Policiamento: Primeira prova de ciclismo comparticipada será no Minho

O 12º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves, a disputar no próximo domingo em Braga, será a primeira prova de ciclismo de estrada a beneficiar da comparticipação do Estado com os custos do policiamento. A Associação de Ciclismo do Minho (ACM), que organiza a atividade desportiva, liderou o movimento que exigia a eliminação da discriminação das modalidades praticadas na via pública no acesso aos apoios do Estado concedidos através de verbas dos jogos sociais.

O ciclismo nunca teve direito aos apoios do Estado porque a legislação apenas contemplava as modalidades praticadas em recintos desportivos, tendo sido publicado em outubro de 2012, na sequência das diligências da ACM, um novo regime de policiamento que passou a incluir as atividades realizadas na via pública.

Depois da publicação, no dia 14 de março de 2014, do despacho de definição dos critérios de repartição das verbas do policiamento, o Conselho Técnico para o Policiamento de Espetáculos Desportivos aprovou na passada quarta-feira a relação das atividades desportivas realizadas na via pública abrangidas pelos apoios, estando, entretanto, prevista para junho a entrada em funcionamento da plataforma informática de requisição de policiamento de espetáculos desportivos.
Deste modo, modalidades como o ciclismo passam finalmente a aceder às verbas provenientes dos jogos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para financiar o policiamento desportivo, em igualdade de circunstâncias com as modalidades praticadas em recintos desportivos.

“Foi uma batalha dura e difícil que a ACM conduziu e empreendeu em representação do ciclismo nacional, tendo valido a pena acreditar, lutar e persistir”, afirmou José Luís Ribeiro, presidente da ACM, fazendo questão de salientar que “foi com este Governo que o problema foi resolvido e não com qualquer outro que esteve anteriormente em funções, desde 1992, e que também poderia ter eliminado a desigualdade no acesso aos apoios do Estado”.

Para o dirigente minhoto, “finalmente foi feita justiça e eliminada a discriminação do ciclismo", destacando a “sensibilidade e o contributo para a resolução do problema do Ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, do anterior titular da pasta do desporto Alexandre Mestre e dos deputados Altino Bessa e Agostinho Lopes, entre muitos outros que se associaram e deram o seu contributo”.

“Depois de anos e anos a lutar contra a discriminação do ciclismo, a pagar os elevados custos do policiamento e a sermos desprezados pelo poder político, conseguimos finalmente que o ciclismo amador fosse incluído no regime de policiamento de espetáculos desportivos e de satisfação dos respetivos encargos”, afirmou José Luís Ribeiro defendendo que “ a resolução deste problema é um legado deste Governo mas também um legado da ACM”.

“Determinou o destino”, acentua o dirigente minhoto, “que o Circuito de Palmeira fosse a primeira prova a nível nacional a beneficiar da comparticipação para o policiamento, uma coincidência interessante porque Palmeira foi palco dos maiores protestos que desenvolvemos contra a discriminação do ciclismo no acesso aos apoios do Estado”. “O Circuito de Palmeira assinalará um virar de página, um marco que se tornará histórico no ciclismo nacional. Acreditamos que o resultado do esforço empreendido pela ACM será uma importante alavanca para o desenvolvimento do ciclismo, competindo agora à modalidade corresponder positivamente e promover ativamente esse mesmo desenvolvimento”, referiu José Luís Ribeiro.

O 12º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves, competição que já foi ganha, entre outros, pelo Campeão do Mundo Rui Costa, disputa-se no próximo domingo, estando o início marcado para as 10 horas (Palmeira - Braga EN 101) e o final previsto para as 11h30 (Rua de Miracávado, junto à Igreja de Palmeira). Pontuável para o Troféu Revelações de Ciclismo de Estrada - Herdmar (2014), a prova destina-se à categoria de juniores e homenageará Peixoto Alves, velha glória do ciclismo português e vencedor da Volta a Portugal de 1965.

Está em perspetiva não apenas um excelente espetáculo desportivo, com momentos de grande competitividade, mas também uma forte presença de público, como tem sido apanágio das anteriores edições do Circuito de Palmeira.
A prova será disputada ao longo de 58 quilómetros no seguinte circuito: Palmeira, EN 101, rotunda em frente p/Braga, rotunda Confeiteira, à esq. p/Adaúfe, Adaúfe, Santa Lucrécia, rotunda à esq. p/ Navarra, Navarra, Escola de Navarra, Adaúfe, Palmeira, rotunda à esq. p/Braga EN 101, Palmeira (10h23 - 1ª passagem pela zona de partida), rotunda em frente p/Braga, rotunda Confeiteira, à drt p/ Dume, Dume (igreja), rotunda em frente p/Real, Real, rotunda à drt. p/ Prado EN 201, Merelim S. Pedro, Merelim S. Paio, à direita p/Palmeira, Rua Marginal, rotunda à drt. p/ Braga EN 101, Palmeira (10h45 - 2ª Passagem pela zona de partida).

Circuito a percorrer 2 vezes. Na última volta, em Palmeira: vira à esquerda. O Circuito será percorrido duas vezes e na última volta, em Palmeira, o pelotão seguirá para a Rua Mira Cávado em direção à meta final instalada junto à Igreja de Palmeira.

O 12º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves tem o patrocínio da Junta de Freguesia de Palmeira e o apoio das seguintes entidades: Federação Portuguesa de Ciclismo, Câmara Municipal de Braga, Herdmar, Cision, Arrecadações da Quintã, POPP Design, Ciclismo a fundo (revista oficial), acmTV (www.acmtv.pt), Roda na Frente, acmTV (www.acmtv.pt) e Plano Nacional de Ética no Desporto.

No ano passado, Rui Carvalho (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) venceu o 11º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves, quarta etapa da Taça de Portugal de Juniores, concluindo isolado os 86,2 quilómetros da prova. Paulo Silva (Liberty Seguros/Feira/KTM) foi o segundo classificado, a 16 segundos, e Nelson Silva (CC Bairrada) fechou o pódio, a 21 segundos do vencedor. As metas volantes do 11º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves - Taça de Portugal de Juniores foram ganhas por Tiago Machado (Alcobaça CC / Crédito Agrícola), João Fernandes (CC Barcelos/AFF Electrodomésticos/Orbea), Rui Carvalho (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel), Ivo Silva (Liberty Seguros / Feira / KTM) e Paulo Silva Liberty Seguros / Feira / KTM).

O Circuito de Palmeira homenageará Peixoto Alves, glória do ciclismo português que averbou importantes resultados.

João Peixoto Alves, natural de Palmeira (Braga), nasceu a 23 de Maio de 1941 e iniciou a sua atividade no ciclismo, como popular, no Futebol Clube do Porto.
Posteriormente representou o C. C. Aldoar e o Benfica, onde se tornou conhecido como um dos melhores ciclistas portugueses. A sua carreira como profissional iniciou-se em 1960 e terminou em 1966, quando se retirou, com 25 anos, deixando um lugar difícil de preencher no ciclismo e no Benfica.

Ao longo da carreira desportiva disputou 171 provas, tendo ganho 22. Conquistou os títulos de Campeão Nacional e Regional de Rampa, no último caso por quatro vezes.

Vencedor da Volta a Portugal de 1965, alcançou ainda dois segundos e um terceiro lugares na importante competição. Na prova “rainha” do ciclismo português ganhou ainda 9 etapas, foi portador da camisola amarela em 23 e ganhou o Prémio da Montanha e a Classificação por Pontos no ano de 1963.

Participou na Volta a França do Futuro em 1963 (7º na geral e 2º na Montanha) e em 1964, tendo ainda participado na Volta à Espanha (1962, 1963 e 1965), na Volta a S. Paulo (1962 e 1966), na Volta à Catalunha (1965) e no Campeonato do Mundo (1965 e 1966).

Tags:

Sobre nós

Associação dedicada à promoção e divulgação do ciclismo.

Subscrever

Media

Media