ARC Ratings apresenta-se como alternativa no mercado mundial da notação de crédito

• A ARC Ratings procura responder à necessidade de mais concorrência e de uma abordagem diferente no mercado global de crédito, face à situação criada pelas agências incumbentes

• A ARC Ratings resulta da evolução da Companhia Portuguesa de Rating, S.A., uma agência de rating portuguesa com 25 anos de experiência, que formou uma parceria de cinco agências de rating, originárias de cinco países em quatro continentes

• Terá como CEO José Poças Esteves, até agora o responsável pela Companhia Portuguesa de Rating

• A ARC posiciona-se como agência de rating de crédito com sede na Europa, mas com alcance mundial

• A ARC utiliza uma abordagem multi-perspetiva e a expertise local dos seus sócios para produzir uma análise mais aprofundada e detalhada e, consequentemente, emitir uma opinião mais fundamentada, com vantagens tanto para os emissores como para os investidores

• A ARC aposta no rigor técnico, num sistema de governança rigoroso e em metodologias de rating inovadoras

Cinco agências de rating de crédito da Europa, Ásia, África e América Latina uniram-se em parceria, num projecto que resultou na transformação da Companhia Portuguesa de Rating em ARC Ratings S.A., uma agência de rating de base europeia e com actuação global.

A rede de conhecimento e partilha formada pelos parceiros constitui um dos factores diferenciadores da ARC Ratings que tem como objetivo tornar-se uma alternativa no mercado global, com a adopção de uma abordagem baseada na multi-perspectiva e no conhecimento local, na excelência técnica, num sistema de governança rigoroso e em metodologias de rating inovadoras e capazes de responder às atuais necessidades dos mercados.

O que distingue a ARC Ratings

Parceria de cinco agências de rating provenientes de quatro continentes, com sede na Europa, mas com um alcance e perfil globais.

Uma resposta multipolar a um mercado e sistema cada vez mais multipolar.

Em contraste com as incumbentes, usa uma abordagem multi-perspectiva, baseada na sua rede de parceiros, e em conhecimento local.

Tem conhecimento e experiência em segmentos de mercado essenciais, negligenciados pela maioria das agências de rating de crédito internacionais, como, por exemplo, o mercado de emitentes de média dimensão.

Tem uma oferta competitiva, permitindo a um espectro amplo de emissores o acesso ao rating de crédito, incluindo entidades de dimensão média.

Utiliza uma escala de rating que evita a tradicional dicotomia “Investimento – Não investimento”.

Fundamenta a atividade de rating de crédito numa análise qualitativa e mais completa, evitando a preponderância de fórmulas no trabalho de notação.

A ARC Ratings vem dar resposta à necessidade de uma alternativa que tem vindo a ser evidenciada pelos mercados, pelos definidores de políticas, bem como pelos emitentes e investidores, especialmente desde a crise financeira de 2008. À sua independência, a agência de notação financeira junta a multi-perspectiva e a expertise local dos seus sócios, com vantagens tanto para emitentes como para investidores, devolvendo a confiança e reforçando a fiabilidade e a transparência ao sector do rating de crédito.

José Poças Esteves, CEO da ARC, afirma: “O mundo mudou dramaticamente desde o colapso do sub-prime nos EUA em 2008, que desencadeou a crise de crédito global. A ARC e as suas quatro agências de rating parceiras acreditam que os antigos métodos e abordagens deixaram de ser suficientes no cenário financeiro pós-Lehman.”

Uwe Bott, Chief Ratings Officer da ARC, sublinha: “As agências de rating de crédito devem ser as válvulas de segurança dos mercados financeiros. A vantagem da sua informação é fornecer o julgamento correto para proteger tanto os investidores como os emissores. A nossa abordagem adapta-se a um ambiente global que se está a alterar de forma dinâmica e que exige uma reinvenção constante da avaliação de crédito. Desta forma, estamos preparados para competir diretamente a nível internacional na notação de dívida soberana, de instituições financeiras, de empresas não-financeiras e de produtos estruturados, incluindo emissores de dimensão média".

Enquanto agência de rating de crédito global, com expertise local, com uma multi-perspectiva, baseada na sua rede de parceiros, a ARC oferece assim uma abordagem independente, sistémica e holística na metodologia e atribuição de rating, diferenciando-se dos seus concorrentes.

Origem e Forma de Funcionamento

A ARC Ratings resulta da transformação da Companhia Portuguesa de Rating, S.A. (CPR), agência europeia com sede em Lisboa, criada há 25 anos e uma das agências de rating mais antigas na Europa.

A ARC Ratings está no centro de uma rede de cinco parceiros de quatro continentes diferentes:
ARC Ratings, S.A. – Europa;
Credit Analysis and Research Limited (CARE) - India;
Global Credit Rating Company Limited (GCR) – África;
Malaysian Rating Corporation Berhad (MARC) – Malásia; e
SR Rating – Prestação de Serviços, Ltda. (SR Rating) – Brasil.

Esta rede alavanca as experiências e o know-how dos seus parceiros, através do desenvolvimento e implementação de melhores práticas no que diz respeito a metodologias, produzindo e compartilhando research relevante para a ARC Ratings, fornecendo analistas séniores para participarem nos painéis de rating da ARC, assim reforçando a sua multi-perspectiva, e referenciando comercialmente mandatos de rating.
J
osé Poças Esteves salienta: “A ARC tem no seu ADN global o know-how e a experiência na indústria de rating de crédito, sustentada pelos seus parceiros locais, o que nos permite combinar os recursos, a especialização e as diferentes perspetivas das cinco agências fundadoras.”

Governança e Metodologia

A ARC Ratings cumpre os mais rigorosos padrões de regulação do mercado, estando registada pela ESMA - European Securities and Markets Authority, a reguladora europeia e a mais recente a ser constituída (já depois da crise financeira de 2008) e considerada de referência pelos mercados.

A ARC Ratings implementa critérios de governança rigorosos e inovadores, incluindo um apurado controlo interno que resulta da sua própria estrutura organizacional em rede.

Os modelos de trabalho da ARC Ratings exploram metodologias inovadoras, rigorosas, sistemáticas, contínuas, dinâmicas e sujeitas a validação com base no histórico e experiência.

Um dos objetivos chave da ARC Ratings passa por recuperar o papel de antecipação das agências de rating de crédito. A companhia adota o princípio da estabilidade da notação de crédito, com metodologias que perspetivam o futuro e se baseiam na estabilidade, evitando assim perceções de curto prazo susceptíveis de enfatizar a volatilidade dos mercados.

A ARC Ratings dá relevância, nas suas metodologias de rating, a uma análise qualitativa, utilizando os modelos quantitativos apenas como complemento dessa análise qualitativa, e mantém um acompanhamento constante da evolução dos factores relevantes para cada uma das notações atribuídas.

O conhecimento e expertise dos cinco parceiros, disponíveis através de uma Rede de Conhecimento formal e combinados com pensamento crítico e opiniões de especialistas externos em todos os níveis do processo de rating, através de um Conselho Consultivo e de um Conselho Estratégico, permite um espectro mais alargado de pontos de vista, optimizando a qualidade dos ratings de crédito produzidos.

A aquisição e partilha de conhecimento em rede proporciona também uma perspetiva independente, sistémica e holística dos riscos emergentes - não necessariamente limitados ao risco de crédito.

Entre outras abordagens diferenciadoras, e reconhecendo o crescente papel das instituições financeiras, a ARC Ratings substitui o tradicionalmente utilizado “teto soberano” por um “teto de Estabilidade Financeira”, definido em função da estabilidade financeira do sistema ou da jurisdição onde a entidade se insere. Este teto constitui um limite indicativo, embora não absoluto, para o rating de qualquer emissor dentro desse sistema ou jurisdição.

É também de salientar que a ARC Ratings não segue a dicotomia tradicional que divide as escalas de rating entre “Investimento” ou “Não-investimento”. Esta opção decorre do facto de a ARC Ratings considerar que o papel da agência de rating não é recomendar se se deve ou não investir em determinado ativo. Essa é uma decisão a tomar pelo investidor, de acordo com a sua própria opinião e julgamento sobre a relação risco/benefício, entre outros fatores. As notações de rating da ARC são agrupadas por níveis de risco, apontando se o risco de crédito é baixo, moderado, elevado, ou se o ‘default’ está iminente ou já aconteceu.

Uwe Bott, CRO da ARC, refere: “Os ratings de crédito são opiniões e julgamentos sobre a capacidade e a vontade de uma entidade em cumprir as suas obrigações. São uma ferramenta fundamental para reduzir as assimetrias de informação entre emitentes e investidores, e, por isso, têm um papel essencial na ponderação que cada investidor faz da relação risco / benefício de cada investimento. Mas não devem ser recomendações para investir ou não em determinado activo.”

Universo de Rating

A ARC Rating tem a sua actual base de clientes na Europa, prevendo expandir-se dentro e fora do continente, com natural prioridade para os países de origem dos seus actuais parceiros.

A empresa considera ter uma oferta competitiva e atribuirá ratings de crédito em todos os segmentos, dos emissores de maior dimensão aos médios, públicos ou privados, simples ou complexos, financeiros ou não-financeiros, permitindo a um amplo espectro de emissores, nomeadamente em segmentos de menor dimensão do mercado, o acesso à notação de crédito, o que é fundamental para que todos os emissores tenham acesso a financiamento em condições adequadas à sua situação.

A competitividade da sua oferta e a sua abordagem inovadora permitem o alargamento do universo de empresas que acedem ao rating, nomeadamente a empresas de dimensão média, as quais têm, cada vez mais, uma necessidade crescente de aceder aos mercados de capitais, como forma de financiamento alternativa ao tradicional financiamento bancário.

Tags:

Subscrever