Exploratório inaugura exposição na Science Photo Gallery

“A Mata Atlântica vai até minha casa: fauna e flora” é a exposição, da autoria de Savio Figueira Corrêa, que o Exploratório vai inaugurar no próximo sábado, dia 12 de janeiro de 2019, às 16H00. Na sessão de abertura, que contará com a presença do autor da exposição, terá lugar um momento musical com o Coro Misto da Aposenior.

A Science Photo Gallery do Exploratório – Centro ciência Viva de Coimbra vai inaugurar, no próximo sábado, às 16H00, a exposição “A Mata Atlântica vai até minha casa: fauna e flora”, um projeto de Savio Figueira Corrêa, professor de Física na Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais. A sessão de inauguração da nova exposição da Science Photo Gallery, que tem entrada livre, conta com a presença do autor.

A Mata Atlântica está no centro da exposição de fotografia a retratar, em imagens que parecem interpelar diretamente a corda sensível e estética de quem as vê, a importância da preservação ambiental de um dos seis grandes biomas brasileiros. Aquela que é uma das florestas mais ricas em diversidade de espécies da fauna e da flora do planeta e que, infelizmente, se encontra ameaçada de extinção, é dada a conhecer em 20 belíssimas fotografias, que agora se mostram na Science Photo Gallery.

Os retratados, animais e plantas símbolos de um país continente que é, ainda, apesar dos muitos atropelos, santuário da biodiversidade no mundo, parecem gritar a quem os vê a importância de preservar uma floresta que cobre 15% do território brasileiro, estendendo-se por um total de 17 estados, 14 dos quais na costa Atlântica.

A importância de preservar esta ainda imensa e extraordinária mancha florestal é o grande objetivo do autor da exposição que, assume o privilégio, tem a Mata Atlântica “mesmo em frente a casa”. A variedade da flora, com frutos em diferentes estações do ano, acaba por facilitar a "visita" de muitos animais da mata que, mesmo inadvertidamente, se ofereceram ao olhar atento e perscrutador de Savio Figueira Corrêa.

Depois de explicar aos seus três filhos pequenos "a importância de preservar as florestas", mostrando que “podemos conviver de forma harmoniosa com a natureza, cuidando do nosso planeta”, é a um público mais vasto, agora em Coimbra, no Exploratório, que o autor oferece a dádiva e lança o alerta que é esta exposição de fotografia.

Natural de Bom Jardim, Estado do Rio de Janeiro, Brasil, Savio Figueira Corrêa é licenciado em Física, mestre e doutor em Ciências Naturais. É professor de Física na Universidade Federal de Ouro Preto, no campus de João Monlevade, em Minas Gerais. Descendente de italianos e portugueses, é oriundo de uma família de cientistas, músicos e artistas, casado e pai de três filhos, a quem é extremamente dedicado.

A paixão pela fotografia descobriu-a quando, a estudar em Roma e, depois, em Estugarda, registou metodicamente a sua passagem por essas cidades. De volta ao Brasil, Savio Figueira Corrêa dedicou-se ao registo fotográfico da sua vida familiar, até que, em 2015, percebeu a oportunidade de juntar três circunstâncias fundamentais do seu percurso: a paixão pela fotografia, a formação académica na área das Ciências Naturais e a localização privilegiada da sua residência. Esta é a primeira exposição deste fotógrafo que se diz amador. 

Tags:

Sobre nós

Primeiro centro interativo de Ciência em Portugal, constituído em 1995 como associação sem fins lucrativos, tendo a Universidade de Coimbra e a sua Faculdade de Ciências e Tecnologia como principais associados fundadores e a Casa Municipal da Cultura de Coimbra como anfitriã.

Subscrever

Media

Media