Cinemalogia 3 - Informação sobre os últimos módulos

No fim de semana de 7 e 8 de Junho, o Cinemalogia aborda a Distribuição e Exibição Cinematográfica com as contribuições de Alexandre Valente e João Silva.

Concluímos o nosso percurso, Da Ideia ao Filme, com a reposição do módulo de Direcção de Som 3, onde os formandos irão concluir os trabalhos no filme que produziram ao longo de sete meses de formação.

Promoção e Comercialização | 7 de Junho | Alexandre Cébrian Valente
Colégio de São Jerónimo | 9:00 — 18:00 | http://on.fb.me/SfB2wj

Para além de uma actividade artística e tecnicamente exigente, a realização cinematográfica é também, na medida em que produz objectos que se destinam à exibição pública, em circuitos de distribuição/exibição sujeitos às leis do mercado, uma actividade fortemente afectada por questões comerciais. Neste módulo abordar-se-ão os mecanismos de promoção nacional e europeia de cinema de qualidade, e as estratégias de promoção e comercialização de cinema português em diferentes mercados ou circuitos de distribuição/exibição nacional e internacional.

Este módulo tem como objectivo dotar os participantes dos conhecimentos fundamentais sobre métodos e estratégias de divulgação de obras cinematográficas. Após a frequência do módulo, os formandos estarão preparados para melhor considerar, conceber e desenvolver estratégias e acções de marketing, ao longo de todo o processo de produção do filme, desde a ideia/conceito base até à sua exibição.

Alexandre Cebrian Valente, produtor, nasceu em Lisboa no ano de 1968, conta com dezenas de filmes e outros projectos ao longo da sua carreira, destacando-se a estreita relação com o Cinema, onde exerceu a Direcção de Produção de inúmeros projectos. Foi Director Geral do projecto SIC FILMES e Produtor Executivo de alguns programas de televisão da RTP (Paraíso Filmes, Contos de Natal) e da SIC (Programa da Maria). Em 2004 cria a sua própria produtora com sede em Lisboa. Em 2006 foi eleito pelo então: “ICAM” para representar Portugal como ‘Producer on the move’ no Festival de Cannes. Actualmente exerce também as funções de Criativo, Argumentista, Realizador e Produtor, assim como tem vindo a ser convidado para leccionar diversas conferências, palestras e workshops, na área de comunicação e marketing.

Projecção Cinematográfica | 8 de Junho | João Silva
Teatro Académico de Gil Vicente | 9:00 — 18:00 | http://on.fb.me/SfBpqE

Embora a maior parte dos produtos audiovisuais possa hoje ser exibida num sem número de “suportes”, a maior parte das obras cinematográficas continua a ser projectada para ser exibida em salas de cinema ou outros espaços públicos de exibição. Neste módulo ensinar-se-ão as características dos principais sistemas de projecção analógica e digital, ensinando-se os formandos a projectar em 16 e 35 mm.

João Silva é projeccionista do TAGV há mais de vinte anos. Com larga experiência, domina a película em suportes distintos como 8mm,16mm e 35mm.

No fim de semana de 14 e 15 de Junho repomos o módulo de Direcção de Som 3 com o multi-premiado Eng. de Som Tiago Matos.

Direcção de Som 3 — Misturas Finais | 14 & 15 Junho | Tiago Matos
Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra | 9:00—18:00 | http://on.fb.me/SfBrPl

Este módulo aborda a última fase de pós produção de som para cinema, onde as decisões são definitivas e onde o fim do processo significa o início de vida comercial de uma obra. O plano de trabalho engloba várias fases deste processo, começando por definições de estrutura de som para cinema, descrição de processo de trabalho e membros de equipa. Depois, cada etapa do processo será explicada e analisada do ponto de vista de tarefas e responsabilidades de cada membro de equipa.

Durante as aulas, vão ser exibidos vários exemplos que explicam o processo e mostram resultados de cada etapa de finalização.

Estrutura de som para cinema e TV
Equipa de pós-produção – membros e funções
Etapas de pós-produção de som
Montagem de som direto
Dobragens
Montagem de efeitos sonoros
Gravações adicionais
Ruídos de sala (Foley)
Tratamento de música
Estúdio de mistura
Processo de mistura de som
Normas e padrões de gravação
Alteração de velocidade / duração
Produtos finais
Discussão e esclarecimentos.

Tiago Matos assim que terminou o curso de 3 anos de imagem e som na escola profissional de imagem em 98, começou a trabalhar com Branko Neskov. Desde então, entre a licenciatura em sociologia e as tarefas de montador de som e misturador, fez mais de 100 filmes, 30 dos quais longas-metragens. Foi sócio-gerente da pós-produtora MOS Filmes durante sete anos e coordenou o estúdio de pós-produção Obviosom, estúdio de misturas dolby digital. No último ano esteve a trabalhar em Angola na implementação de uma estrutura de pós-produção áudio e na coordenação da pós-produção de uma série de ficção e de uma longa-metragem.

Trabalhou com realizadores como Manoel de Oliveira, Teresa Villaverde, João Canijo, Sandro Aguillar, Sérgio Tréfaut, Fernando Lopes, Jorge Silva Melo, Joaquim Leitão, Margarida Cardoso, entre tantos outros.

Imagem em Alta-Resolução: https://www.dropbox.com/s/t8plgy8udp5lijy/Cinemalogia%20-%20POSTER%20JUNHO.png

Tags:

Sobre nós

Cinema.

Subscrever

Media

Media