Europa domina os mercados imobiliários mais transparentes do mundo, concentrando seis dos países classificados no Top 10 global, diz a JLL

  • Índice Global de Transparência no Imobiliário da JLL classifica 109 mercados a nível mundial, com o Reino Unido a liderar a tabela e a Alemanha e a Polónia a destacarem-se entre os melhores mercados Europeus.
  • Mercados Africanos e do Médio Oriente progridem para níveis cada vez mais elevados de transparência
LISBOA, 20 julho 2016 – A Europa domina o ranking dos mercados imobiliários mais transparentes a nível mundial, com seis países europeus posicionados no top 10 global, de acordo com o 2016 Global Real Estate Index (GRETI) [1] , produzido pela JLL e pela LaSalle Investment Management. Dos 109 mercados imobiliários globais analisados neste estudo, dois terços registaram progressos nos níveis de transparência ao longo dos últimos dois anos.
O Reino Unido (1º) é o mercado imobiliário mais transparente a nível mundial, liderando o grupo dos mercados de Elevada Transparência no qual também se encontram a   França (5º), a Holanda (7º), a Irlanda (8º), a Alemanha (9º) e a Finlândia (10º). A França consolidou a sua posição no grupo líder graças aos avanços que registou em termos de contexto legal e regulamentar, ao mesmo tempo que a Alemanha integra, pela primeira vez, a classificação de Elevada Transparência , subindo três posições em relação a 2014 devido às melhorias verificadas no setor das cotadas. Logo a seguir ao Top 10, a Polónia (13º) é um dos mercados europeus que mais se destacou nesta classificação, saltando quatro posições desde 2014 e aproximando-se dos mercados core da Europa ocidental.
Portugal consolida a sua presença no grupo dos mercados “Transparentes”, o qual só é superado pelo grupo de países que ocupam os 10 primeiros lugares deste Índice, classificados como de “Elevada Transparência. O país, que nesta edição ocupa a 27ª posição do ranking global, ficou, no entanto, limitado no seu potencial de evolução, devido sobretudo à conjuntura económico-financeira que afetou a zona Euro. Portugal, à semelhança dos outros países da Europa do Sul, foi um dos mais afetados pela crise na Europa e está ainda numa fase de recuperação, o que, de acordo com a JLL, teve impacto na sua capacidade de evolução.
Para Pedro Lancastre, diretor geral da JLL Portugal , “o facto de Portugal não ter subido nesta edição do ranking global de transparência imobiliária não pode ser atribuído a nenhum retrocesso na capacidade do mercado imobiliário nacional, mas apenas a fatores externos. O mercado, pelo contrário, tem conquistado cada vez mais a confiança de investidores, promotores e ocupantes corporativos, como se pode ver pelos níveis de atividade ocupacional e volume de investimento captado nos dois últimos anos”.
Jeremy Kelly, diretor de Global Research Programmes na JLL e principal responsável por este relatório, disse: “O mundo é hoje mais transparente do que nunca e os padrões continuam a melhorar. Mas, ao mesmo tempo, o gap entre os países mais e menos transparentes está a acentuar-se ”.
Ao longo da próxima década, mais de 1 trilião de dólares será direcionado para o imobiliário, o que compara com os 700 biliões de dólares alocados a este setor atualmente e desafiará a definição daquilo que significa ser transparente. Esperamos assistir à emergência de uma nova categoria da “Hiper-Transparência” nos anos vindouros, na qual o acesso aos dados em tempo real a partir de sensores irá ajudar a informar os proprietários e inquilinos acerca da performance dos seus edifícios ”, acrescentou.
Os mercados de “Elevada Transparência” representam 75% do investimento em imobiliário comercial a nível global, evidenciando o impacto que a transparência tem sobre as decisões imobiliárias. À medida que a alocação de capital para a esta classe de ativos aumenta e a transparência está cada vez mais na linha da frente da agenda política internacional, os investidores também exigem mais melhorias neste indicador em linha com o que acontece noutras classes de ativos.
Entre os mercados do Médio Oriente e de África, o Botswana (41º) – que é o mercado que mais melhorias registou na África Subsaariana -, a Arábia Saudita (63º) e o Egito (65º) passaram a integrar a categoria dos mercados Semitransparentes . Este é o grupo que mais melhorou a sua performance, caraterizando-se pelo fortalecimento da sua governança corporativa, o aumento da disponibilidade de dados de mercado e por uma classe média em crescimento que se está a mobilizar contra as práticas de corrupção. A Turquia (44º), o Dubai (48º), o Abu Dhabi (59º) e o Bahrain (67º) também se inserem na categoria dos mercados Semitransparentes . Além disso, o Irão (77º) – que entra no GRETI pela primeira vez – junta-se à Nigéria (83º) e ao Gana (85º), tendo ambos subido no ranking, enquadrando-se na categoria dos países Pouco Transparentes . Este grupo, que enfrenta ainda os desafios de uma fraca governança corporativa, está a beneficiar da tecnologia e da introdução de alguma regulação e da monitorização do mercado.
Em geral, a transparência no imobiliário tem vindo a evoluir de forma sólida a nível global, o que se deve a uma série de fatores, tais como iniciativas para aprofundar a disponibilidade e a qualidade de dados de mercado e do benchmarking do seu desempenho, a promulgação de nova legislação, a introdução de padrões éticos mais elevados e a adoção mais vasta das regras e ferramentas para os edifícios verdes. A JLL aperfeiçoa constantemente os seus critérios de avaliação de forma a acompanhar o ritmo das mudanças globais que afetam o ambiente legal e regulamentar. O Índice deste ano é o mais abrangente de sempre, cobrindo 109 mercados avaliados segundo 139 fatores , disse Jeremy Kelly .
-Ends-
Notas aos editores:
Índice Global da Transparência Imobiliária 2016 – Top 20
1.      Reino Unido
2.      Austrália
3.      Canadá
4.      Estados Unidos
5.      França
6.      Nova Zelândia
7.      Holanda
8.      Irlanda
9.      Alemanha
10.   Finlândia
A 9ª edição do Global Real Estate Transparency Index (GRETI), que abrange 109 mercados em todo o mundo, revela um progresso contínuo na transparência do imobiliário comercial globalmente.  Dois terços dos mercados analisados registaram melhorias desde 2014. A evolução positiva está geralmente relacionada com investimento direto estrangeiro mais elevado e atividade de ocupantes corporativos, já que os investidores e as empresas ajudam a acelerar reformas de transparência e os governos reconhecem que uma baixa transparência irá afetar a atração de investimento, as perspetivas de crescimento económico de longo-prazo e a qualidade de vida dos cidadãos.
 
Para consultar o ranking completo, as conclusões-chave, o vídeo e a infografia, clique aqui
 
DO NOT DELETE THIS TEXT
 
 
Sobre a JLL
A JLL (NYSE:JLL) é uma empresa de serviços financeiros e profissionais especializados em imobiliário para clientes que procuram obter valor acrescentado na promoção, na ocupação ou no investimento imobiliário. Uma empresa que integra o índice Fortune 500, com faturação bruta anual de $6,0 biliões, a JLL tem mais de 230 escritórios em todo o mundo e opera em 80 países, com uma equipa global de cerca de 60.000 colaboradores. Em representação dos seus clientes, a empresa presta serviços de gestão de propriedades e de instalações corporativas, com um portfólio de 372 milhões de m² geridos mundialmente e concluiu, em 2015, transações de vendas e aquisições no valor de $138 mil milhões. A LaSalle Investment Management, empresa da JLL a atuar na área de gestão de investimento, é responsável pela gestão de uma carteira de ativos imobiliários avaliada em mais de 56,4 mil milhões de dólares. JLL é a designação e a marca comercial registada da Jones Lang LaSalle Incorporated. Presente em Portugal desde 1997, a JLL conta com uma equipa pluridisciplinar composta por mais de 160 profissionais, desenvolvendo a sua atividade nos mercados de escritórios, retalho, residencial  e hotels & hospitality nas áreas de agência, investimento, corporate solutions, consultoria estratégica, avaliações, gestão de imóveis, arquitetura & construção e research. Para mais informações, visite www.jll.pt | Rua Braamcamp, nº 40, 8º - 1250-050 Lisboa
 
[1] Tradução Livre: Índice Global de Transparência no Imobiliário

Tags:

Sobre nós

Empresa de serviços financeiros e profissionais especializada em serviços de imobiliário e gestão de investmento, desenvolvendo a sua atividade nos mercados de escritórios e retalho, nas áreas de agência, investimento, corporate solutions, consultoria e avaliações, gestão de imóveis, arquitectura/obras e research.

Subscrever