As palavras mais usadas pelos media portugueses em 2015

Presidente. Esta foi a palavra que mais se destacou nos meios de comunicação portugueses durante o ano de 2015. 

A Cision elaborou um estudo com a finalidade de apurar as palavras que mais se destacaram na agenda mediática nacional no ano de 2015 e, entre estas, as que mais vezes foram utilizadas. Através do algoritmo Cision de análise textual foi encontrado um conjunto de palavras que mais se notabilizaram nos órgãos de informação. Estas palavras foram posteriormente sujeitas a uma pesquisa para se chegar ao número final de referências que cada uma delas obteve nos órgãos de comunicação social. Desta forma, foi possível estabelecer um ranking das palavras mais mediáticas do ano de 2015. 

A palavra “Presidente” foi, entre as mais proeminentes, a mais referenciada em artigos noticiosos, com o impressionante registo de 712.486 menções. Nesta lista de palavras que mais se notabilizaram nos media nacionais seguiram-se as palavras “País”, com 655.485 referências, “Euros”, com 560.577 referências, e “Equipa”, com 480.364. A palavra “Euros”, que havia sido a palavra mais referenciada pelos media portugueses em 2014, foi desta forma substituída pela palavra “Presidente” no 1º lugar deste ranking, no ano de 2015.

O papel ativo desempenhado pelo Presidente da República no período conturbado pós eleições legislativas, e ainda as eleições presidenciais cuja campanha se encontra a decorrer neste preciso momento e que irão realizar-se a 24 janeiro de 2016, foram dois motivos fortes para que a palavra “presidente” se tornasse na palavra mais mencionada nos meios de informação nacionais, durante o ano de 2015.

Ficou a cargo da palavra “Acordo” fechar o Top 5 desta lista, com 467.293 referências apuradas em artigos noticiosos. E não parece levantar grandes dúvidas que a palavra “acordo” foi, definitivamente, uma das palavras que marcaram o ano de 2015, e especialmente o panorama político português. O “País” (a segunda palavra mais mencionada nos media nacionais) assistiu a um acordo histórico entre partidos que permitiu a solução que esteve na base do recém-formado governo socialista de António Costa. Um acordo amplamente divulgado, debatido e escrutinado pelos media nacionais.

E pelos motivos expostos é de uma forma quase natural que surge a próxima palavra que consta deste ranking mediático da Cision: “Governo”. A discussão em torno das soluções de governo , a nomeação de um governo de direita, a queda do mesmo na AR e a solução alternativa de governo à esquerda levaram a que a palavra governo continue a ser uma das palavras mais mencionadas na comunicação social portuguesa, à imagem do que aconteceu no ano passado.

É de ressalvar a relevância que continua a ter a palavra “euros” nos media nacionais, facto que parece consentâneo com aquela que continua a ser uma das fontes de maior preocupação da sociedade portuguesa atual.

Neste ranking de palavras seguem-se as palavras “Jogo”, “Empresa”, “Futebol” e, a fechar, a palavra “Iniciativa”. Esta última remete, mais uma vez, para a área política.   
 

O objeto de análise deste estudo, realizado pela Cision - líder global em Media Intelligence - são todas as notícias veiculadas no espaço editorial português, em mais de 2000 meios de comunicação social (televisão, rádio, online e imprensa).

O período temporal sobre o qual incidiu o estudo foi o período decorrido entre os dias 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2015, num total de mais de 5 milhões de artigos analisados.

Durante as próximas semanas, a Cision irá divulgar novos estudos sobre os media portugueses, sendo que o próximo irá debruçar-se sobre as personalidades portuguesas mais referenciadas em 2015. 

Tags:

Sobre nós

A Cision e lider global no fornecimento de servicos para planeamento, contacto, monitorizacao e analise dos media.

Subscrever

Media

Media