Multidão em Torres Vedras no Trial 4x4

Se em 2014 foi bom, em 2015 foi ainda melhor: Torres Vedras é um caso sério desucesso no trial 4x4. Por lá há muitas equipas, há oficinas de preparação de veículos, há umnúmero elevadíssimo de aficionados e agora há também uma prova de excelência. Pelosegundo ano consecutivo o clube Ecomotor lançou-se no desafio de organizar uma etapa doCampeonato Nacional de Trial 4x4 e fê-lo da melhor forma.

A lista de inscritos já deixava antever um bom dia para o trial 4x4 português. A etapa játinha sido a mais participada de 2014, com muitas equipas do Oeste presentes e, em 2015, ofeito repetiu-se. Em pista estiveram 30 equipas, repartidas pelas 4 categorias (Absoluto, XL,Super Proto e Promoção). O circuito era sobretudo de obstáculos naturais, num terrenoarenoso com rampas e degraus, onde predominam as subidas acentuadas. Apesar deapresentar muitas dificuldades, a pista de Torres Vedras revelou-se muito fluída, criando umexcelente espetáculo para as cerca de nove mil pessoas presentes.

Flávio Gomes não facilita

E já lá vão duas vitórias consecutivas para Flávio Gomes (TáBô Team 4x4). Desta vez opiloto não venceu o prólogo,e por isso não partiu em primeiro, mas foi logo na primeira voltaque agarrou a liderança e não a voltou a largar. O Jeep Wrangler amarelo impôs sempre umritmo muito forte e completou 26 voltas durante as três horas de resistência. Com duas vitóriasem duas provas é, naturalmente, o líder da Absoluto.

Rui Rocha (Team Rj 4x4) conseguiu a segunda posição da classe absoluto e foi umadas surpresas do dia. O piloto, natural de Arouca, fez duas provas da época passada, mas naclasse de promoção. Em 2015 quis dar o salto para a Absoluto e, depois do quinto lugar emValongo, conquistou a prata de Torres Vedras. O Toyota correspondeu às aspirações do piloto esó falhou mesmo a poucos metros da meta...

A completar o pódio da classe Absoluto surge outro piloto que está a dar as primeirasvoltas no trial 4x4: Jorge Araújo (Team Dediland/Tuff4x4). Acusou algum desgaste durante aresistência e, talvez por isso, cometeu alguns erros, mas nunca se distanciou de Rui Rocha.Depois do segundo lugar em Valongo e terceiro em Torres Vedras, Jorge Araújo está na vice-liderança da geral.

Rui Querido sofreu mas venceu

Não foi nada fácil esta vitória para Rui Querido. O campeão da categoria XL em 2014teve um contratempo logo na primeira volta e perdeu muito terreno para a concorrência, mascom a garra e persistência que já lhe são conhecidas nunca desistiu e foi subindo naclassificação. Na última volta, num misto de determinação e alguma sorte, deixou osadversários para trás e completou 18 voltas, mais uma do que o segundo classificado.

Carlos Rodrigues (Valvolinas /XS5/ Leirilumen) aproveitou o desaire inicial de RuiQuerido para conquistar alguma vantagem. Não teve travões durante a última hora de prova,mas foi gerindo com a caixa de velocidades. Liderava quando, na última volta, teve umproblema com o guincho e ficou retido num obstáculo. Com a vitória em Valongo e a prata emTorres Vedras é o líder da categoria XL – com mais 5 pontos do que Rui Querido - e deve serlevado em atenção para as contas finais do Campeonato.

O navegador de Bruno Fernandes (JMF) teve uma lesão muscular a 30 minutos dofinal, mas nada que tivesse prejudicado a classificação. O piloto terminou a resistência acinco voltas do segundo classificado

Irmãos Lourenço fazem bis

Se em Valongo não tinham concorrência e por isso a vitória foi fácil, em Torres Vedras,Ricardo e Paulo Lourenço (Pizzaria Refúgio) tiveram de lutar muito durante a resistência.Durante as duas primeiras horas travaram um verdadeiro duelo com Alexandre Lemos (TeamSerrão), mas os problemas com o WRC do piloto de Macedo de Cavaleiros deram vantagemaos irmãos. Terminaram as três horas com 17 voltas. Com menos cinco terminou FilipeEsteves (F.Power), nesta estreia "muito positiva" no CNTrial 4x4. Alexandre Lemos completou opódio com 11 voltas ao circuito.

Rui Policarpo vence outra vez

10 equipas entraram em pista para disputar a Classe Promoção. À semelhança deValongo, Rui Policarpo (TransAct Lat Team) venceu o prólogo, partiu em primeiro, e assimacabou as duas horas de resistência.

O segundo e o terceiro lugares são para dois estreantes: João Rebelo (Trial cars) eJoão Vicente (Team Jot4x Gs), respetivamente. Ambos aguentaram as duas horas deresistência sem qualquer avaria ou paragem. João Rebelo terminou a apenas um minuto e 36segundos do vencedor e João Vicente a uma volta dos dois primeiros classificados.

O Campeonato Nacional de Trial 4x4 ruma agora a norte, com uma estreia em Chaves.O Nordeste Transmontano recebe a 3.ª etapa no fim de semana de 9 e 10 de maio.

PEDRO LAMY IMPRESSIONADO COM TRIAL

Entre os milhares de pessoas que estiveram na pista deSarge, Torres Vedras, estava Pedro Lamy. Mais habituado àvelocidade, um dos maiores nomes do desporto automóvelportuguês não deixou de referir como o trial 4x4 o impressionou.

"Isto é espetacular. Os carros a subirem estas dificuldadestodas.. é incrível a forma como a prova está desenhada.

Eu vi aí máquinas muito bem cuidadas e muito bem preparadas para estas dificuldades.A modalidade está a evoluir e o futuro trará máquinas ainda melhores. Estão todos deparabéns" , declarou o piloto português durante esta prova de Torres Vedras.

Tags:

Sobre nós

Campeonato nacional de Trial 4x4.

Subscrever

Media

Media