DPDgroup anuncia primeira rota comercial de entrega de encomendas por drones

Chronopost defende importância de salvaguardar a segurança pessoal e material, mas alerta que demasiadas restrições ao uso de drones podem limitar potencial de inovação das empresas e comunidades em Portugal

A Direcção-Geral da Aviação Civil (DGAC) francesa autorizou o DPDgroup, a filial de transporte expresso de encomendas do grupo La Poste, a operar uma linha comercial no departamento de Var, em França, tornando assim possível, pela primeira vez, uma rota comercial para a entrega de encomendas por drones.

Após dois anos de testes, coroados com sucesso, o DPDgroup, a rede internacional de entrega de encomendas da GeoPost e subsidiária do Grupo La Poste, recebeu autorização da Direcção-Geral da Aviação Civil francesa para a entrega de encomendas com drones numa rota regular de 15 km.

Uma vez por semana, o drone DPDgroup viaja entre Saint-Maximin-La-Sainte-Beaume e Pourrières, no sul da França, para fazer a entrega de encomendas numa incubadora de empresas, incluindo uma dúzia de startups especializadas em tecnologia. Tanto para a partida como para a chegada do drone, é utilizado um terminal de entrega – o ponto Pickup - para assegurar as fases de carregamento das encomendas, desde a descolagem até ao desembarque e colocação do pacote. O terminal possui:

uma estrutura que protege o acesso ao drone durante as fases de aterragem e de descolagem;

um sistema automatizado de transporte para o transporte da encomenda;

um sistema eletrónico dedicado à segurança das operações de manuseamento em torno do drone.

“Lei dos drones” pode limitar potencial de inovação das empresas e comunidades

Atualmente, apenas a Chronopost e a DPD em França têm a opção de enviar encomendas por drone até um ponto Pickup instalado propositadamente para o efeito, mas a possibilidade desta solução ser alargada a outros países é uma possibilidade. No caso concreto de Portugal, esta seria uma abordagem interessante, pela maturidade do mercado, sendo hoje a inovação uma necessidade estratégica para a maioria das empresas.

Tal inovação representa um passo em frente e uma nova maneira de abordar a questão das entregas de encomendas, especialmente quando se trata de áreas de difícil acesso, para as quais as entregas por drones podem ser uma solução. Por isso, e apesar da natural importância de salvaguardar a segurança pessoal e material, demasiadas restrições ao uso de drones podem limitar potencial de inovação das empresas e comunidades em Portugal. É importante considerar algum alívio às restrições impostas recentemente na chamada “Lei dos drones” e olhar para este fenómeno do ponto de vista dos benefícios que o uso regulado de drones pode trazer para as comunidades.

Um projeto de longo prazo

Foi em junho de 2014 que o DPDgroup, em parceria com a Atechsys, uma PME sediada no sul da França, começou a realizar testes para desenvolver o drone. Depois de vários testes e mais de 600 horas de voo, o drone DPDgroup demonstrou, em setembro de 2015, a sua capacidade de voar em completa autonomia ao transportar um pacote de 1,5kg durante mais de 14km.

Estes testes validam a abordagem escolhida pelo DPDgroup, visando o uso de drones para acesso a áreas de difícil acesso (montanhas, ilhas, áreas rurais, etc).

Esta primeira rota comercial representa uma nova etapa no programa liderado pelo DPDgroup. Depois da fase de teste, a fase de experimentação na rota regular pode agora começar.

Saiba mais vendo o filme preparado para o efeito:

https://www.youtube.com/watch?v=JqJgwVOp2xQ

Tags:

Sobre nós

Empresa líder no mercado doméstico no segmento B2B do transporte expresso, detém atualmente 13 estações (Vila Real, Porto, Guarda, Viseu, Coimbra, Leiria, Torres Novas, Póvoa de Santa Iria, Lisboa, Corroios, Évora, Faro e Funchal).

Subscrever

Media

Media