Vidro vai ter centro de interpretação em Oliveira de Azeméis

A Câmara de Oliveira de Azeméis contratualizou com o Programa Operacional Regional do Norte ON.2 a comparticipação financeira de 1,6 milhões de euros para a criação do Centro de Interpretação do Vidro, um dos projectos inseridos na requalificação do parque de La Salette e destinado a perpetuar a história da indústria do vidro no concelho.

O projecto visa promover a herança da indústria vidreira nos aspectos históricos, culturais e sociais bem como divulgar a cultura científica e tecnológica em torno da produção e aplicação do vidro.

«Apesar das dificuldades económico-financeiras do país temos projectos e continuamos a investir, a pensar no futuro», afirmou o autarca de Oliveira de Azeméis, Hermínio Loureiro, após a assinatura do contrato de financiamento com a Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

«Somos um concelho com história e não poderíamos, no projecto de requalificação do parque da cidade, ficarmos indiferentes ao facto de termos sido o berço da indústria do vidro em Portugal pelo que decidimos avançar com a construção de um Centro de Interpretação do Vidro», disse Hermínio Loureiro.

O novo espaço, resultante de uma parceria entre a autarquia e a Universidade de Aveiro, irá ocupar dois edifícios, um antigo (a recuperar) e um outro construído de raiz que irá comportar salas de experimentação laboratorial, anfiteatro polivalente e espaços de exposição/divulgação.

O financiamento permitirá avançar com a requalificação da antiga «Casa do Mateiro», sem alteração da traça arquitectónica do edifício que pertenceu a um dos fundadores do Centro Vidreiro do Norte de Portugal. Trata-se de um espaço destinado a funções de natureza histórica e cultural, relacionadas com a presença do vidro em Oliveira de Azeméis.

Neste espaço o visitante terá à sua disposição uma loja para venda de produtos, zonas de lazer e de exposições temporárias.

O edifício a construir, onde se realça a construção de um volume cilíndrico semelhante a uma «chaminé fabril» e espaços de fabrico de vidro visíveis ao público, será dedicado a actividades de divulgação do vidro e de interactividade lúdica e de conhecimento com o visitante.

Além da contratualização financeira do Centro de Interpretação do Vidro, Hermínio Loureiro assinou com Carlos Duarte, da Autoridade de Gestão do ON.2, o apoio para a requalificação do núcleo central do parque La Salette e a melhoria das vias de acesso.

A intervenção, no valor de 1,6 milhões de euros, pretende «realçar a unidade paisagística patrimonial do parque», eliminar elementos que desvirtuam o espaço (caminhos e bolsas de merendas), melhorar caminhos através de pavimento betuminoso revestido com gravilha fina de granito amarelo, além da aplicação de iluminaria e mobiliário urbano.

As duas operações de financiamento totalizam um investimento global de 3,2 milhões de euros dos quais 2,6 milhões (80%) provenientes do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) e 653 mil euros da autarquia (20%).

Segundo Hermínio Loureiro, «a autarquia pretende continuar a beneficiar de todos os financiamentos do QREN uma vez que os municípios são a alavanca real da economia pelo que importa continuar a investir aproveitando todas as oportunidades».

O esforço financeiro da autarquia e o aproveitamento das verbas comunitárias mereceu elogios do representante do ON.2, Carlos Duarte, recordando a canalização de 25 milhões de euros para o município nas áreas da educação, na requalificação do parque La Salette, na Área de Acolhimento Empresarial de Ul-Loureiro e na construção do parque do Cercal - Campus para a Inovação, Competitividade e Empreendedorismo Qualificado.

«Os apoios do QREN são fundamentais para a qualificação do ambiente urbano e do quadro da competitividade das cidades e da economia», observou.

Tags:

Sobre nós

Município de Oliveira de Azeméis.

Subscrever

Media

Media