Para a prevenção da obesidade infantil é determinante o dispêndio energético associado à prática de atividade física intensa

O balanço energético associado aos programas de atividade física que visam um perfil saudável de composição e reduzir a adiposidade deve compreender atividades de intensidade elevada

Um estudo desenvolvido pelo Laboratório de Exercício e Saúde da Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa revelou que para reduzir o índice de massa gorda nas crianças é necessário incluir a prática de atividade física intensa. A avaliação, realizada com acelerómetros em 175 raparigas e 168 rapazes, entre os 10 e os 12 anos, teve como objetivo determinar as associações entre a dose de dispêndio energético de intensidade moderada versus intensidade elevada e a obesidade total e abdominal infantil. Foi observado que este indicadores de obesidade estavam somente associados com a atividade física de intensidade elevada.

As diretrizes da prática da atividade física defendem que as crianças devem praticar pelo menos 60 minutos de atividade moderada por dia e que as intensidades elevadas devem ser incorporadas pelo menos 3 vezes por semana. Embora ainda não esteja clarificado o contributo da intensidade da atividade física, este estudo vem chamar a atenção para a importância da intensidade elevada com a finalidade das crianças terem um perfil mais saudável de composição corporal.

Esta investigação foi apresentada no 10th International Symposium on Body Composition que se realizou em Portugal entre os dias 11 e 14 de junho e faz parte dos trabalhos científicos publicados no livro de Resumos que contém as conclusões e as apresentações expostas durante o simpósio.

Diana A. Santos, João P. Magalhães, Cláudia S. Minderico, & Luís B. Sardinha
Laboratório de Exercício e Saúde, Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa, Portugal

Tags:

Sobre nós

Empresa de refrigerantes.

Subscrever