Inquérito Ford Revela que a Maioria dos Peões Jovens Atravessa a Estrada a Falar ao Telefone, a Enviar Mensagens e a Ver Vídeos

  • Um novo inquérito da Ford revela que a maioria dos utilizadores de smartphones continua a usar o telemóvel ou outros dispositivos enquanto atravessam a estrada, cerca de metade deles a falar ao telefone e alguns até a ver vídeos
  • De acordo com dados oficiais 85,525 peões perderam a vida nas estradas europeias entre 2003 e 2013. Os acidentes de carro são a principal causa de morte de jovens entre os 18 e os 24 anos
  • O inquérito, realizado entre 10,000 europeus, conclui que os jovens entre os 18 e os 24 anos são os mais propensos a utilizar telemóveis e outros dispositivos, falar ao telefone e ouvir música enquanto atravessam a estrada
  • O premiado programa da Ford para jovens condutores Ford Driving Skills for Life está dedicado a dar formação e a destacar os riscos ao volante
  • A tecnologia de detecção de peões da Ford está desenhada para detectar pessoas na estrada ou que podem cruzar-se na trajectória do veículo e que pode activar os travões se o condutor não reagir
  • Inquérito também mostra que a maioria das pessoas se sente mais segura sabendo que os veículos autónomos ou os veículos equipados com tecnologias semiautónomas, podem ajudar a prevenir ou reduzir a gravidade de um acidente

COLÓNIA, Alemanha, 29 de Outubro 2015 – Nenhum passeio ou passadeira está livre de possíveis percalços, nesta era de peões concentrados no smartphone . Mais preocupante, porém, é que muitas pessoas continuam a usar os seus telefones e dispositivos móveis, mesmo ao atravessar ruas movimentadas.
 
A Ford encomendou um inquérito a 10,000 pessoas de toda a Europa para dimensionar o problema dos peões que atravessam a estrada distraídos, incluindo situações onde não existem pontos de passagem oficiais.* De acordo com números oficiais, mais de 85,000 peões perderam a vida nas estradas europeias entre 2003 e 2013,** e os acidentes de viação são a principal causa de morte entre jovens de 18 a 24 anos de idade.***
 
A maioria dos utilizadores de smartphones entrevistados (57 por cento) admitiram utilizar os seus dispositivos quando atravessam a estrada, mesmo quando não existe uma zona de passagem formal, e cerca de metade (47 por cento) afirmaram falar ao telefone nesta situação. Os indivíduos com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos de idade são os mais propensos a usar telefones ou dispositivos móveis (86 por cento), falar ao telefone (68 por cento), escutar música (62 por cento), enviar mensagens (34 por cento), e sofrer um acidente ou estar perto disso (22 por cento) enquanto atravessam a estrada.
 
A Ford está a destacar os riscos decorrentes de peões distraídos nos cursos Ford Driving Skills for Life (DSFL) , o premiado programa de condutores principiantes, que facilitou formação ao Volante a mais de meio milhão de pessoas em todo o mundo, através de cursos práticos presenciais e online, desde o seu lançamento nos EUA há 11 anos atrás. O programa foi lançado na Europa em 2013 e já se realiza na Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Holanda, Itália, Reino Unido, Roménia, Rússia e Turquia, em colaboração com organizações de segurança rodoviária de referência. Os cursos também incidem nos riscos da condução sob os efeitos do álcool e de usar as redes sociais enquanto se conduz.
 
“Uma coisa é andar no passeio a ouvir música com os auriculares colocados, mas atravessar uma estrada enquanto se envia uma mensagem de texto, se joga um jogo, ou se navega na internet é extremamente perigoso,” disse Jim Graham, responsável pelo programa Ford DSFL. “Os nossos cursos fazem com que os estudantes sejam mais conscientes do ambiente em seu redor, como condutor ou passageiro, para que possam antecipar o mais cedo possível os perigos.”
 
No total, 32 por cento dos peões admitiram ouvir música, 14 por cento enviaram mensagens de texto, 9 por cento navegaram na internet, 7 por cento usaram as redes sociais e 3 por cento jogaram jogos ou viram vídeos ou televisão enquanto atravessavam estradas. A maioria admitiu que o comportamento era perigoso e 60 por cento assegurou que se sentiram mais seguros ao saber que os veículos autónomos ou veículos equipados com tecnologias semiautónomas poderiam intervir para prevenir ou reduzir a gravidade de um acidente se o condutor não respondesse aos avisos.
 
A Ford lançou recentemente uma nova tecnologia de detecção de peões que poderá ajudar o condutor a reduzir a gravidade dos acidentes ou a evitá-los totalmente. A Assistência à Pré-Colisão com Detecção de Peões, já disponível no Galaxy, Mondeo e S-MAX, pode em determinadas circunstâncias, detectar pessoas na estrada ou que podem cruzar a trajectória do veículo, e pode activar automaticamente os travões se o condutor não responder aos alertas.
 
O sistema processa a informação recolhida por uma câmara instalada no pára-brisas e de um radar localizado no pára-choques, e compara com a base de dados de “formas de peões” para distinguir as pessoas de objectos e elementos habituais em redor das estradas. Embora o novo sistema possa ser útil em situações inesperadas, não substitui o condutor e tem limitações, como durante a noite, condições de baixa e deficiente iluminação, determinadas condições meteorológicas e veículos em movimento numa direcção diferente.
 
Entre os peões dos 10 países alvo deste inquérito, os romenos tinham maior probabilidade de atravessar a estrada enquanto utilizam os smartphones (83 por cento), seguidos pelos italianos (67 por cento) e pelos espanhóis (65 por cento); os romenos são também os mais propensos a continuar uma chamada telefónica (79 por cento) e ouvir música (46 por cento). Na Dinamarca têm mais probabilidade de enviarem mensagens de texto (21 por cento), os italianos de navegar na internet (12 por cento), jogar (cinco por cento) e ver vídeos ou televisão (4 por cento). Os turcos são os mais dados a utilizar as redes sociais (10 por cento).

* Inquérito conduzido entre 02 / 09 / 2015 e 13 / 09 / 2015. Amostra: 10,022 adultos utilizadores de smartphone ou dispositivo móvel, na Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Holanda, Itália, Reino Unido, Roménia e Turquia.
 
** European Transport Safety Council http://etsc.eu/making-walking-and-cycling-on-europes-roads-safer-pin-flash-29/
 
*** European Commission Road Accident Database

Sobre a Ford Motor Company
A   Ford Motor Company, empresa líder da indústria automóvel global, com sede em Dearborn, Michigan (EUA), produz e distribui automóveis em seis continentes. Com aproximadamente 197.000 empregados e 67 fábricas em todo o mundo, as marcas automóveis da empresa incluem Ford e Lincoln. A companhia presta serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. Para mais informações sobre a Ford e os seus produtos em todo o mundo, por favor consulte   www.corporate.ford.com .
 
A Ford Europa é responsável por produzir, comercializar e assistir os veículos da marca Ford em 50 mercados e emprega aproximadamente 53,000 trabalhadores nas suas instalações e aproximadamente 68,000 incluindo as ‘joint-ventures’. Em conjunto com a Ford Motor Credit Company, as operações da Ford Europa incluem a Divisão de Serviço ao Cliente e 24 instalações fabris (16 detidas integralmente ou instalações em ‘joint-ventures’ consolidadas e 8 em 'joint-ventures' não consolidadas). Foi em 1903 que os primeiros veículos Ford foram transportados para a Europa, no mesmo ano em que a Ford Motor Company foi fundada. A produção europeia iniciou-se em 1911.

Tags:

Sobre nós

Representante da Marca Ford em Portugal.

Subscrever

Media

Media