SONAE REFORÇA VENDAS E EFICIÊNCIA OPERACIONAL

1. PRINCIPAIS DESTAQUES DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013:

• Concretização do objetivo de reforçar quota de mercado preservando a rentabilidade operacional;
• Aposta na internacionalização, com entrada em novos mercados e exploração de formatos alternativos;
• Crescimento das vendas para 2.540 M€, potenciado pela área de retalho alimentar;
• Reforço do EBITDA recorrente para 281 M€, com margem de 11,1%;
• Resultado líquido atribuível a acionistas de 40 M€;
• Redução da dívida líquida em 166 M€ face ao semestre homólogo com forte geração de cash flow;
• Apoio total à comunidade beneficia 1.190 instituições com 3,7 milhões de euros;
• Compras de perecíveis a produtores nacionais continuam a aumentar, totalizando 334 M€;
• Famílias portuguesas beneficiaram de mais de 200 M€ em descontos.

A propósito destes resultados, Paulo Azevedo, CEO da Sonae afirma: “As economias dos mais de 60 países em que a Sonae possui interesses registaram comportamentos muito distintos no primeiro semestre do ano. Na Península Ibérica, o mercado continuou difícil, com a manutenção da pressão sobre o consumo, embora junho tenha demonstrado uma melhoria da tendência negativa em ambos os países. Apesar de alguma desaceleração, o Brasil permaneceu com níveis de atividade interessantes e a Alemanha demonstrou uma forte solidez. Neste cenário, os resultados da Sonae revelam uma forte resiliência das operações e a solidez do balanço, com um volume de negócios sustentado e ganhos contínuos de eficiência operacional que permitiram reforçar o cash flow operacional para 167 milhões de euros.

No retalho, mantivemos a nossa estratégia de repercutir os nossos ganhos de eficiência e melhoria de processos em mais valor para os nossos clientes – quer em preço e descontos, quer em variedade e qualidade da nossa oferta. O reconhecimento deste esforço contribuiu para a crescente preferência dos consumidores pelas lojas Sonae, traduzida em novos ganhos de quota de mercado, em quase todos os nossos formatos.

Para além do crescimento fora da Península Ibérica, estes ganhos de quota de mercado permitiram crescimentos absolutos no Continente e Well’s em Portugal, bem como na Sport Zone em Espanha durante o segundo trimestre do ano.

A Sonae prosseguiu com a dinamização da produção nacional e o desenvolvimento de parcerias com a produção e a distribuição, desenvolvendo o formato de franchising alimentar e dando a oportunidade de pequenos empresários revitalizarem os seus negócios e de empreendedores iniciarem a sua atividade. O reconhecimento do nosso trabalho no Clube de Produtores, bem como a promoção de parcerias com toda a produção nacional, levou a que a Sonae fosse o único retalhista europeu a ser selecionado para integrar o Fórum de Alto Nível sobre a Melhoria do Funcionamento da Cadeia de Abastecimento Alimentar (FAN), o grupo consultivo da Comissão Europeia cujo objetivo é assegurar a coerência das suas iniciativas e colaborar na definição da política industrial europeia no setor agroalimentar.

Atentos ao futuro, reforçámos a nossa aposta no comércio eletrónico, com o relançamento da plataforma do Continente em Portugal e das plataformas da Worten na Península Ibérica. O comércio eletrónico representa uma oportunidade interessante de desenvolvimento, estando já as nossas equipas a trabalhar numa nova plataforma para a Sport Zone.

No campo da internacionalização, entrámos em novos mercados e prosseguimos com a exploração de formatos alternativos de crescimento, como parcerias, franchising e wholesale. A Zippy entrou em mercados de forte dinamismo, a Sport Zone renovou o seu conceito de loja na Península Ibérica, a Sonae MC avançou na exportação de produtos nacionais e a Sonae Sierra alargou os acordos de gestão de centros comerciais e inaugurou um novo centro no Brasil.

Vamos continuar a apostar na inovação e na criação de relações duradouras com os nossos parceiros, procurando potenciar a nossa base de ativos, como acontece no caso da fusão entre a Zon e a Optimus, cujo projeto de decisão de não oposição pela Autoridade da Concorrência já foi alvo de consulta pública, sendo de esperar a sua implementação a curto prazo.”


(Comunicado integral em anexo)

Tags:

Sobre nós

Banca e seguros.

Subscrever

Media

Media