Microsoft reforça responsabilidade social com o lançamento do Programa MAIS Inovação Social

 

  • Microsoft Portugal alarga Programa MAIS ao Terceiro Setor, com o objetivo de apoiar estas instituições no processo de candidatura a financiamentos regionais, nacionais e europeus;
  • C om um investimento de 200.000 euros, o Programa MAIS pretende apoiar 200 a 400 instituições até 2020;
  • Desde 2007, a Microsoft já doou 25 milhões de euros em software a ONGs;
  • No último ano, a Microsoft apoiou mais 150 ONGs.
 
A Microsoft Portugal anuncia hoje, no seu 9.º Encontro de Parceiros Sociais, o lançamento do Programa MAIS Inovação Social com o investimento de 200.000€ no apoio em consultoria e mediação de candidaturas das Organizações Não Governamentais (ONG) a incentivos e subsídios. Até aqui vocacionado para apoiar as PMEs portuguesas, o Programa MAIS (Mediação e Apoio a Incentivos e Subsídios) pretende dar resposta ao atual contexto de recessão económica e às consequentes dificuldades na obtenção de fontes de financiamento por parte destas entidades, para que melhor possam responder às necessidades das comunidades.

O Programa MAIS foi criado para estimular e facilitar a adoção de TI’s pelas PMEs e pelos governos locais e regionais, através de uma estratégia de sensibilização para a existência de Fundos Europeus e do apoio no acesso aos mesmos por parte deste segmento. Neste âmbito, a Microsoft Portugal assegura o apoio personalizado no processo de candidatura a fundos disponíveis na área tecnológica através de consultoria de gestão, assistência e serviços de transferência tecnológica, entre outros de que as ONGs poderão também beneficiar. O programa contempla ainda o processo de candidatura a projetos de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico promovidos pelas empresas, bem como o apoio a candidaturas a projetos de Capacitação e Reforço de Competências Internas de I&DT.

De acordo com Bruno Rodrigues, Gestor do Programa MAIS na Microsoft Portugal , “através do Programa MAIS, a Microsoft Portugal pretende que as Pequenas e Médias Empresas e as ONGs possam encontrar facilmente toda a informação que necessitam para tirar partido dos instrumentos de financiamento disponíveis, assim como da verificação da sua elegibilidade, dos requisitos das candidaturas e de todos os passos necessários para as formalizar”.

Até 2020, a Microsoft espera apoiar 200 a 400 entidades de Inovação Social portuguesas no acesso a Fundos Europeus.

Além da apresentação do Programa MAIS Inovação Social, a Microsoft Portugal aproveitou o 9º Encontro de Parceiros Sociais para fazer um balanço da sua atividade na área da cidadania e responsabilidade social.

No último ano, a Microsoft Portugal apoiou através do Programa de Doação de Software, cerca de 150 ONGs, o que se traduziu no licenciamento de mais de 2.000 computadores. No total, e desde 2007, o programa de doação de software a ONGs pela Microsoft Portugal já atingiu os 25 milhões de euros. Acresce ainda, no último ano, a oferta do Office 365 a ONGs - em Portugal já foi disponibilizado gratuitamente a 140 instituições.

Consciente da importância do Terceiro Sector e do seu papel na resposta às assimetrias sociais que caracterizam o País, a Microsoft prossegue assim o objetivo de tornar a tecnologia acessível a todas as pessoas e organizações, sobretudo aquelas que não têm capacidade ou condições para isso, com o fim último de as ajudar a responder às várias solicitações.

Como defende Vânia Neto, diretora para a área de Educação, Cidadania e Responsabilidade Social da Microsoft Portugal , “é fundamental dotar as ONGs dos meios necessários para enfrentar a crise económica e responder de forma eficaz, através da Inovação Social, às necessidades das comunidades. Acreditamos que com estas ferramentas estamos a contribuir para uma maior capacitação e práticas de gestão de excelência nestas organizações, contribuindo assim para o seu sucesso”.

 
CDI Portugal faz balanço dos primeiros dois anos de atividade

Neste 9º Encontro de Parceiros Sociais, o CDI Portugal – Centro de Inclusão Digital, projeto de inclusão social apoiado pela Microsoft, fez o balanço dos primeiros dois anos de atividade. O destaque vai para a implementação do Apps for Good, um programa internacional que tem como objetivo incentivar os jovens que frequentam os seus centros a criarem apps que possam ter impacto na sua vida. Estes centros de inclusão digital estão instalados em escolas-piloto e resultam de uma parceria com o Ministério da Educação e Ciência.

Originário do Brasil e liderado em Portugal por João Baracho, o CDI é um projeto revolucionário de intervenção e inclusão digital, que tem como missão mobilizar e transformar comunidades e redefinir percursos de vida de pessoas provenientes de contextos socioeconómicos desfavorecidos, através da utilização da tecnologia e de todo o seu potencial.

Tags:

Sobre nós

Multinacional de informática e tecnologia.

Subscrever