Proposta para a Estratégia Nacional para a Saúde da Visão

.Constituição da Comissão para a elaboração da proposta para a Estratégia Nacional para a Saúde da Visão ignora recomendações e Diretrizes da Organização Mundial da Saúde e Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira

.Portugal não aproveita recursos humanos e conhecimento científico internos, de referência mundial, em Optometria para resolver problema crónico nas lista de espera de Oftalmologia
.Cuidados Primários para a Saúde da Visão é uma solução, que deve implementar o recurso aos Optometristas no SNS, à luz dos exemplos e recomendações dos organismos europeus e mundiais dos cuidados para a saúde da visão

As dificuldades de acesso aos cuidados para a saúde da visão no Serviço Nacional da Saúde não são novidade para a população, nem para os Optometristas, tal como a APLO tem vindo a denunciar. A pergunta é qual seria a verdadeira dimensão deste problema caso os 1.100 Optometristas Portugueses não realizassem mais de 2 milhões de consultas anuais no setor privado, ao longo dos últimos 30 anos, e qual será o futuro dos cuidados para a saúde da visão se persistirmos no investimento em mais do mesmo?

A APLO concorda com as afirmações da Organização Mundial da Saúde e da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira:

  • "Estabelecer ou manter mecanismos de coordenação para supervisionar e monitorizar a implementação de políticas, planos e programas para a saúde da visão" Towards Universal Eye Health: a Global Action Plan 2014-2019’ (adopted by the World Health Assembly in May 2013), World Health Organization

  • "Um comitê inclusivo é o mecanismo mais eficaz para fornecer liderança e governança para a prevenção da cegueira em nível nacional." Guidelines for Eye Health Committees, International Agency for the Prevention of Blindness - Western Pacific Region .

Infelizmente, a APLO como representante dos Optometristas, a maior classe profissional de prestadores de cuidados para a saúde da visão em Portugal, não foi chamada a participar nem a contribuir na elaboração da proposta de Estratégia Nacional para a Saúde da Visão. À luz do preconizado pelas instituições mundiais nesta matéria, a APLO considera qualquer proposta de estratégia nacional dos cuidados para a saúde da visão que altere de facto o estado atual deve respeitar as recomendações da Organização Mundial da Saúde, da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira, recomendações da Comissão Europeia, prática e conhecimento mundial na matéria. O princípio da prestação de cuidados primários para a saúde da visão é uma proposta que a APLO tem avançado e que deve ser implementada à luz da prática europeia e mundial, aproveitando os recursos humanos e conhecimento científico de Portugal, com formação desde licenciatura até ao grau de doutoramento em Optometria e Ciências da Visão. Enfatizamos as palavras da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira nas Diretrizes para os Comités para Saúde da Visão:

"Como podemos construir um forte quadro de optometristas?(...) Todas essas são questões para discutir com associações profissionais e universidades. É importante ressaltar que as organizações profissionais ou sociedades que representam as três categorias profissionais: oftalmologistas, optometristas ou pessoal oftalmológico aliado devem ter voz e oportunidade de contribuição."

Ignorar o capital e recursos humanos, assim como a ideal estrutura em que estão organizados, resulta nos constrangimentos atuais dos cuidados para a saúde da visão e continuará a resultar, se nada for alterado.

 

Tags:

Sobre nós

APLO - Associação dos Profissionais Licenciados de Optometria defende a excelência da prestação dos cuidados para a saúde da visão, os direitos dos utentes e o acesso universal aos cuidados para a saúde da visão. A APLO através dos seus regulamentos internos, Estatutos, Definição do Âmbito da Prática e Código Deontológico e Ético, auto regula o exercício da profissão entre os seus associados, sendo constituída exclusivamente por Optometristas licenciados pelas Universidades do Minho e da Beira Interior. Fundada em 19 de Fevereiro de 1998.

Subscrever

Media

Media