Empresas de Oliveira de Azeméis impressionam ministro da economia

O ministro da economia, Álvaro Santos Pereira, afirmou em Oliveira de Azeméis que a nova lei da concorrência, em processo de consulta pública, será um «factor de competitividade da economia portuguesa» permitindo uma «maior transparência e uma maior abertura».

O membro do governo falava no final da visita que fez a três empresas de Oliveira de Azeméis, líderes europeus e mundiais nos sectores dos moldes, da produção de produtos plásticos e do calçado.

Segundo Álvaro Santos Pereira, o novo quadro legislativo «vai permitir uma economia nacional cada vez mais concorrencial» facilitando que os empresários vendam mais no mercado nacional e sejam «mais competitivos no mercado mundial apostando nos produtos portugueses, valorizando a produção nacional e criando mais emprego».

O titular da pasta da economia alertou para a necessidade do país não «baixar os braços» e tornar a «economia mais dinâmica e competitiva para podermos produzir mais».

Sobre o financiamento da economia portuguesa, Álvaro Santos Pereira disse que «o problema não é só a questão dos juros», passando essencialmente por baixar o endividamento interno e externo e reduzir os défices orçamentais.

«O problema passa ainda por libertar recursos, quer através das privatizações, quer das reestruturações que estão a ser feitas de forma a dar mais liquidez às empresas portuguesas», afirmou.

O membro do governo garantiu que o preço da electricidade irá sofrer em 2012 apenas um aumento de 4%, valor abaixo dos 30% anunciados pelo anterior governo para o consumo privado e dos 55% para o sector empresarial.

A redução das tarifas eléctricas inicialmente anunciadas para o próximo ano tem a ver com a utilização das receitas de licenças de CO2 (dióxido de carbono).

«Ao podermos usar estas receitas para o sistema eléctrico nacional vamos permitir que os preços da electricidade não cresçam a um ritmo que seria insustentável», afirmou.

«O mais importante é colocar a energia ao serviço da economia e não o contrário sendo importante garantir que os acréscimos dos preços da electricidade seja feita de uma forma mais branda não prejudicando as famílias nem a competitividade nacional», disse.

Após visitar as empresas de Oliveira de Azeméis, o ministro elogiou os sectores dos moldes, calçado e têxtil, considerando que estes «orgulham Portugal» e ajudam «a reinventar o tecido empresarial português» ao apostarem na inovação, na internacionalização e na criação de produtos de alto valor acrescentado.

Segundo o presidente da autarquia, a visita deixou Álvaro Santos Pereira impressionado e com um «ânimo renovado para a difícil tarefa que tem de alavancar a nossa economia».

O ministro visitou empresas de dois clusters importantes para a economia portuguesa, os sectores do calçado e dos moldes e dos componentes para a indústria automóvel e de duas rodas.

«Esta foi uma forma do membro do governo reconhecer a importância e o papel preponderante do município no sector económico português», afirma Hermínio Loureiro elogiando os empresários oliveirenses que, em tempo de crise, «não baixam os braços e arregaçam as mangas procurando novos mercados, apostando em novos produtos, na investigação, no design e na qualidade».

«Tudo isto se enquadra na preocupação de afirmar a marca Azeméis e de tudo o que de bom se faz no município de Oliveira de Azeméis», explica.

Tags:

Sobre nós

Município de Oliveira de Azeméis.

Subscrever

Media

Media