Segurança nas linhas urbanas da CP Lisboa

O Conselho de Administração da CP tomou ontem conhecimento, com muita preocupação, da agressão ocorrida na Damaia, a um revisor da empresa que se encontrava no exercício das suas funções. Esta agressão revestiu-se particular gravidade, pela sua dimensão e violência, tendo este trabalhador da CP sido assistido por equipa do INEM no local e, posteriormente, no hospital. A CP continua a acompanhar a evolução deste caso, prestando ao trabalhador em causa a assistência necessária.
 
Os serviços urbanos da CP em Lisboa asseguram anualmente o transporte de mais de 75 milhões de passageiros, sendo que, no período de verão se registam naturais picos de procura. Este incremento de procura suscita, da parte da empresa, acréscimo significativo das medidas de segurança de pessoas e bens, neste período e nas zonas identificadas como mais criticas, tanto no contingente de equipas de segurança privada presentes em diversos pontos da rede, como na articulação com as forças de segurança pública. Para 2016, estes procedimentos foram também seguidos.
 
No entanto, face a este caso extremo, a administração da CP solicitou já uma audiência ao Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, com carater de urgência, para que sejam tomadas as medidas adequadas, que possam garantir a segurança de clientes e funcionários da CP a bordo dos seus comboios.

Tags:

CP

Sobre nós

Empresa portuguesa de transporte ferroviário. Sucedeu em 2009 à empresa Caminhos de Ferro Portugueses, esta última tendo já sucedido em 1976 à empresa Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.

Subscrever