HISTÓRIA estreia em exclusivo série documental 40 ANOS DE DEMOCRACIA

Ao longo de 6 episódios, o jornalista e sociólogo Manuel Campo Vidal - diretor e guionista da produção-, recordará a História de Espanha desde o fim do Franquismo até às primeiras eleições democráticas, realizadas apenas 19 meses depois do desaparecimento de Francisco Franco, pondo a descoberto tudo aquilo que sempre se quis saber e nunca se contou sobre democracia.

 

Com testemunhos exclusivos de presidentes do governo, ministros, juristas, jornalistas, escritores, empresários e artistas que fizeram parte deste período, e imagens inéditas e som de arquivo, que nos contam uma história rigorosa, emocionante e pedagógica.

 

 

15 de junho de 1977. Os espanhóis são convocados para as primeiras eleições democráticas apenas 19 meses após o desaparecimento do general Francisco Franco. Espanha enfrenta uma etapa-chave na sua história. Com uma participação próxima de 80% do censo eleitoral, os espanhóis deixam claro que querem ser participantes deste processo sem precedentes. É o momento de deixar para trás a repressão e abraçar as liberdades que traz este novo caminho. Dá-se assim um dos períodos mais emocionantes e decisivos na história contemporânea espanhola.

Partindo desta perspetiva e coincidindo com o 40º aniversário das primeiras eleições democráticas em Espanha, que se realizam no dia 15 de junho de 2017, o HISTÓRIA estreia em exclusivo no dia 12 de junho , pelas 22horas , 40 ANOS DE DEMOCRACIA , uma ambiciosa série documental.

40 anos de Democracia percorre pela mão do jornalista e sociólogo Manuel Campo Vidal, - diretor e guionista da série documental-, tudo o que sempre quisemos saber e que nunca nos contaram sobre a Democracia. Esta série documental recordará a História de Espanha desde o fim do Franquismo até às primeiras eleições democráticas, apresentando uma compilação dos testemunhos dos protagonistas deste período fundamental da História de Espanha. Presidentes do Governo, políticos, juristas, jornalistas, escritores, empresários, artistas e cidadãos vão relatar como viveram os acontecimentos mais relevantes do país. Um amplo e rigoroso caminho de 40 anos através de 60 vozes em 300 minutos .

Ao longo de seis episódios, os telespetadores vão descobrir as personagens e os lugares que foram essenciais na recuperação democrática, assim como a evolução do país e dos seus cidadãos até aos nossos dias.

40 anos de Democracia parte de uma análise que contempla entrevistas exclusivas com os principais representantes desta época, imagens inéditas , som de arquivo e recriações de momentos significativos, com uma história rigorosa, emocionante e pedagógica.

O documentário conta com 60 testemunhos deste período crucial na história de Espanha. Entre eles, Presidentes do Governo (Felipe González, José María Aznar, José Luis R odriguez Zapatero e Mariano Rajoy); vários ministros e outros representantes políticos de todas as tendências entre os quais se encontram Ana Pastor, Pablo Iglesias, Albert Rivera e Artur Mas; juristas e redatores da Constituição como Miquel Roca; jornalistas de renome de diferentes meios de comunicação; escritores, empresários; artistas como Alaska e Ana Belén; é um dos políticos portugueses máis importantes da história: Mário Soares .

"Temos uma clara vocação em oferecer à nossa audiência toda a informação vinculada a acontecimentos históricos nacionais e internacionais. Com esta nova produção, através de uma viagem ampla e precisa pelos acontecimentos que marcaram este período da nossa história recente, vamos oferecer todas as informações sobre a evolução de Espanha, desde o fim da ditadura até aos dias de hoje. Através de uma abordagem rigorosa, e com o testemunho de 60 personalidades de todas as esferas e ideologias, o telespectador poderá recordar ou conhecer todos os avanços democráticos que ocorreram neste período. Em 40 anos de democracia, o canal HISTÓRIA realiza a série documental definitiva sobre uma das etapas mais emocionantes de Espanha” – refere Carolina Godayol, Diretora Geral do The History Channel Ibéria

 

SINOPSES:

ADEUS DITADURA, ADEUS

O jornalista e sociólogo Manuel Campo Vidal recordará a História de Espanha desde o fim do Franquismo até às primeiras eleições democráticas, realizadas apenas 19 meses depois da morte de Franco.

O primeiro episódio desta série documental mostrará como Suárez acabou por ser a chave perfeita para abrir o bunker , embora, no início, ninguém acreditasse nas suas capacidades, à exceção do Rei e de um círculo muito reduzido de colaboradores.

Em junho de 1977 realizaram-se as primeiras eleições livres em democracia, às quais se apresentaram mais de 20 partidos políticos, entre eles o recém-legalizado Partido Comunista.

Ganhou Suárez à frente da UCD, mas sem conseguir a maioria absoluta. Ele foi o piloto da transição, às ordens do Rei Juan Carlos e em diálogo com as principais forças da oposição.

SEGUNDA-FEIRA 12, 22:00h

 

CONSTITUIÇÃO CONTRA O GOLPISMO

A Constituição de todos os Espanhóis tinha começado a ser elaborada no Congresso no verão de 77, tal como nos relatam, em primeira mão, os três “pais” da Carta Magna que ainda se encontram entre nós.

Neste episódio será apresentado outra faceta dramática de Espanha, além do terrorismo e dos golpes de Estado: a Economia. O país enfrentava uma grave crise mundial que foi possível combater, pela primeira vez, graças a um acordo entre políticos, sindicatos e empresários: os Pactos de la Moncloa.

Neste episódio, será ainda relatado o desaparecimento da UCD e a fundação do Centro Democrático Social a 30 de julho de 1982 pelas mãos de Suárez. E foi nas eleições de 1982 que o PSOE obteve a sua primeira vitória nas urnas, com 202 deputados. Felipe González está determinado em modernizar Espanha, em acabar com o terrorismo e em integrar Espanha na União Europeia.

SEGUNDA-FEIRA 12, 22:50h

 

A MODERNIZAÇÃO DE ESPANHA

O primeiro presidente socialista é a personagem chave do episódio, Felipe González. Nesta parte, mostrar-se-á a evolução da sociedade até à modernização de Espanha durante os quatro mandatos do Presidente, de 1982 a 1996.

Trata-se de um episódio com declarações nunca antes feitas e momentos relevantes contados a partir de lugares históricos.

Como reconhecem Felipe González e o seu Vice-presidente Alfonso Guerra, não foram anos fáceis. Estes líderes receberam dois avisos sérios quando chegaram ao poder: um do golpismo e outro do terrorismo. Só em 1982 houve 37 assassinatos cometidos pela ETA. Posteriormente, os Grupos Antiterroristas de Libertação, conhecidos como GAL, mataram 20 pessoas relacionadas com a ETA de 1983 a 1987.

Aos problemas dos GAL, juntou-se o 14 de dezembro, com a greve geral em que participaram mais de 8 milhões de trabalhadores. 90% dos assalariados aderiu à greve, deixando as ruas desertas.

SEGUNDA-FEIRA 19, 22:00h

 

A ABERTURA ATLÂNTICA

Os protagonistas desta legislatura revelam-nos como continuaram as negociações com a ETA.

Neste período, o Presidente Aznar foi alvo de três tentativas de assassinato, como nos conta em exclusivo nesta série documental.

É o início das privatizações das grandes empresas públicas espanholas, o princípio da “bolha” imobiliária e financeira.

Foi dada muita atenção à política externa. Aznar assinou um pacto nos Açores com os Presidentes da UE e do Reino Unido, em que foi feito um ultimato ao Governo iraquiano para dar início ao seu desarmamento. Foi o preâmbulo da guerra do Iraque.

Um ano depois destas reuniões, Madrid foi alvo de um atentado terrorista que atingiu quatro carruagens de um comboio suburbano, levado a cabo por uma célula terrorista yihadista e que matou 192 pessoas e fez mais de 1000 feridos.

Três dias depois, realizaram-se eleições gerais, e o PP perdeu o Governo.

Começou então una nova etapa socialista pela mão de José Luis Rodríguez Zapatero. Será neste período que a ETA abandona as armas.

SEGUNDA-FEIRA 19, 22:50h

 

A DÉCADA PERDIDA

O jornalista Manuel Campo Vidal fala das mudanças que marcaram a sociedade espanhola a partir de 2004, durante os primeiros anos de governação do Presidente Zapatero. A primeira Lei contra a Violência do Género, o casamento gay , e a Lei da Dependência posicionam a sociedade espanhola na vanguarda dos países ocidentais.

Este episódio reconstrói o relato dos anos mais negros da crise financeira e da Bolsa, a mobilização dos cidadãos, os resgates e a política de austeridade.

Todas as vozes da cena política e social explicam as soluções, mudanças e sucessos que ocorreram nestes anos de grande avanços legislativos, mas também de bancarrota, desemprego, greves e perda de esperança… Uma época que vai desde o rebentar da “bolha imobiliária” até ao resgate e à política de austeridade.

SEGUNDA-FEIRA 26, 22:00h

 

O DECLÍNIO DO BIPARTIDARISMO

Este episódio descreve a história mais recente de Espanha, desde o movimento do 15 M, que acabou com o bipartidarismo nas eleições europeias em 2014, até ao esperado desarme da ETA.

Mostrará as reações e as diferentes táticas dos partidos políticos face ao desafio de um mapa político muito agitado com a participação dos principais impulsionadores desta mudança, como Pablo Iglesias, Ada Colau, Albert Rivera e Inés Arrimadas.

Nesta etapa, ver-se-á como a revolução digital também teve influência na incorporação de novas ferramentas, como as redes sociais, na implementação dos partidos políticos.

Esta viagem pela atualidade também abordará a corrupção, uma das maiores preocupações dos cidadãos, que persegue a Democracia desde a sua instauração.

No panorama internacional, o Presidente do Governo, Mariano Rajoy, juntamente com outros especialistas, falarão sobre o Brexit e o futuro da Europa.

SEGUNDA-FEIRA 26, 22:55h

 

HISTÓRIA

O HISTÓRIA emite as produções internacionais mais prestigiosas e apaixonantes da televisão como “World Wars”, “A Humanidade”, “O preço da História”, “Alienígenas”, e aposta na melhor produção própria com séries como “ Microassassinos”, “E de repente Teresa” e “Templários”. Um canal de referência que explora os feitos que transformam o mundo e aproxima o espectador da História. Uma forma de humanizar o passado, refletir o presente e iluminar o futuro.

Produzido por The History Channel Iberia , uma joint-venture entre a AMC International-Iberia e a A+E Networks, o HISTÓRIA é uma marca de prestígio internacional que está disponível em mais de 160 países e que chega a mais de 330 milhões de espectadores em todo o mundo. O canal é distribuído em Portugal na Meo, NOS, NOWO e Vodafone.

Para descarregar as imagens com resolução, aceda ao seguinte link:

http://informedia.com.pt/

user: historia2
pass: atrevia

Tags:

Sobre nós

Canal televisivo dedicado em exclusivo à História.

Subscrever

Media

Media