AEP APOIOU A INTERNACIONALIZAÇÃO DE CERCA DE 3.000 EMPRESAS NOS ÚLTIMOS 26 ANOS

Missões comerciais multissectoriais e participação em feiras no estrangeiro continuam a abrir mercados, mas programa associativo contempla cada vez mais a deslocação a Portugal de compradores internacionais

 

 

Matosinhos, 11 de agosto - Nos últimos 26 anos, a Associação Empresarial de Portugal (AEP) organizou 476 ações de promoção da oferta nacional em 72 países de quatro continentes, nas quais participaram cerca de 3.000 empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis, a "maior parte delas por mais de uma vez" , adianta Mónica Moreira, diretora da estrutura associativa vocacionada para a internacionalização e a promoção externa.

As fileiras da construção, do agroalimentar, da saúde e do mobiliário e decoração são as que mais têm sabido aproveitar os programas de apoio à internacionalização empresarial e de fomento das exportações que a AEP leva a cabo desde 1990.

Só este ano, a associação prevê realizar 31 ações em 27 mercados, entre missões comerciais multissectoriais, participações coletivas em feiras e mostras temporárias de produtos. Porém, a edição de 2016 do programa associativo de internacionalização "Business on the way" deverá ultrapassar, no cômputo geral, as quatro dezenas de iniciativas. É que a AEP encarrega-se ainda da deslocação a Portugal de grupos de compradores estrangeiros (missões inversas) e da organização de seminários informativos, encontros de negócios ‘business to business’ e reuniões com agências públicas de investimentos, organismos multilaterais e câmaras de comércio e indústria, assim como de ações de ‘mentoring’ sobre mercados ainda pouco explorados pelas pequenas e médias empresas (PME) portuguesas.

Até ao fim de julho, foram realizadas 14 ações além-fronteiras, o que obrigou os técnicos que trabalham na unidade interna a quem cabe a operacionalização do programa "Business on the way" a percorrer mais de 90.600 quilómetros de avião. Do

itinerário constaram geografias como Díli (Timor-Leste), Teerão (Irão), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Singapura, Havana (Cuba), Baku (Azerbaijão), Abidjan (Costa do Marfim) e Bogotá (Colômbia).

? Primeira missão à Etiópia em dezembro

Em agosto, em que as férias obrigam a maioria das empresas portuguesas a reduzir substancialmente a atividade, não haverá qualquer iniciativa, mas entre 23 de setembro e 9 de dezembro realizar-se-ão mais 17 ações. A última será a primeira missão empresarial organizada pela AEP à Etiópia, para prospeção comercial e recolha de informação sobre os planos de combate à pobreza, de incremento da competitividade agrícola do país e de investimentos em infraestruturas que o Governo etíope tem em curso, com o apoio de organizações multilaterais.

Aberta a operadores económicos de todos os sectores, esta estreia associativa contempla a realização de reuniões de negócios e de encontros institucionais em Adis Abeba, a capital do segundo país africano mais populoso, com cerca de 97 milhões de habitantes, e decorrerá entre 4 e 9 de dezembro.

No regresso, os especialistas da AEP Internacionalização terão feito mais de 173.677 quilómetros de avião num só ano, com a associação a contabilizar então 493 ações realizadas no estrangeiro nos últimos 26 anos em prol da diversificação do relacionamento comercial das empresas portuguesas e do alargamento da base exportadora do país.

Desde 1990, "já apoiamos perto de 3.000 empresas a iniciar ou a consolidar o respetivo processo de internacionalização" , adianta Mónica Moreira, diretora da AEP Internacionalização. A maior parte delas, acrescenta, são PME que "começaram connosco a ir a feiras e missões no estrangeiro" e que ainda hoje "continuam a participar nas nossas iniciativas e a tirar partido da alargada rede de parceiros e de contactos" da AEP, que há 20 anos tem o estatuto de câmara de comércio e indústria para a região Norte. Nessa qualidade, emite anualmente mais de 12 mil certificados de origem, permitindo a milhares de exportadoras portuguesas atestar junto dos importadores que os seus produtos são "made in Portugal".

"A AEP continua a ser a instituição privada mais ativa na internacionalização empresarial e com mais iniciativas de âmbito multissectorial realizadas anualmente nesta área no nosso país. No fim desta edição do programa ‘Business on the way’, deveremos ter ultrapassado largamente as 6.000 participações em 26 anos de atividade, o que traduz a confiança do tecido empresarial e o reconhecimento das entidades públicas no nosso trabalho" , sublinha a responsável pela estrutura associativa vocacionada para a internacionalização e a promoção externa.

"Temos conseguido responder às necessidades das PME portuguesas e contribuir para o aumento das exportações, mas vamos continuar a inovar e a valorizar os produtos e as marcas portugueses por todo o mundo, com um programa estruturado de ações tendentes à penetração em novos mercados e à consolidação da presença de Portugal junto dos nossos parceiros económicos tradicionais" , acrescenta Mónica Moreira.

Para "potenciar o excelente interface relacional" com tantas empresas e "estimular uma comunicação de proximidade" sobre os mercados abrangidos pelo programa "Business on the way" e os apoios à internacionalização disponíveis, a AEP acaba de ativar um portal eletrónico e de lançar a revista "BOW" , disponível em edição digital e impressa.

? Fechados 114 negócios no ano passado

Em 2015 e ao abrigo do programa "Business on the way", a AEP levou a efeito 38 ações de promoção externa (20 feiras de negócios, 13 missões empresariais ao estrangeiro, quatro missões inversas e uma ‘market week’) dirigidas a 23 mercados, as quais envolveram 263 participações: 65 de médias, 55 de pequenas, 18 de micro e oito de grandes empresas.

Sectorialmente, a fileira da construção foi a maior protagonista, com 60 participações, 40 das quais pertenceram a fabricantes ou distribuidores de materiais de construção. Seguiram-se os operadores dos sectores da alimentação (20), bebidas (19), mobiliário e artigos para casa (13) e decoração de interiores e exteriores (11).

Territorialmente, o distrito do Porto destacou-se, com 40 participações, logo seguido pelo de Aveiro (37), Braga, (17), Leiria (16), Coimbra (nove) e Viseu (cinco).
 

Mas, também há a registar as presenças de empresas com sede no arquipélago dos Açores e nos distritos de Lisboa, Beja, Évora, Santarém, Guarda, Castelo Branco, Vila Real e Viana do Castelo.

Junto das empresas participantes, a AEP Internacionalização apurou que, no seguimento das ações realizadas, foram concretizadas 114 transações e expressas cerca de 1.500 intenções de negócio, fruto dos 8.251 contactos efetuados.

Ao participar nas ações de promoção da oferta portuguesa no estrangeiro organizadas pela AEP, as empresas pretendem aumentar ou iniciar exportações. Foi assim no ano passado e assim continua a ser em 2016, embora muitas participações visem igualmente o estabelecimento de contactos para o envio de amostras, a realização de acordos com importadores ou agentes comerciais e a entrada em redes de distribuição.

Na avaliação dos participantes, 82,8% das empresas representadas nas missões comerciais realizadas no ano transato ficaram com uma opinião "positiva". Da mesma maneira, a presença nas feiras satisfez 80% dos participantes, verificando-se o mesmo com a avaliação da mostra de produtos gourmet havida em 2015 (80% de satisfação).

O programa de internacionalização da AEP para 2016 é cofinanciada pelo Compete 2020, no âmbito do Portugal 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, Eixo II – Projetos Conjuntos – Internacionalização.

Tags:

Subscrever