De Faro a Portalegre numa toada de sensações

Da serra algarvia à planície alentejana. Da frescura matinal ao calor vespertino. Da imponência do Pulo do Lobo ao banho de multidão em Portalegre. Sensações diversas ao longo dos mais de 430 quilómetros da primeira etapa do 20.º Portugal de Lés-a-Lés, com ligação entre Faro e Portalegre de paisagem tão heterogénea quanto cativante. A começar pela Estrada Património N2, cujos quilómetros iniciais ‘tiraram’ a caravana de Faro rumo à serra algarvia, com continuidade através das não menos deliciosas curvas da N124, rebatizada como Estrada Helena Costa, evocando a curvilínea sensualidade da atriz que começou em Morangos com Açúcar, que participa na Herdeira, telenovela em exibição na TVI e que, uma vez mais, marca presença no Lés-a-Lés.

Prazeres de condução que se prolongaram durante 70 deliciosos quilómetros, terminando de forma quase abrupta em Alcoutim, onde a feira baralhou o trajeto em dia de feriado do Corpo de Deus, obrigando os participantes a desenrascar e descobrir novo itinerário. Ponto positivo para os mais madrugadores do enorme pelotão com quase 2000 motos e mais de 2100 mototuristas, que viram o tempo nebuloso que escondeu a imponência da serra do Caldeirão dar lugar a um sol ora tímido ora mais espevitado. Valeram as curvas iniciais para arredondar e aquecer os pneus, antes da aventureira passagem a vau na Ribeira de Carreira… com água que mal deu para molhar os pneus!

Momentos marcantes do primeiro dia do evento organizado pela Federação de Motociclismo de Portugal com o apoio de muitos motoclubes, como Os Falcões das Muralhas, de Mértola, que criaram Oásis de fabulosa gastronomia, dos enchidos aos queijos, passando pelo pão alentejano e pelos diversos exemplos caseiros de doçaria regional. Uma delícia a juntar à não menos espetacular passagem pelo centro histórico da bela vila raiana! Mas a grande novidade do dia foi mesmo a descida ao Pulo do Lobo, pela primeira vez pelo lado sul da formação geológica que afunila o rio Guadiana, concentrando todo o caudal em estreito fio de água. Estreia absoluta no Lés-a-Lés que justificou largamente os quilómetros de desvio em estrada estreita e piso irregular em terra batida, antes das longas retas alentejanas pintalgadas de verde, sem a secura de anos anteriores, cortesia de um inverno tardio. Paisagens apreciadas em tranquilidade num dia longo onde os oásis foram quebrando a monotonia e ajudando a ultrapassar um tempo algo abafado, como aconteceu em Beringel, berço de conhecidos músicos, de António Zambujo a Linda de Suza ou Cândida Branca Flor, e onde a Honda e o Grupo Motard local criaram aprazível espaço de descanso e convívio.

Rumo a Évora Monte, passagem ao largo de Alvito, Viana do Alentejo, Estremoz e Évora, para chegar ao mais exclusivo castelo da arquitetura portuguesa e logo no mais apertado local de parqueamento de todo o Lés-a-Lés. Mais à vontade parou a caravana em Monforte, com possibilidade de opção entre a visita ao Centro de Interpretação da Tauromaquia ou aos vestígios romanos da Ponte à saída da vila até às ruínas de Torre de Palma. ‘Aula histórica’ encerrada no Parque Natural da Serra de São Mamede, abordado ao de leve mas com possibilidade de uma vista ímpar sobre a cidade de Portalegre, onde seria dispensada inusitada receção por parte da população. Uma enchente de público a ovacionar os aventureiros como nunca se vira em 20 anos de existência do Portugal de Lés-a-Lés, em remate de um dia realmente único. Melhor mesmo só aproveitar a presença das massagistas do Instituto de Medicina Tradicional, cuja eficácia e simpatia sempre ajuda a minimizar o esforço de mais de 400 quilómetros de mototurismo de excelência. E a preparar o corpo para a segunda etapa, ligação bem exigente entre Portalegre e Lamego, que, recorde-se, é sempre feita à ‘moda antiga’ trocando autoestradas, Itinerários Principais ou Secundários, ex-SCUT pelas estradas nacionais, regionais, municipais e até alguns caminhos de terra batida, forma única de chegar a alguns dos locais mais isolados e menos conhecidos de Portugal Continental.

Tags:

Sobre nós

Portal da Federação de Motociclismo de Portugal.