Júri da 24.ª edição junta Experiência e Irreverência para julgar os prémios do Cinema Português

As equipas de Júri da 24.ª edição estão oficialmente constituídas. Além do público, quatro equipas de júri com personalidades de relevo da cultura, do cinema e da sociedade em geral, terão a responsabilidade de avaliar e premiar as 121 obras em concurso, para um total de 26 prémios, destacando-se os prémios, oficiais e os técnico artísticos, da Seleção Caminhos onde se definem os principais vencedores de cada edição do festival. Há ainda espaço para a premiação internacional com os Prémios D. Quijote da Federação Internacional de Cineclubes e na Seleção Ensaios.

O Júri da Seleção Caminhos tem a seu ônus 15 prémios técnico-artísticos e 6 prémios oficiais, definindo-se quem serão os principais protagonistas deste ano de Cinema Português. Pela diversidade de saberes conjugados para distinguir categorias tão distintas quanto são a direção de fotografia, a direção de arte, os figurinos ou a comunicação, constitui-se uma equipa capaz de ter um olhar interior e exterior do que é o cinema. Assim, esta equipa é constituída pelas atrizes Joana Pais de Brito, Isabel Ruth, pelos atores João Cabral e Marcantónio del Carlo, pelos realizadores Catarina Alves Costa, Marco Martins e João Rui Guerra da Mata, este último também Diretor de Arte, pelo músico José Cid e pelo colorista Nuno Garcia.

Avaliando o futuro do cinema e da sua linguagem está o Júri da Seleção Ensaios. As produções, realizadas em contexto académico, presentes nesta seleção já provaram o seu valor em alguns dos principais festivais de cinema do mundo, tendo agora a oportunidade de juntas concorrerem aos prémios de Melhor Ensaio Nacional e Melhor Ensaio Internacional da Seleção Ensaios. São 60 os ensaios em competição, oriundos de 25 países, congregando em 14 horas de programação pontes culturais e formas de ver e sentir o mundo. O montador Tomás Baltazar, o realizador Luís Ismael, o ator Diogo Amaral, a atriz Benedita Pereira e o youtuber Ricardo Esteves, irão conjugar a sua perspetiva e experiência para decidir quem são os vencedores desta seleção.

O prémio D. Quijote, atribuído pelo Júri FICC, representa a filosofia do movimento cineclubista, como base o Plano de Tabor, dos Direitos do Público e da utopia Quijote. Integram neste júri o realizador português Tiago Cerveira, o realizador e fotógrafo polaco Konrad Domaszewski e a programadora britânica Sukayna Najmudin.

O Prémio de Imprensa CISION visa premiar o rigor e a ousadia estética, tanto no plano narrativo, como a nível da imagem cinematográfica. Pretende-se, assim, valorizar a produção nacional numa perspetiva artística, bem como da comunicação com o público. Integram o Júri de Imprensa o distribuidor Nuno Gonçalves, e os jornalistas Fátima Lacerda e Vasco Câmara.

O derradeiro júri é o público que irá decidir quem ganhará o Prémio do Público Chama Amarela. A sua deliberação será realizada após o término do conjunto de sessões competitivas da Seleção Caminhos, pelo cálculo da média aritmética ponderada das votações expressas nos boletins de voto. Participe nesta decisão e viaje pelos Caminhos do Cinema Português de 23 de novembro a 1 de dezembro.

Toda a informação biográfica sobre as equipas de júri, bem como da programação está disponível em www.caminhos.info.

Tags:

Sobre nós

Cinema.

Subscrever