II Simpósio Internacional Fusões no CInema

A semana de Caminhos Film Festival superou o cume de quarta-feira e vai agora até ao final no próximo sábado. Durante o dia de ontem ocorreram perto de uma dezena de sessões de cinema onde foram exibidos mais de trinta filmes e onde o público teve oportunidade de colocar questões a vários cineastas presentes.

Após a habitual sessão de Caminhos Juniores que ocorreu pelas dez da manhã, o festival retomou as actividades às 15h com três sessões em paralelo. Enquanto no Museu da Ciência continuou a Selecção Caminhos Mundiais dedicada à Àustria com o filme Lourdes , de Jessica Hausner, a Selecção Ensaios apresentou no Conservatório de Música oito curtas vindas das escolas de cinema nacionais. Entre estas obras encontra-se Paloma , produzida no âmbito do IV curso de Cinema – Cinemalogia, durante a edição transacta do Caminhos do Cinema Português e coordenada pelo realizador Nuno Portugal. Entretanto, no TAGV a sessão das 15h exibiu Provas, Exorcismos , de Susana Nobre e Mil e Uma Noites – Vol. I. Com a exibição da primeira parte o Caminhos conclui a trilogia de Miguel Gomes, onde o realizador explora eventos e realidades do Portugal intervencionado através do mecanismo de contador de estórias de Xerazade.

Pelas 17h30 mais duas sessões paralelas na cidade de Coimbra. No Conservatório a Selecção Ensaios prosseguiu o seu dia, agora com mais um conjunto de obras produzidas em escolas de cinema nacionais . No TAGV, a sessão onde foram exibidos Em Branco, de Luciano Sazo, Isa, de Patrícia Delgado e Gipsofilia, de Margarida Leitão contou com a presença de dois dos realizadores. Luciano Sazo e Margarida Leitão assistiram à sessão a convite da organização do festival e no final responderam a questões e comentários dos espectadores.

Os cinemas NOS Fórum Coimbra projectaram ontem duas sessões durante o Caminhos Film Festival. A Selecção Diásporas esteve presente às 19h e às 21h45 foi a vez da Reposição de algumas obras seleccionadas do dia anterior. Entretanto, no TAGV, a Selecção Caminhos trouxe mais agentes da sétima arte nacional a Coimbra. Depois a sessão das 21h30, que exibiu os filmes Nossa Senhora da Apresentação, de Abi Feijó, Deus Providenciará, de Luis Porto, IEC Long, de João P. Rodrigues e Rodrigo Guerra da Mata e ainda Yvone Kane, de Margarida Cardoso. No final da sessão estiveram presentes a co-argumentista de Nossa Senhora da Apresentação Daniela Duarte, de Deus Providenciará o realizador Luis Porto, a produtora Laura Milheiro e o director artístico Alberto Gonçalves. Em representação de Yvone Kane a produtora Maria João Mayer comentou a mais recente longa metragem de Margarida Cardoso com os presentes. Antes do dia terminar ainda houve lugar no TAGV à Mastersession Entre o Real e o Ficcionado onde vários dos protagonistas do dia de hoje se reuniram e debateram com o público as dificuldades do registo documental e a forma a ficção tende a intrometer-se no que se pretende um registo puro.

Hoje o Caminhos do Cinema Português adiciona ainda mais uma actividade ao festival deste ano. A partir das nove da manhã tem início o II Simpósio Internacional dedicado a comunicações e estudos com a temática As Fusões da Arte no Cinema.

Tags:

Sobre nós

Cinema.

Subscrever