Investimento imobiliário em hotéis deverá atingir os $68 biliões a nível global em 2015

De acordo com os especialistas da área de Hospitality da JLL , é expectável que o volume global de transações de investimento imobiliário em hotéis possa atingir o nível máximo dos últimos oito anos em 2015, fixando-se entre os $65 e os $68 biliões e refletindo um crescimento de 15% face aos resultados de 2014. Esta previsão baseia-se nos resultados divulgados no relatório “2015 Hotel Investment Outlook” da JLL, que analisa as tendências futuras e monitoriza os fatores chave que afetam o mercado de investimento em hotéis a nível global.

“O mercado dos hotéis continua a fortalecer-se e os investidores anseiam por obter as melhores oportunidades de negócio para hotéis de topo”, diz Mark Wynne-Smith, Global CEO, JLL Hotels & Hospitality . “Prevemos um crescimento na receita por quarto disponível (RevPAR) entre os 5 e os 8% este ano, o que é um bom indício para o setor pois mostra que há mais espaço para avançar”.


Existem diversos fatores impulsionadores para a atividade transacional de hotéis a nível global em 2015, incluindo:

  • Indicadores de procura fortes
  • aumento da liquidez nos mercados de dívida
  • níveis recorde de operações para ativos únicos
  • maior atividade para aquisição de portfólios nos mercados secundários
  • aumento do fluxo de capital internacional.
 
As previsões apontam para um crescimento de $24,7 biliões nos volumes transacionados na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) este ano e atividade no Continente Americano deverá mesmo liderar este movimento de expansão, podendo atingir os $34,5 biliões de investimento, ao passo que os números projetados para a região da Ásia Pacífico deverão rondar os $8,5 biliões em 2015.

Jogo altera-se a nível global
Espera-se que os fundos de capitais privados sediados nos Estados Unidos e os investidores do Médio Oriente permaneçam no top dos principais exportadores de capital internacional. Contudo, serão os Chineses que irão liderar este grupo em termos de crescimento anual do capital investido.
O fluxo de saída de capital chinês registou um crescimento sem precedentes em 2014, tendo como força motriz uma economia chinesa em crescimento e a valorização cambial. A política do Ministério do Comércio Chinês atenuou as restrições aos investimentos estrangeiros de grande dimensão e, ao mesmo tempo, flexibilizou  também os processos de aprovação de aquisições no exterior. Este ajustamento permite que os investidores chineses tenham maior acesso aos mercados chave globais como Londres, Paris, Nova Iorque, São Francisco e Sidney.
A JLL estima que o fluxo de capital oriundo da China possa representar uma fatia de $5 biliões no volume transacionado em 2015, quintuplicando o seu valor em relação a 2014. Isto coloca os investidores chineses no topo do ranking dos principais exportadores de capital, tal como os Estados Unidos e o Médio Oriente, quando há alguns apenas a China nem sequer figurava no top 10.


ANÁLISE REGIONAL

EMEA : Estima-se que os volumes de investimento em hotéis nesta região possam atingir os $24,7 biliões em 2015. A atividade de venda para investimento será impulsionada por transações de ativos únicos, liderada por Londres e Paris, ao passo que operações de aquisição de portfólios deverão acontecer sobretudo no Reino Unido, Alemanha e Espanha. Os investidores privados que andam às compras irão olhar cada vez mais para a aquisição de ativos nos mercados europeus emergentes e do sul do continente com o objetivo de obter yields mais elevadas. O capital proveniente do Médio Oriente irá manter-se forte, focando sobretudo ativos emblemáticos nos principais mercados.

CONTINENTE AMERICANO : Os fundos privados estão preparados para aplicar o seu capital e os seus alvos primordiais incluem portefólios exclusivos, resorts e mercados secundários. O mercado de hotéis no Canadá continuará com uma forte performance , ao mesmo tempo que a liquidez continua a crescer no México impulsionada pelo arranque dos novos veículos de investimento semelhantes a REIT’s, formados em 2012. Os investidores estão a abordar cautelosamente o mercado Brasileiro, mas a região norte da América do Sul tornou-se um foco de atenção para os investidores, com a Colômbia a liderar. Nos Estados Unidos, o acesso ao financiamento continua a ser rápido e a emissão de securitização de créditos imobiliário (CMBS) na área hoteleira está já a mais de 60% do seu pico anterior.

ÁSIA-PACÍFICO : Antecipa-se um crescimento de 10 a 15% do volume transacionado, num movimento marcado pelo interesse crescente no Japão e em particular por operações envolvendo portfólios naquele país, bem como por uma confiança firme na Austrália. A Indonésia será um mercado favorecido, o que ficará a dever-se em parte ao papel do câmbio, e a liquidez na China deverá também aumentar.

Tags:

Sobre nós

Empresa de serviços financeiros e profissionais especializada em serviços de imobiliário e gestão de investmento, desenvolvendo a sua atividade nos mercados de escritórios e retalho, nas áreas de agência, investimento, corporate solutions, consultoria e avaliações, gestão de imóveis, arquitectura/obras e research.

Subscrever