meta volante da União de Freguesias de Santa Lucrécia de Algeriz e Navarra e Carlos Barreiros (Tensai / Sambiental / Santa Marta) a meta volante da Freguesia de Adaúfe.

Os 110 quilómetros do Circuito da Palmeira – Prémio Peixoto Alves permitiram, simultaneamente, homenagear o vencedor da Volta a Portugal de 1965 e encerrar com chave de ouro a edição de 2017 da Taça de Portugal de Juniores.

Foi um percurso exigente aquele que o pelotão júnior nacional encontrou e o resultado foi a confirmação de que a atual geração de ciclistas juniores prima pelo equilíbrio. Cada uma das cinco provas pontuáveis para a Taça de Portugal teve um vencedor diferente e a Taça foi conquistada por um ciclista que não venceu qualquer etapa, mas foi o mais regular.

Numa prova em que os ciclistas foram chegando ao fim a conta gotas, Pedro Lopes terminou na sexta posição, a 1m14s do vencedor. Foi o suficiente para sentenciar a Taça de Portugal. Concluiu o troféu de regularidade com 250 pontos, mais 39 do que Pedro Teixeira, que fechou a competição no segundo posto. O terceiro na geral final da Taça foi Hugo Garcez, com menos 43 pontos do que o vencedor.

A Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel conquistou a Taça de Portugal por equipas, com 97 pontos, mais 26 do que a RP-Boavista, segunda classificada, e mais 27 do que a Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact, terceira.

O 15º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves teve o patrocínio da Junta de Freguesia de Palmeira e o apoio das seguintes entidades: Federação Portuguesa de Ciclismo, Câmara Municipal de Braga, Freguesias de Adaúfe, Navarra e Santa Lucrécia de Algeriz, União de Freguesias de Merelim São Pedro e Frossos, União de Freguesias de Merelim São Paio, Panóias e Parada de Tibães, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Seissa, Controlsafe, AFAcycles e Ciclismo a fundo (revista oficial).

 

João Peixoto Alves - Vencedor da Volta a Portugal de 1965

João Peixoto Alves, natural de Palmeira (Braga), nasceu a 23 de Maio de 1941 e iniciou a sua atividade no ciclismo, como popular, no Futebol Clube do Porto.

Posteriormente representou o C. C. Aldoar e o Benfica, onde se tornou conhecido como um dos melhores ciclistas portugueses. A sua carreira como profissional iniciou-se em 1960 e terminou em 1966, quando se retirou, com 25 anos, deixando um lugar difícil de preencher no ciclismo e no Benfica.

Ao longo da carreira desportiva disputou 171 provas, tendo ganho 22. Conquistou os títulos de Campeão Nacional e Regional de Rampa, no último caso por quatro vezes.

Vencedor da Volta a Portugal de 1965, alcançou ainda dois segundos e um terceiro lugares na importante competição. Na prova “rainha” do ciclismo português ganhou ainda 9 etapas, foi portador da camisola amarela em 23 e ganhou o Prémio da Montanha e a Classificação por Pontos no ano de 1963.

Participou na Volta a França do Futuro em 1963 (7º na geral e 2º na Montanha) e em 1964, tendo ainda participado na Volta à Espanha (1962, 1963 e 1965), na Volta a S. Paulo (1962 e 1966), na Volta à Catalunha (1965) e no Campeonato do Mundo (1965 e 1966).
 

Fotos: http://www.acm.pt/index.php?cat=resultados&id=1243&subcat=fotos

Tags:

Sobre nós

Associação dedicada à promoção e divulgação do ciclismo.

Subscrever