IndieLisboa 2015

Provas, Exorcismos, de Susana Nobre, filme seleccionado para a Competição Nacional do IndieLisboa, integra a selecção do festival de Cannes na secção Quinzena dos Realizadores. O filme oferece um olhar fictício, de influência documental, sobre o desemprego e uma terra tocada pelo falhanço da política.

Provas, Exorcismos é uma ficção de inspiração documental sobre o tempo em que vivemos. Em Alhandra, Óscar está desempregado. A fábrica onde trabalhou 25 dos seus 48 anos de vida fechou e pediu insolvência. Óscar e esta fábrica podem nem existir na realidade. Mas existem a Carfer e a Jotex e os Estaleiros de Viana e muitas outras fábricas como esta. O filme será apresentado nas sessões de dia 29 de Abril, às 19h00, no Cinema São Jorge (Sala Manoel de Oliveira) e no dia 1 de Maio, às 21h30 no Cinema São Jorge (sala 3).

A Competição Nacional integra quatro longas metragens e dezasseis curtas metragens a concurso. Os filmes seleccionados dialogam entre si, como acontece com A Toca do Lobo, de Catarina Mourão, e Gipsofila, de Margarida Leitão, nos quais as realizadoras encontram na família a base para a construção do documento íntimo que pretendem mostrar-nos. Tal como Susana Nobre em Provas, Exorcismos, Márcio Laranjeira, em Uma Rapariga da Sua Idade, António Borges Correia, em Os Olhos de André e Filipa Reis e João Miller Guerra em Fora da Vida preferiram construir uma total encenação com base real, dirigindo os protagonistas na sua própria identidade e história. Pela literatura e pelo teatro são influenciados os filmes de Manuel Mozos (Cinzas e Brasas), Rita Macedo (This Particular Nowhere – Part I – Some of Wigner's Friends) e Tiago Rosa-Rosso (Despedida). Olha-se para a natureza bucólica nos filmes Para Lá do Marão, de José Manuel Fernandes e The Last Analog Tree, de Jorge Pelicano com o sorriso trocista de Campo à Beira Mar, de André Ruivo. O trabalho industrial e a fábrica estão presentes nas análises cirúrgicas e geométricas de Francisco Queimadela e Mariana Caló (A Trama e o Círculo), Tomás Baltazar (Um Dia Cabouqueiros) e João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata (Iec Long). O cinema é o mote comum para Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman (Outubro Acabou) e Tiago Rosa-Rosso (Lei da Gravidade), enquanto André Santos e Marco Leão (Aula de Condução) e Jorge Cramez (O Rebocador) evidenciam o trabalho do actor ao serviço das histórias que contam. Há espaço ainda para hotéis convertidos em blocos de apartamentos ocupados em Othon de Guillaume Pazat e Martim Ramos.

Próximas projecções de imprensa

Eden, Mia Hansen-Løve
22 de Abril, 10h30, Cinema City Alvalade

Concerning Violence, Göran Olsson
24 de Abril, 10h30, Cinema Ideal

Force majeure, Ruben Östlund
30 de Abril, 10h30, Cinema City Alvalade

O IndieLisboa 2015 é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Secretário de Estado da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa MEDIA, da União Europeia e da Allianz Portugal; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

Tags:

Sobre nós

Festival de cinema com a duração de 11 dias, que decorre anualmente em Lisboa.

Subscrever

Media

Media