IFTHENPAY FECHA 2017 COM TAXAS DE CRESCIMENTO ACELERADO EM TODOS OS INDICADORES

• Volume de pagamentos registou em 2017 um crescimento de 45% situando-se em 317.759.800€

• Entidades Aderentes crescem 20% para as 11.232 em 2017 (9.328 em 2016)

• Volume de Negócios de 1.430.257€ sustentou crescimento de 24% em 2017

• Previsão de mais de 418.000.000€  de pagamentos a serem movimentados em 2018

 

Santa Maria da Feira, 12 de março de 2018 - A IFTHENPAY, empresa Fintech portuguesa originária de Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro, e especializada na emissão e gestão de referências multibanco partilhadas para empresas e líder neste segmento, anuncia hoje que encerrou o exercício de 2017 com um crescimento de 24% no volume de negócios em 1.430.257€. Também em 2017, a empresa registou um volume de pagamentos de 317.759.800€, espelhando um crescimento de 45% face ao ano transato.

A IFTHENPAY, que teve a sua origem na empresa IFTHEN que se dedicava ao desenvolvimento e comercialização de soluções de Software de Gestão de Corporações de Bombeiros e afins, ultrapassou as 11 mil entidades aderentes ao seu serviço em 2017 e irá, muito em breve, atingir um total acumulado de mil milhões de euros, tornando-se na 1ª Fintech em Portugal a atingir este valor.

"A ideia pioneira de partilhar entidades Multibanco, oferecendo o serviço chave-na-mão às empresas e associações, a um custo acessível, foi sempre o grande dinamizador da IFTHENPAY. A integração tecnológica com as plataformas de e-commerce e outras plataformas que a IFTHENPAY desenvolveu, democratizou as referências multibanco e trouxe-as com enorme sucesso para as plataformas tecnológicas para as quais não tinham sido pensadas, nestes 30/40 anos em que são utilizadas pelos portugueses", explica Filipe Moura, sócio gerente e cofundador da IFTHENPAY .

 

Referências Multibanco: Método de Pagamento Preferido dos Portugueses

O crescimento contínuo da IFTHENPAY está intimamente relacionado com a popularidade das referências multibanco em Portugal, país onde a maioria dos cidadãos faz habitualmente, e desde há muitos anos, pagamentos por Referência Multibanco, quer seja nas caixas multibanco (36%), ou mais recentemente no homebanking ( 60%). O advento da internet e a emergência do comércio eletrónico popularizaram ainda mais esta forma de pagamento.

"Graças à nossa visão e trabalho contínuo desde que começámos a operar, contribuímos para tornar as referências multibanco no método de pagamento preferido pelos Portugueses nas compras online. Este é um método de pagamento que supera largamente todos os outros, mesmo os que lideram o mercado mundial (por ex. Paypal e cartões de crédito)," refere Nuno Breda, sócio gerente e cofundador da IFTHENPAY, explicando que: "as lojas online que utilizam o nosso serviço, relatam-nos percentagens de preferência pelas referências multibanco de cerca de 80% dos seus clientes. Este é um método de pagamento incontornável atualmente, e que marca a diferença pela sua simplicidade, segurança, disponibilidade, conhecimento e aceitação por parte de todas as faixas etárias e classes sociais. É um método que está enraizado e que é familiar a todos, mesmo às pessoas com menor aptidão para as tecnologias."

Perspetivas para 2018

Para 2018 a empresa prevê manter o ritmo de crescimento acelerado e inovação, em consonância com o que tem vindo a alcançar nos anos anteriores, e movimentar mais de 418.000.000€  de pagamentos.

 

"Em 2018 continuaremos a desenvolver a integração de sistemas e a inovar nas parcerias a estabelecer. O crescimento das vendas online em Portugal irá manter-se nos próximos anos e o número de plataformas nas quais a IFTHENPAY irá integrar o seu serviço irá também continuar a aumentar. Em abril próximo, a IFTHENPAY irá atingir um total acumulado de mil milhões de euros, tornando-se na 1ª Fintech em Portugal a atingir este valor. Um marco na nossa existência que nos deixa muito orgulhosos do trabalho que temos vindo a desenvolver, e que nos anima a prosseguir os nossos esforços de inovação e crescimento", refere Filipe Moura.

 

"Temos também em perspetiva para 2018 e anos seguintes, o alargamento da nossa atividade a toda a zona SEPA, tirando partido das novas oportunidades que a recente legislação PSD2 nos traz. Estamos seguros de que as potencialidades trazidas pela digitalização do setor dos serviços financeiros nos irá abrir novas possibilidades de inovação e crescimento. Estamos focados em identificá-las e desenvolvê-las, em paralelo com o negócio das referências multibanco que lideramos no nosso país", conclui Nuno Breda.

Tags:

Sobre nós

É uma Instituição de Pagamento Autorizada e Supervisionada pelo Banco de Portugal.

Subscrever

Media

Media