Jorge Pelicano foi o vencedor do Grande Prémio Portugal Sou Eu

O realizador e jornalista Jorge Pelicano trouxe o seu “Pára-me de Repente o Pensamento” ao Teatro Académico Gil Vicente e, no regresso a casa, levou os prémios de Melhor Filme, Melhor Realizador Europcar e o Prémio do Público Chama Amarela. O documentário que cruza arte com esquizofrenia levou a melhor face aos 63 filmes a concurso.

Com a apresentação a cargo de Sílvia Almeida e Gonçalo Melo Ribeiro, a cerimónia teve início pouco depois das 22h, com a actuação da banda “5ª Punkada”, constituída por elementos da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC), acompanhada pela banda residente Rags, da Tuna Académica da Universidade de Coimbra.

Vitor Ferreira, director do festival, sublinhou a importância do evento na divulgação e apresentação de “todo o cinema português” relevando, no entanto, que é necessário “salvaguardar a cultura” e que o festival estará de volta em 2015, “seja ela onde for”.

Da entrega de prémios desta vigésima edição dos Caminhos do Cinema Português é, ainda, importante destacar a atribuição do prémio de Melhor Ensaio, que destaca a excelência da produção independente e escolar. Este galardão foi para “Fúria”, de Diogo Baldaia.

Os Caminhos do Cinema Português voltaram, um ano depois de uma paragem forçada pela contracção orçamental, alavancados pela força de uma equipa de voluntários empenhados na divulgação do cinema nacional e dos seus protagonistas. A próxima edição está, desde já, garantida, independentemente da sua localização.
 
Em anexo, segue a lista completa de premiados.

As fotografias do evento podem ser descarregadas em:  http://we.tl/ni8kT0XTWR
Também, poderão descarregar o vídeo resumo do festival em:  http://we.tl/NLNlRYtYZW

Tags:

Sobre nós

Cinema.

Subscrever