Fraunhofer Portugal Challenge premeia ideias inovadoras criadas em Universidades portuguesas

Os vencedores do Fraunhofer Portugal Challenge 2017 foram conhecidos na passada quarta-feira, num evento que colocou em destaque a capacidade de inovação dos estudantes e investigadores portugueses.

Um projeto que pretende facilitar o desenvolvimento de aplicações interativas multimodais, multidispositivo, multiplataforma e multilingues, da autoria de Nuno Almeida, e um método que permite uma melhor e mais fiável avaliação de imagens de ressonância magnética cerebral de pacientes com esclerose múltipla, da autoria de Rafael Simões. Foram estas as ideias galardoadas com o 1.º prémio nas duas categorias a concurso (Mestrado e Doutoramento), no evento de encerramento do Fraunhofer Portugal Challenge 2017, que decorreu na passada quarta-feira.

O concurso organizado pelo Fraunhofer Portugal AICOS, que já vai na sua 8.ª edição, desafiou estudantes e investigadores portugueses a apresentar a ideia desenvolvida na respetiva tese de Mestrado ou Doutoramento. Os vencedores receberam prémios científicos no total de 9.000€, que poderão servir de impulso para concretizarem as suas ideias.

Ainda na categoria de Doutoramento, o 2º lugar foi atribuído a Nuno Moniz, que desenvolveu um método de previsão de popularidade de conteúdo online. O terceiro classificado foi José Sousa, que criou um novo método de investigação de acidentes de viação, baseado na utilização de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT), também conhecidos como drones.

Já na categoria de Mestrado, João Monteiro arrecadou o título de 2.º lugar, com a app HealthTalks, que funciona como um sistema gestão de informação médica pessoal e pretende melhorar a comunicação entre médico e paciente, fornecendo informações sobre termos médicos. A ideia de João Ferrão, um biossensor colorimétrico não enzimático em papel, que determina níveis de glucose de forma fácil, rápida e barata, mereceu o 3º lugar.

O concurso premeia a investigação de utilidade prática nas áreas das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), Multimédia ou outras Ciências conexas, nomeadamente ideias inovadoras que serviram de base a teses de Mestrado ou Doutoramento.

A cada ano, o Fraunhofer Portugal Challenge tem vindo a premiar ideias de excelência e a incentivar a inovação no âmbito da investigação no meio académico português. Nesta edição foram submetidas 44 candidaturas, oriundas de 21 Instituições de Ensino Superior diferentes, de todo o país, incluindo Madeira e Açores.

As ideias foram avaliadas de acordo com critérios como o grau de inovação, exequibilidade técnica, e potencial de mercado. Os projetos foram avaliados por um júri composto por membros do Fraunhofer Portugal AICOS, nomeadamente: Liliana Ferreira (Diretora), Pedro Almeida (Membro do Conselho Executivo) e Filipe Soares (Presidente Interino do Conselho Cientifico), bem como um painel de peritos convidados que incluiu João José Pinto Ferreira (Diretor de Curso de Mestrado em Inovação e Empreendedorismo Tecnológico da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto), Clara Gonçalves (Diretora Executiva do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto), Pedro Aguiar (CEO da Ah Business) e Nuno Carvalho (CEO da Healthcare City).

Sobre a Fraunhofer Portugal

A Fraunhofer Portugal tem como missão promover a investigação aplicada com o intuito de fomentar o desenvolvimento económico e, simultaneamente dar resposta a um conjunto de necessidades da população. É uma associação sem fins lucrativos, reconhecida pelo Estado Português como Pessoa Coletiva de Utilidade Pública. Com sede no Porto, foi criada em 2008 pela Fraunhofer-Gesellschaft, a maior organização de investigação aplicada da Europa, e pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã.

Também criado em 2008, o Fraunhofer Portugal AICOS (Research Center for Assistive Information and Communication Solutions) é o primeiro centro de investigação da Fraunhofer em Portugal e resulta de uma parceria estratégica entre a Fraunhofer-Gesellschaft e a Universidade do Porto. O Fraunhofer Portugal AICOS atua em duas grandes áreas: “Ambient Assisted Living” (AAL) e Tecnologias de Informação e Comunicação para o Desenvolvimento (ICT4D). A investigação desenvolvida no Fraunhofer Portugal AICOS é direcionada para dois grupos de utilizadores prioritários: os idosos e as populações de países em desenvolvimento, e tem como intuito criar soluções tecnológicas inovadoras e intuitivas e facilitar o acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação. O Fraunhofer Portugal AICOS tem competências científicas em três áreas primordiais: Interação Pessoa-Computador, Processamento de Informação e Computação Autónoma.

Tags:

Sobre nós

A Associação Fraunhofer Portugal Research (Fraunhofer Portugal) promove e coordena a cooperação entre os seus centros de investigação, outras instituições de investigação e parceiros industriais, com o objectivo de levar a cabo investigação aplicada com utilidade directa para empresas privadas e públicas, originando benefícios para a sociedade como um todo.

Subscrever

Media

Media