Exploratório leva conferências sobre a floresta a Castelo Branco, Proença-a-Nova e Sertã

O Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra promove um ciclo de conferências no âmbito da exposição “A Floresta. Muito mais do que madeira”, em Castelo Branco até 21 de fevereiro. O ciclo, a resultar de uma parceria com a Fundação “la Caixa”, tem início esta quinta-feira, dia 14 de fevereiro, na Biblioteca Municipal de Castelo Branco, com Elizabete Marchante “À conversa sobre plantas invasoras: o que são, onde estão e como as controlar”. Seguem-se conferências de Raquel Pires Lopes, António Coutinho e Paulo Magalhães, em Proença-a-Nova, Castelo Branco e Sertã.

A Fundação “la Caixa” está a apresentar a exposição “A Floresta. Muito mais do que madeira” na cidade de Castelo Branco. O Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra, em parceria estabelecida com a Fundação “la Caixa”, promove um ciclo de conferências sobre a floresta, todas com entrada livre e início marcado para esta quinta-feira, dia 14 de fevereiro. O ciclo de quatro conferências, a decorrer em Castelo Branco, Proença-a-Nova e Sertã, conta com a participação dos investigadores Elizabete Marchante, Raquel Pires Lopes, António Coutinho e Paulo Magalhães.

“À conversa sobre plantas invasoras: o que são, onde estão e como as controlar", pela investigadora do Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra Elizabete Marchante, é a conferência de abertura do ciclo. Realiza-se a 14 de fevereiro, esta quinta-feira, às 17h00, na Biblioteca Municipal de Castelo Branco.

Segue-se a conferência “Árvores monumentais, estórias, mitos e tradições”, por Raquel Pires Lopes, do Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Professores da Universidade de Aveiro, na sexta-feira, 15 de fevereiro, às 18h00, no Centro Ciência Vida da Floresta, em Proença-a-Nova.

A 19 de fevereiro, às 17H00, na Biblioteca Municipal de Castelo Branco, António Coutinho, professor e investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, apresentará a palestra com o título “Uma perspetiva cultural para as árvores e arbustos dos Bosques Mediterrânicos - lendas da Mitologia a eles associadas e origem dos seus nomes científicos”.

A encerrar o ciclo, no dia 21 de fevereiro, às 18h00, no SerQ - Centro de Inovação e Competências da Floresta, na Sertã, Paulo Magalhães, comissário da exposição “A Floresta. Muito mais do que madeira” e responsável pela Casa Comum da Humanidade em Portugal, apresentará a conferência com o tema “Dos tangíveis aos intangíveis florestais: um novo quadro conceptual de suporte à sustentabilidade”.

“A Floresta. Muito mais do que madeira” é a primeira exposição itinerante da Fundação “la Caixa” em Portugal. Um dos seus grandes objetivos é demonstrar que a floresta, mais do que um conjunto de árvores, é um complexo ecossistema onde habitam e se relacionam um grande número e variedade de seres vivos.

Tags:

Sobre nós

Primeiro centro interativo de Ciência em Portugal, constituído em 1995 como associação sem fins lucrativos, tendo a Universidade de Coimbra e a sua Faculdade de Ciências e Tecnologia como principais associados fundadores e a Casa Municipal da Cultura de Coimbra como anfitriã.

Subscrever

Media

Media