Acreditação de Carbono pelo ACI Europa

Como resultado da aplicação sustentada e sistemática de um esforço voluntário para gerir as emissões de carbono associadas à atividade da ANA, os aeroportos geridos pela empresa viram a Acreditação de Carbono renovada pelo ACI Europa. Este ano, o nível 2 (Redução) do programa Airport Carbon Accreditation foi atribuído a 8 aeroportos (Lisboa, Porto, Faro, Ponta Delgada, Santa Maria, Horta, Flores e Beja); os aeroportos da Madeira e Porto Santo obtiveram o nível 1 (Mapeamento).
 
A Acreditação Aeroportuária de Carbono é uma iniciativa do ACI ( Airports Council International ) e constitui um programa específico para a gestão das emissões de carbono para os Aeroportos. Através dele, o ACI avalia e reconhece os esforços dos Aeroportos para gerir e reduzir as suas emissões de carbono, havendo quatro níveis de reconhecimento: "Mapeamento", "Redução", "Otimização” e “Neutralidade”. Este programa, que teve início na ACI Europa, foi posteriormente estendido a nível global.
 
A acreditação ao nível do “Mapeamento” significa que a ANA, empresa do grupo VINCI Airports, implementou uma estratégia de contabilização de todas as fontes de emissões de CO 2 que estão sob o seu controlo direto. Por outro lado, a acreditação ao nível da “Redução” significa que a ANA não só conhece as suas emissões de CO 2 , como conseguiu reduzir a pegada de carbono correspondente.
O cálculo da pegada de carbono dos aeroportos ANA é submetida a uma verificação por entidade externa e independente para os âmbitos 1 e 2, reforçando a credibilidade dos níveis de emissão declarados pela empresa do grupo VINCI Airports.
 
No final de 2015 o ACI registava entre os seus associados um total de 137 Aeroportos acreditados, os quais representavam 31% do tráfego mundial de passageiros.

Mais informação sobre este assunto disponível em http://www.airportcarbonaccreditation.org/

Sobre o Grupo ANA
O Grupo ANA é um sólido grupo empresarial responsável pela gestão dos aeroportos em Portugal Continental (Lisboa, Porto, Faro e Terminal Civil de Beja), na Região Autónoma dos Açores (Ponta Delgada, Horta, Santa Maria e Flores) e na Região Autónoma da Madeira (Madeira e Porto Santo). Em Setembro de 2013, o Grupo ANA integrou a VINCI Airports.
 
Sobre a VINCI Airports
Operador internacional no sector aeroportuário, a Vinci Airports assegura o desenvolvimento e operação de 25 aeroportos, incluindo 11 em França, 10 em Portugal (entre os quais o hub de Lisboa, com 20 milhões de passageiros), 3 no Camboja e 1 no Chile (Santiago do Chile, o sexto maior aeroporto sul-americano).
Servido por cerca de 150 companhias aéreas, o conjunto das plataformas da VINCI Airports totalizou em 2015 um tráfego anual de 52 milhões de passageiros, com um volume de negócios de mais de 820 milhões de euros. Graças à sua experiência como integrador global, a VINCI Airports, com os seus 5400 colaboradores, desenvolve, financia, constrói, opera aeroportos e disponibiliza a sua capacidade de investimento, a sua rede internacional e o seu conhecimento especializado na otimização da gestão das plataformas existentes, de projetos de expansão ou de construção completa de infraestruturas aeroportuárias.
A 10 de novembro o consórcio entre a Vinci Aeroportos e a japonesa ORIX foi selecionado para um contrato de concessão, por 44 anos, dos aeroportos internacionais de Kansai e Osaka (37,7 milhões de passageiros em 2015). Em dezembro de 2015, a Vinci Aeroportos adquire a AERODOM, detentora da concessão, até 2030, de 6 aeroportos na República Dominicana, incluindo um dos maiores da ilha: o Aeroporto Internacional Las Americas, em Santo Domingo (4,5 milhões passageiros nos 6 aeroportos AERODOM em 2015).
Mais informações em www.vinci-airports.com

Tags:

Sobre nós

Tem como missão gerir de forma eficiente as infra-estruturas aeroportuárias.

Subscrever