Ilustração e Cidadania: 50 anos após Maio de 68 | Com Nuno Saraiva, ilustrador e autor de Banda Desenhada

Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos
8 fevereiro | 18h30
Ilustração e cidadania: 50 anos após o Maio de 68, é o tema do próximo debate Espaço Público que a
Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos promove, no próximo dia 8 de fevereiro (quinta-feira), pelas
18h30, com o ilustrador e autor de Banda Desenhada, Nuno Saraiva.
O debate terá a moderação de Rui Lopo.
Entrada livre.
Sinopse | Debate: Ilustração e Cidadania: 50 anos após Maio de 68
“O que seria dos jornais mais relevantes sem os cartoons e as ilustrações? O que seria de nós sem o Zé
Povinho de Rafael Bordalo Pinheiro? O que seria do Maio de 68, de que se celebra este ano o 50.º aniversário,
sem os cartazes do Atelier Populaire? Nestes tempos, em que a indiferença parece expandir-se, a ilustração
editorial não dá tréguas e é o constante apelo à crítica, ao questionamento, à consciência cívica. A crise de
refugiados, a expansão dos movimentos de extrema-direita, a presidência Trump, o estado islâmico, todos
estes temas da atualidade e tantos outros ganham peso quando a ilustração coloca o dedo na ferida. Nuno
Saraiva, ilustrador e autor de BD por diversas vezes premiado, vem à Biblioteca conversar sobre estes e outros
assuntos”.
Sobre Nuno Saraiva
Como Ilustrador Editorial, é colaborador em praticamente toda a imprensa escrita portuguesa, com destaque
para os semanários O Independente, Expresso, Sol, Record, jornal Público e Time Out Lisboa.
Autor, com Júlio Pinto, da série em banda desenhada "Filosofia de Ponta" (editora Contemporânea e Circulo
de Leitores), "Arnaldo o Pós Cataléptico" e "A Guarda Abília" (editora Contemporânea); e a solo de "Zé
Inocêncio, as aventuras Extra Ordinárias de Um Falo Barato" (Editora Baleia Azul); "GNR", série pop-rock
português (Edição A Bela e o Monstro); entre outros livros.
Nos últimos anos publicou com João Miguel Tavares "A Crise explicada às crianças" (Esfera dos Livros) com
recente versão Grega (Patakis Publications); foi autor, com Paula Cardoso, da coleção de cromos da caderneta
"Eusébio - a vida e a carreira"; ilustrou o livro "Caríssimas 40 canções - Sérgio Godinho e as canções dos
outros" (edições Abysmo); ilustrou o conteúdo do jogo de tabuleiro "Vem aí a Troika" com versões em
português (Tabletip Games), espanhol (Devir Ibéria) e grego (CDC); "Isto é um Assalto" com Francisco Louçã e
Mariana Mortágua (editora Bertrand) e “Aníbal Milhais - o soldado Milhões”, texto de José Jorge Letria
(Editora Pato Lógico).
O seu livro "Tudo isto é Fado!", uma coprodução Sol, CML/EGEAC e o Museu do Fado, foi galardoado com o
prémio “Melhor livro de BD 2016” atribuído pelo Festival internacional de BD Amadora.
É jurado dos Programas de Apoio ao Cinema, na Subprograma de Apoio à Produção, na modalidade de Apoio à
Produção de Obras Cinematográficas – Categoria de Curtas-Metragens de Animação de 2015; Subprograma de
Apoio à Escrita e ao Desenvolvimento de Obras Cinematográficas 2016; Subprograma de Apoio à coprodução
com países de língua portuguesa 2016.
Autor das imagens para as FESTAS DE LISBOA'15,’16 e ’17.
No Ar.Co, escola de artes e comunicação, leciona desde 2001 no curso de Ilustração/Banda Desenhada várias
disciplinas relacionadas.
Por iniciativa da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, tem pintado vários murais em Alfama e Mouraria.
Participa na coleção “Sardinha by Bordallo” com a sua Sardinha do Golaço, comemorativa do feito campeão da
nossa seleção no Euro 2016.
O seu mais recente trabalho individual, "Fado do Malhoa, o pintor fino da Mouraria" (EGEAC e Museu do
Fado), será lançado ainda este ano.
Vencedor do concurso Bolsas de Criação Literária 2018, DGLB/MC.

Tags:

Sobre nós

Munícipio da Amadora, distrito de Lisboa.

Subscrever

Media

Media