Pinhal de Leiria recebe 113 mil árvores do Movimento Terra de Esperança

Última ação de voluntariado da época de plantação de floresta mobiliza mais de 500 pessoas
13 mil pinheiros plantados em 10 hectares e 100 mil adicionais doados ao Pinhal de Leiria pela Fundação Galp e ANEFA para plantação posterior
No balanço dos primeiros seis meses do MTE foram mobilizados mais de 1.500 voluntários e plantados, até agora, 53.700 carvalhos, castanheiros, sobreiros, pinheiros, medronheiros, frei-xos e outras espécies autóctones
Iniciativas desde novembro abrangeram terrenos em Arganil, Mangualde, Vila Nova da Barqui-nha, Pedrogão Grande, Torres Vedras e Marinha Grande, entre outros

O movimento Terra de Esperança (TEM) mobilizou mais de 500 voluntários para uma ação de reflorestação de 10 hectares do Pinhal de Leiria, devastado em 80% da sua área pelos incêndios do ano passado. Até ao final do dia, este terreno contará com 13 mil pinheiros.

Além da iniciativa de hoje, que encerra a época de reflorestação, a Fundação Galp e a Associação Nacional das Empresas da Floresta e Ambiente (ANEFA) doaram 100 mil árvores adicionais ao Pinhal de Leiria para plantação posterior.

Os 10 hectares hoje reflorestados pertencem a um talhão de 35 hectares cuja recuperação foi assumida pela Galp.

Esta ação de voluntariado, assegurada por colaboradores da Galp, familiares, amigos e parceiros, decorre junto à Aldeia de Pilado (Marinha Grande) e à semelhança das ações anteriores, privilegia as espécies arbóreas autóctones, neste caso os pinheiros bravos e mansos.

“A dimensão da tragédia do ano passado convocou-nos para um compromisso mais estruturante na reabilitação das terras, mas sobretudo da esperança de quem as habita,” afirma Joana Garoupa, diretora de Marketing e Comunicação da Galp. “A mobilização de tão grande número de voluntários mostra que podem contar connosco.”

Desde o seu início, em novembro, e após a ação de hoje, o MTE já reflorestou 65 hectares nos concelhos de Arganil, Mangualde, Vila Nova da Barquinha, Pedrogão Grande, Arganil e Torres Vedras. O número total de árvores plantadas já ultrapassa as 53 mil. As espécies abrangidas incluíram carvalhos, castanheiros, pinheiro bravo, pinheiro manso, sobreiros, freixos, amieiros, plátanos, azevinhos, medronheiros, e bétulas.

O Movimento Terra de Esperança une a Galp e a ANEFA na plantação de 500 mil árvores numa área equivalente a 600 campos de futebol e a gestão das áreas reflorestadas de forma sustentável. É um projeto de fôlego que dá continuidade ao apoio que a Galp tem prestado no combate aos incêndios, através de doações à Autoridade Nacional de Proteção Civil, Liga dos Bombeiros Portugueses, Serviços Regionais de Proteção Civil da Região Autónoma da Madeira e mais de 50 corporações de bombeiros.

No total, o movimento conta com mais de 3.100 voluntários registados e a associação de figuras públicas como João Manzarra, Ana Garcia Martins (do blogue A Pipoca Mais Doce), Jorge Corrula, ou Isabel Silva.

A Galp é uma empresa de energia de base portuguesa, de capital aberto com presença internacional. As nossas atividades abrangem todas as fases da cadeia de valor do setor energético, da prospeção e extração de petróleo e gás natural, a partir de reservatórios situados quilómetros abaixo da superfície marítima, até ao desenvolvimento de soluções energéticas eficientes e ambientalmente sustentáveis para os nossos clientes – sejam grandes indústrias que procuram aumentar a sua competitividade, ou consumidores individuais que buscam as soluções mais flexíveis para as suas casas e necessidades de mobilidade. Contribuímos ainda para o desenvolvimento económico dos 11 países em que operamos e para o progresso social das comunidades que nos acolhem. A Galp emprega 6.750 pessoas.

Tags:

Sobre nós

Empresa de produção e distribuição de combustíveis e energia.

Subscrever

Media

Media