Lucios reabilita edifício no centro histórico do Porto para dar lugar a hotel 4 estrelas

A Lucios foi escolhida para a construção de mais um hotel de quatro estrelas no centro histórico do Porto, um projeto que implicará a reabilitação e ampliação de um edifício na zona ribeirinha da cidade.

Com inauguração prevista ainda para 2015, este empreendimento hoteleiro terá à disposição 56 quartos, distribuídos por 5 pisos, com capacidade para alojar mais de 100 hóspedes.

“Na Rua do Infante Dom Henrique, encontraremos a entrada principal do hotel, bem como a entrada para o restaurante. Neste piso teremos, também, um corredor de acesso a 4 quartos traseiros, voltados para um pátio inglês com zona ajardinada”, explica Luís Machado, administrador da Lucios.

De acordo com a mesma fonte, entre os pisos 1 e 5 ficarão dispostos os restantes quartos.

“Em cada um dos 3 primeiros pisos, existirão 14 quartos, num total de 42. No 4º andar, teremos 8 e no 5º serão construídos 2 quartos com vista privilegiada para a marginal de Vila Nova de Gaia”, descreve.

No que respeita o estacionamento, estão em estudo diversas possibilidades de parceria por forma a garantir a maior comodidade para os utilizadores do hotel.

Nos últimos anos, a Lucios foi responsável pela construção de 5 unidades hoteleiras na zona histórica da cidade invicta.

“Demos os primeiros passos na reabilitação de edifícios para a construção de hotéis com o Intercontinental Palácio das Cardosas, inaugurado em 2011, seguindo-se o Moov Hotel Porto Centro, o Porto Lounge hostel & Guest House e, recentemente, o Hotel Descobertas e o NH Collection Porto Batalha”, conclui Luís Machado.

INFORMAÇÃO ADICIONAL

A Lucios desenvolve a sua atividade no âmbito da requalificação e conservação em obras públicas e privadas, construção residencial, industrial, comércio e serviços, desporto e lazer e projectos especiais, tendo também uma área de promoção imobiliária residencial para os segmentos alto e médio-alto.

A construtora registou em Portugal, no ano de 2014, um volume de faturação de €57M, sendo que a reabilitação urbana representou 50% das obras.

Subscrever

Media

Media