LIPOR integra programa HECTARE

Está criado o “Programa Hectare” que permite a adoção de áreas de floresta nativa na área metropolitana do Porto. O investimento anual é de 950 euros por hectare. As árvores nativas aí instaladas, devolvem à sociedade um valor anual 20 vezes superior.

A LIPOR, ao abrigo do “Programa Hectare”, promove o investimento na reabilitação de 20 hectares de áreas públicas distribuídas pelos 8 Municípios da LIPOR.

Os trabalhos estão em curso. Está a ser dado início aos procedimentos técnicos de manutenção nos Municípios da Maia, Matosinhos e Valongo. Os próximos Municípios a receber o “Programa Hectare” serão Vila do Conde, Espinho e Gondomar.

Este investimento está integrado no âmbito da Estratégia de Biodiversidade da LIPOR cujo objetivo é o de conhecer o impacto das suas atividades sobre a biodiversidade e desenvolver estratégias de minimização e/ou ações com vista à compensação desses mesmos impactos.

Com a participação da LIPOR no “Programa Hectare” será garantida a sobrevivência de mais de 8.500 árvores nativas recentemente instaladas no território. Estas plantas, além de aumentarem a biodiversidade, embelezam a paisagem e valorizam o território, regulam a água no solo, retêm poluentes atmosféricos e armazenam carbono.

As 8.500 árvores oferecem à sociedade serviços ecológicos cujo valor estimativo é de 350.000 euros por ano. Os 20 hectares de floresta nativa armazenarão ainda mais de 100 hectares de carbono por ano.

Sobre o “Programa Hectare”

O “Programa Hectare” permite que entidades públicas ou privadas colaborem nos custos de manutenção de áreas já intervencionadas ou a intervencionar no âmbito do FUTURO.

Por regra, e porque o FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto pretende reabilitar áreas ardidas de eucalipto e dominadas por plantas invasoras para os transformar em bosques nativos, estas são áreas onde os desafios de manutenção são grandes:

é preciso controlar anualmente o desenvolvimento das plantas invasoras, a rebentação de eucalipto, o corte de outra vegetação com moto-roçadora, monitorizar resultados, assinalar e proteger as plantas instaladas e substituir plantas mortas, corrigir caldeiras, adição de composto/mulch, podas de formação.

Os primeiros quatro anos após a primeira intervenção são particularmente críticos, sendo nesses que o “Programa Hectare” se concentra.

Apesar de o projeto FUTURO estimular o voluntariado, as tarefas em causa, pela sua especificidade, têm que ser executadas por uma equipa de profissionais. A equipa selecionada foi a da empresa “Bosque de Recados”.

 

Sobre o FUTURO

O FUTURO – projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto, tem como objetivo central reabilitar área de floresta urbana nativa no território metropolitano – promotora de biodiversidade, qualidade paisagística, mais resistente ao fogo e prestadora de serviços dos ecossistemas. Tem trabalhado na(o):

· Reabilitação ecológica de áreas degradadas, ardidas, subutilizadas, invadidas por eucalipto e plantas invasoras, entre outras, em colaboração com as equipas municipais e do ICNF;

· Produção de espécies nativas para que fiquem disponíveis para as intervenções de reabilitação;

· Formação-ação para técnicos, voluntários e operacionais;

· Programa de Voluntariado que promove o envolvimento dos cidadãos interessados nos processos de reabilitação (ações focadas em objetivos concretos alinhados com planos de reabilitação);

· Programa Educativo que estimula o conhecimento-ação da comunidade escolar sobre as árvores e florestas urbanas.

O projeto FUTURO tem 5 anos e atividades em curso nos 17 municípios da AMP. Já foram plantadas cerca de 81.500 plantas de 42 espécies nativas, em 164 parcelas de intervenção (200 hectares totais) dispersas pela região. Foram organizadas 400 atividades de voluntariado, com 12.000 participantes que ofereceram cerca de 36.000 horas de trabalho voluntário. Participam no projeto 260 entidades, cerca de 200 técnicos e operacionais. No Programa Escolar estão envolvidos 6.000 alunos e 320 professores. O FUTURO é promovido pelo CRE.Porto (Área Metropolitana do Porto e Universidade Católica Portuguesa) e tem sido reconhecido internacionalmente (Fundação Yves Rocher, UNU).

www.100milarvores.pt | www.facebook.com/100000arvores

Sobre a participação da LIPOR no FUTURO

A LIPOR tem desempenhado um importante papel no FUTURO. Já em 2003, e como promotora do Plano Estratégico de Ambiente do Grande Porto, lançou a primeira semente. Este plano, concluído em 2008, foi o precursor do FUTURO. Desde que o FUTURO surgiu, em 2010, a Lipor tem estado envolvida de vários modos:

Afetação de área na LIPOR II (margens Rio Leça) e na LIPOR I (Aterro selado) para reabilitação;

Participação dos colaboradores nas atividades;

Apoio à instalação do viveiro do FUTURO, com oferta de composto, tabuleiros de sementeira e substrato florestal;

Criação da Plataforma das Árvores do FUTURO na LIPOR I (para receção e entrega de plantas);

Apoio de 20 hectares de manutenção no âmbito do “Programa Hectare”, como forma de dar corpo à sua Estratégia de Biodiversidade.

http://www.lipor.pt/pt/sustentabilidade-e-responsabilidade-social/biodiversidade/programa-da-biodiversidade/programa-hectare/
 

Sobre a LIPOR

 

A LIPOR é a entidade responsável pela gestão, valorização e tratamento dos resíduos urbanos produzidos pelos Municípios associados: Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde.

A LIPOR trata anualmente cerca de 500 mil toneladas de resíduos urbanos produzidos por 1 milhão de habitantes. Sustentada nos modernos conceitos de gestão de RU, a LIPOR desenvolveu uma estratégia integrada de valorização, tratamento e confinamento dos RU, baseada em três componentes principais: Valorização Multimaterial, Valorização Orgânica e Valorização Energética, complementadas por um Aterro Sanitário para receção dos rejeitados e de resíduos previamente preparados.

Ao assumir de forma clara que a gestão de resíduos é realizada na ótica do recurso, a LIPOR firma todos os esforços na sua valorização mais adequada, abordagem esta que tem por base a projeção de um modelo circular de negócios, e é sustentada por projetos demostrativos das

práticas circulares de suporte. A atuação da Organização permite consolidar um posicionamento que se preconiza pela criação de valor no ciclo produtivo, caracterizado pela reintrodução do “resíduo” como “recurso” na cadeia de valor.

A nível nacional, a LIPOR pretende ser impulsionadora da temática da Economia Circular, através da partilha de novas estratégias e procura de soluções mais eficazes.

Tags:

Sobre nós

Empresa de reciclagem e gestão de resíduos.

Subscrever

Media

Media