ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA: DE NOVO UM GRANDE MERCADO PARA PORTUGAL?

No último ano, a economia americana voltou a liderar o ranking mundial de países importadores, registando uns impressionantes 2 334 mil milhões de dólares em importações, 12,3% das importações mundiais ou, se quisermos, qualquer coisa como dez vezes o PIB português! O grosso das importações americanas continua a ser assegurado pela China (19.6% de quota de mercado) e pelos países vizinhos, Canada (14.6%) e México com 12.3% de quota.

As economias tradicionalmente fornecedoras dos EUA como o Japão (quota de 6.1%), a Alemanha (5%) o Reino Unido (2,3%), a França (9º fornecedor, quota de 2%) e a Itália (1,7%) têm conseguido manter a sua posição. Surpreendentemente, um pequeno país como a Irlanda consegue ocupar uma posição invejável, com quase 1,4% das importações americanas, a que não serão alheias as novas tecnologias e a influência da comunidade irlandesa e descendentes na sociedade americana! Outros países têm crescido neste mercado como é o caso da Coreia, Índia, Arábia Saudita e da Suíça, pelos motivos mais diversos.

E Portugal?

Ainda que os EUA sejam o nosso sexto cliente, Portugal queda-se num modestíssimo 58º lugar entre os fornecedores da América. Dizem-nos as estatísticas que os EUA são o segundo maior mercado para as empresas portuguesas fora da União Europeia (a seguir a Angola, obviamente) e que os nossos produtos, nos últimos 5 anos, cresceram 19% naquele mercado. Porém, os factos lembram-nos que este crescimento se ficou a dever essencialmente às exportações de gasóleo da GALP ainda que, obviamente, com todo o mérito para a petrolífera…

Apesar destes factos, o certo é que de uma forma geral os Estados Unidos continuam a despertar um interesse muito reduzido entre os Empresários portugueses, como o comprova um estudo intitulado “ A INTERNACIONALIZAÇÃO E O INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO COMO ‘DRIVERS’ DO CRESCIMENTO ” (Outubro de 2014), conduzido pelos Professores Adrián Caldart e Fátima Carioca, da AESE Business School. Apoiado num survey realizado junto de dois mil CEO’s portugueses o documento revela, de forma objetiva, o baixíssimo interesse e fraco grau de atratividade que o mercado norte-americano desperta junto dos Empresários. Os nossos empresários classificam este mercado de “ absolutamente irrelevante ” para alvo da sua estratégia de internacionalização (40% das respostas) e definem os Estados Unidos como prioridade muito secundária para as exportações, colocando-o depois de Angola, dos países de África subsariana, da América Central, do Brasil, de Espanha, da Europa central, do Médio Oriente, do Magreb, da China, do Perú e da Colômbia. Só depois destes mercados lhes poderá eventualmente interessar exportar para os Estados Unidos. Ou seja, o interesse neste mercado está, para os empresários portugueses, ao nível da Índia, dos países da Ásia ou da Oceânia!!!

Tendo em conta este contexto, a AEP-Associação Empresarial de Portugal decidiu promover um projeto interessantíssimo, intitulado “ NEXT CHALLENGE: USA ”, que será apresentado no Porto, no próximo dia 3 de Maio.

Com o objetivo de voltar a interessar as empresas portuguesas pelo maior mercado do mundo, e ir ao encontro das oportunidades que se abrem nos Estados Unidos da América, a AEP irá desenvolver durante dois anos um extenso programa de “ coaching” , apoiado por consultores americanos, que pretende ensinar às Empresas portuguesas a desenhar as suas estratégias e vender nesse Mercado, em ações de trabalho com os técnicos de exportação, direcionadas ao planeamento estratégico, ao conhecimento dos canais e cultura de negócios, às estratégias de produto, e táticas de apresentação e introdução que sejam adequados ao Mercado e atuem na Cadeia de Valor e na competitividade dos produtos portugueses.

O projeto NEXT CHALLENGE USA irá mobilizar mais de 150 PME’s portuguesas neste treino orientado para o Mercado , e conta com o apoio do COMPETE/Portugal 2020, através do sistema de apoio às ações coletivas. Estarão envolvidas empresas dos setores alimentar, mesa e decoração, materiais de construção, rochas ornamentais e setor complementar de defesa, para fins civis

A sessão de lançamento do próximo dia 3 de maio na AEP em Leça da Palmeira , conta com o apoio institucional da AICEP de Nova Iorque, e a participação da Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento e Embaixada dos Estados Unidos em Lisboa.

Como convidado especial irá estar presente um Consultor americano de referência, Peter R. Classen, conselheiro estratégico de várias corporações, que conduziu a entrada no mercado americano a mais de 70 companhias internacionais, a quem caberá a intervenção de fundo, intitulada “ How to Survive and Thrive in the US Market ”.

Tags:

Sobre nós

Empresa na área da Consultadoria Empresarial.

Subscrever

Media

Media