MERCADO DE ESCRITÓRIOS DA EUROPA OCIDENTAL REVELA PROCURA MAIS ELEVADA DESDE A CRISE FINANCEIRA

Lisboa, 1 de outubro de 2014 – Segundo o mais recente estudo da consultora imobiliária global CBRE, a procura de espaços de escritórios na Europa Ocidental atingiu o nível mais elevado desde a crise financeira. Lisboa destaca-se neste panorama como sendo uma das cidades que mais contribuiu para este crescimento.
 
Os ocupantes de imobiliário corporate estão a regressar ao mercado com novos requisitos para os espaços de escritórios, com a procura no segundo trimestre de 2014 a recuperar 21% face ao primeiro trimestre, representando o maior nível de absorção do mercado de escritórios na Europa Ocidental num segundo trimestre desde a recessão económica. Um elemento central foi a forte atividade em Lisboa e Milão, com Londres a manter a posição dominante enquanto destino popular para ocupantes corporate , com uma subida de 29% dos níveis trimestrais de absorção. Durante o segundo trimestre, os níveis de absorção em Milão mais do que duplicaram para 94.000 metros quadrados. Paralelamente, o mercado de escritórios de Paris, que esteve em baixa durante o período de recessão, com os ocupantes sem confiança suficiente para deslocalizações, registou o nível de absorção de escritórios mais alto no segundo trimestre dos últimos dois anos, o que representa uma subida de 28% face ao primeiro trimestre. Na Europa em termos totais, a absorção bruta subiu 12,2%, por comparação ao primeiro trimestre do ano.
 
Em Lisboa, no primeiro semestre de 2014 foram ocupados 41.020 m² de espaços de escritórios evidenciando um aumento de 58% relativamente ao período homólogo. A absorção do semestre reflete um total de 117 negócios, mais 38% que no mesmo período do ano passado. A zona do Saldanha – Avenidas Novas registou o negócio de maior dimensão do semestre, com  cerca de 4.000 m², e a maior quota de área ocupada no período, com 31% do total da absorção, seguido do Parque das Nações com 27%.
 
No segundo trimestre a taxa bruta de disponibilidade do mercado de escritórios da Europa Ocidental caiu, com a zona central de Londres a registar o terceiro decréscimo trimestral consecutivo das taxas de disponibilidade, com os espaços prime a apresentarem agora uma oferta muito limitada. Da mesma forma, o acréscimo da procura de espaços de escritórios em Bruxelas, Paris e Amesterdão também contribuiu para decréscimos dos níveis de disponibilidade. Frankfurt registou a queda mais assinalável, com a disponibilidade a cair acentuadamente pelo segundo trimestre consecutivo, devido à remoção de espaços obsoletos e à reconversão de edifícios comerciais antigos em unidades residenciais. Apesar disso, no segundo trimestre, a taxa de disponibilidade global manteve-se nivelada na Europa, desvirtuada por um grande volume de espaços de escritórios concluídos em mercados core da Europa Central e de Leste que estão ainda por ocupar. A título de exemplo, uma larga percentagem do stock de escritórios, que deverá crescer um mínimo de 10% em Praga, Varsóvia, Moscovo e São Petersburgo nos próximos 18 meses, está a ser construída numa base especulativa.
 
O impacto do decréscimo das taxas de disponibilidade do mercado de escritórios, em particular na Europa Ocidental, deverá exercer uma pressão ascendente nas rendas prime a longo prazo. Madrid, por exemplo, registou uma subida das rendas prime de 24,50 euros por metro quadrado por mês para 24,75 euros por metro quadrado por mês durante o segundo trimestre, representando o primeiro aumento das rendas desde a recessão e um sinal de melhoria da estabilidade económica. Os mercados de escritórios com melhor desempenho continuam a registar as subidas mais acentuadas nas rendas prime . No segundo trimestre, Dublin registou uma substancial subida das rendas de 14,2%, para 430,50 euros por metro quadrado por ano, em parte impulsionada por uma forte procura por parte de ocupantes dos setores de Tecnologia, Meios de Comunicação e Telecomunicações. O mercado do West End de Londres registou um aumento de 2,4% no crescimento das rendas no mesmo período.
 
Tim Hamilton, Senior Director do Departamento de Global Corporate Services da região EMEA da CBRE, explica:
 
“Verificamos um maior interesse das empresas em arrendar ou adquirir espaços, em particular na Europa Ocidental, o que é animador. Significa que os ocupantes corporate que nos últimos anos foram travados por restrições orçamentais e estratégias rígidas de gestão de custos, daí resultando uma contração dos níveis de absorção, se encontram agora em posição para expandir e ocupar novos espaços. Com o maior dinamismo dos mercados, o crescimento das rendas de escritórios prime deverá tornar-se mais generalizado ao longo dos próximos 12 meses, especialmente tendo em conta a oferta limitada e um pipeline de promoção de escritórios relativamente escasso. Após vários anos a tirar partido das rendas em queda, os ocupantes terão de começar a ponderar potenciais aumentos de rendas futuros nas suas tomadas de decisão estratégicas”.                                         
                                                                                 
                                                                                 
Siga-nos no Twitter: @CBRE_EMEA  
 
 
Sobre a CBRE  
 
O Grupo CBRE, Inc., é uma empresa classificada na Fortune 500 e S&P 500, com sede em Los Angeles, líder mundial na prestação de serviços para o setor imobiliário (dados relativos a 2013).  Com aproximadamente 44 mil colaboradores a nível mundial (excluindo empresas afiliadas), a CBRE desenvolve a sua atividade para promotores, investidores e ocupantes através de aproximadamente 350 escritórios em todo o mundo (excluindo empresas afiliadas). Entre os seus serviços contam-se a consultoria e mediação em operações de venda e arrendamento de imóveis, gestão de ativos imobiliários, gestão de projetos, serviços de avaliação, promoção, investimento imobiliário, research e consultoria. Em Portugal a empresa está presente desde 1988, prestando uma vasta gama de serviços em todo o território nacional. Para mais informações visite www.cbre.pt .
 

Tags:

Sobre nós

Prestação de serviços na área do mercado imobiliário a empresas nacionais e internacionais.

Subscrever