Responsáveis dos agrupamentos reunidos para debater os ciclos da autoavaliação

Cerca de duas dezenas de professores das equipas de autoavaliação dos agrupamentos de escolas do concelho de Oliveira de Azeméis estiveram reunidos durante a tarde de ontem, na praça da cidade, para debaterem os domínios da autoavaliação.A abertura do ‘III workshop de autoavaliação: Conhecer para inovar’ ficou a cargo de Isidro Figueiredo, vereador da educação da Câmara Municipal, que assumiu a iniciativa enquanto um «apoio direto ao trabalho desenvolvido pelas escolas». «Queremos continuar a caminhar juntos e naquele que é o espírito de trabalho em rede», afirmou.Com uma vasta experiência em matéria de avaliação de escolas, Valdemar Castro Almeida, da direção regional de Inspeção da Educação do Porto e professor da Universidade Católica, lançou aos presentes a questão: Avaliar porquê, para quê e o quê? Com a consciência de que não há processos perfeitos, no final do encontro ficou a certeza de que a «avaliação, enquanto dimensão da gestão, é uma garantia de qualidade e pressão externa para a eficiência e para os resultados». De acordo com o docente, «a avaliação é, acima de tudo, um instrumento de desenvolvimento e de melhoria» que, por vezes pode ser visto como «um instrumento de promoção e concorrência entre as escolas».Os encontros promovidos, anualmente, pela autarquia pretendem favorecer a aproximação e a partilha de experiências entre os agentes educativos.

Tags:

Sobre nós

Município de Oliveira de Azeméis.

Subscrever