GILEAD SCIENCES E ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE ANUNCIAM PROGRAMA DE COLABORAÇÃO NO COMBATE À LEISHMANIOSE VISCERAL

Lisboa, 17 de outubro de 2016 – A Gilead Sciences, anunciou uma parceria com a Organização Mundial de Saúde (OMS) para financiar 18 milhões de euros, durante cinco anos, a expansão do programa de acesso ao diagnóstico e tratamento da Leishmaniose Visceral, em países endémicos, incluindo Bangladesh, Etiópia, Índia, Nepal, Sudão do Sul e Sudão.

A Leishmaniose Visceral, também conhecida como kala-azar, é a segunda doença parasitária infeciosa mais fatal do mundo e afeta até 300.000 pessoas por ano em países de recursos limitados.

"Esta nova colaboração aparece no momento certo na medida em que nos preparamos para apoiar países endémicos na sub-região da África Oriental e Sudeste da Ásia para eliminar a Leishmaniose Visceral como um problema de saúde pública até ou antes de 2020", constata o Dr. Ren Minghui, Diretor-geral Adjunto da OMS para o VIH/SIDA, Malária e Doenças Tropicais Negligenciadas. "Durante os últimos cinco anos, o apoio da Gilead tem permitido a muitos países da região de alta endemicidade para a Leishmaniose Visceral, implementar as recomendações da OMS relativamente ao tratamento de primeira linha, beneficiando assim milhares de pessoas."

O apoio da Gilead ao programa de controlo da Leishmaniose da OMS começou em 1992. Em dezembro de 2011, a Gilead ampliou a sua parceria para que mais de 50.000 pessoas tivessem acesso ao tratamento, viabilizando ainda a expansão do número de centros de tratamento da leishmaniose visceral de menos de 15, em 2011, para mais de 160 em 2015.

"Estamos orgulhosos em continuar a nossa parceria de longa data com a Organização Mundial de Saúde que continua a agregar esforços para combater esta doença em todo o mundo", disse Gregg Alton, Vice-Presidente Executivo da Gilead Sciences. “Queremos garantir que os doentes em todo o mundo têm acesso a medicamentos que os possam salvar de doenças potencialmente fatais. Esta parceria renovada é mais um passo rumo a esse objetivo ".

Este apoio da Gilead irá permitir à OMS expandir e reforçar a vigilância da leishmaniose e intensificar os esforços de controlo em áreas altamente endémicas, incluindo a criação de uma infraestrutura sustentável para melhorar o diagnóstico e tratamento da leishmaniose visceral.

A Gilead é uma das 20 entidades que subscreveram a “Declaração de Londres” sobre Doenças Tropicais Negligenciadas - um programa de colaboração para a eliminação e erradicação destas doenças lançado em janeiro de 2012. A declaração foi inspirada pela estratégia 2020 da OMS para a erradicação as doenças tropicais negligenciadas.

Sobre a Leishmaniose Visceral
A Leishmaniose Visceral é transmitida por picadas de flebótomos infetados que transportam o parasita Leishmania. O parasita ataca os órgãos e pode causar complicações como febre, perda de peso, aumento do baço e do fígado, e aumento da vulnerabilidade a outras infeções potencialmente fatais. A leishmaniose visceral é a forma mais grave da doença e é fatal, se não for tratada, em mais de 95 por cento dos casos. A doença é endémica em quase 100 países, muitos deles entre os mais pobres do mundo. A propagação da leishmaniose visceral está associada a superlotação, condições sanitárias precárias, a deslocação de populações e mudanças ambientais.
 
Sobre a Gilead Sciences
A Gilead Sciences é uma empresa biofarmacêutica que investiga, desenvolve e comercializa terapêuticas inovadoras em áreas de necessidade médica não satisfeita. A missão da empresa é promover o tratamento de doentes que sofrem de doenças potencialmente fatais. A Gilead desenvolve a sua atividade em mais de 30 países em todo o mundo e tem sede em Foster City, Califórnia.

Tags:

Sobre nós

Empresa farmacêutica.

Contactos

Subscrever