IndieLisboa 2015 - A ficção é mais genuína que a realidade

António Borges Correia e Márcio Laranjeira centraram-se em duas histórias verdadeiras - a primeira, de uma família, a segunda, de uma geração - e nos seus protagonistas, para os dirigirem nas suas próprias vidas. Uma premissa audaz, a de reencenar a realidade direccionando quem a viveu, quem a conhece melhor. Os resultados são surpreendentes: em Os Olhos de André , António Borges Correia encontrou na cândida ingenuidade dos protagonistas a força do filme, na história de uma família que sofre com a separação. Márcio Laranjeira, em Uma Rapariga da Sua Idade , conseguiu registar as amarguras de uma geração que se perdeu no tempo presente e que não se consegue projectar além disso, e também tem a sua palavra a dizer. Duas longas metragens portuguesas em estreia mundial: Uma Rapariga da Sua Idade , amanhã, dia 29, às 21h30 no Grande Auditório da Culturgest e Os Olhos de André , dia 1 de Maio, às 21h30, também no Grande Auditório da Culturgest.

A Competição Nacional prossegue ainda com mais duas sessões de curtas metragens. A primeira integra os filmes The Last Analog Tree , de Jorge Pelicano , Othon , de Guillaume Pazat e Martim Ramos , Provas, Exorcismos , de Susana Nobre e Despedida , de Tiago Rosa-Rosso . Em The Last Analog Tree , Jorge Pelicano joga com a perspectiva daquele que filma e do que é filmado. Em Othon , Guillaume Pazat e Martim Ramos entram pelo antigo hotel Othon Palace, em São Paulo, para filmar a entrada de famílias de ocupantes do local. Provas, Exorcismos , de Susana Nobre (filme português seleccionado para a Quinzena dos Realizadores de Cannes), oferece um olhar fictício sobre o desemprego e uma terra tocada pelo falhanço da política. Tiago Rosa-Rosso, pelo seu lado, cria uma Despedida ao Verão, a partir das referências da infância, com recurso a músicas das séries de televisão dos anos 80. Amanhã, dia 29 de Abril, às 19h00 no Cinema São Jorge (sala Manoel de Oliveira) .

No dia 30 de Abril, quinta-feira, também às 19h00 na sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge , mais quatro filmes integram a sessão: O físico Eugene Wigner serve de inspiração para o filme This Particular Nowhere (de Rita Macedo) , um ensaio sobre o caminho da existência para a escuridão. Fora da Vida dá continuidade ao olhar de Filipa Reis e João Miller Guerra sobre uma época em que para uns já não há trabalho e para outros já não há tempo livre. Campo à Beira Mar (de André Ruivo) mostra-nos não só um atípico dia de praia - pelos traços da animação e da comédia - mas também ovinos que comem bolas de berlim. Um Dia Cabouqueiros (de Tomás Baltazar) traz-nos aqueles que, por sua vez, edificam os edifícios e os pousos eternos das nossas vidas.

 

Projecção de imprensa

Force majeure , Ruben Östlund
30 de Abril, 10h30, Cinema City Alvalade

O IndieLisboa 2015 é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Secretário de Estado da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa MEDIA, da União Europeia e da Allianz Portugal; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

Tags:

Sobre nós

Festival de cinema com a duração de 11 dias, que decorre anualmente em Lisboa.

Subscrever

Media

Media