Alunos do MIT Portugal em Grande Destaque no Concurso de Ideias Inovadoras do Técnico

Três projetos promovidos por alunos de doutoramento do Programa MIT Portugal (MPP) acabam de se sagrar vencedores da competição TecInnov Thales, o concurso de ideias do Instituto Superior Técnico (IST) da Universidade de Lisboa. As propostas apresentadas por Pedro Fraga, Diogo Henriques e Paulo Cambra receberam o investimento solicitado para desenvolverem os seus projetos, que se dedicam a temas relacionados com energia, mobilidade e sustentabilidade, áreas-chave do MIT Portugal. O domínio dos alunos do Programa MIT Portugal tem sido absoluto nesta iniciativa, que vai na sua segunda edição, e reflete uma forte aposta nos temas da Inovação, Empreendedorismo e Mudança Tecnológica, sobretudo nos últimos anos. De acordo com Pedro Arezes, Diretor Nacional do Programa “estas conquistas vêm comprovar o esforço realizado nos últimos anos pelo MIT Portugal em solidificar a componente de inovação e empreendedorismo nos seus Programas Doutorais, que se tem refletido na distinção de alunos nossos em vários concursos nacionais e internacionais, bem como pela criação de mais de 20 startups desde que iniciámos o programa”.

Pedro Fraga desenvolveu o projeto ASIST (Autonomous System for Inspection of Structures) galardoado com 5.000€. O trabalho levado a concurso pelo aluno do Programa Doutoral em Líderes para as Indústrias Tecnológicas (EDAM-LTI), foi idealizado para colmatar as dificuldades e desafios encontrados na inspeção de infraestruturas críticas, tais como torres eólicas, barragens e pontes. O ASIST é uma solução integrada composta por um drone, uma base de dados, uma Consola Terrestre e um software de detecção automática de anomalias, que promete reduzir significativamente os custos das inspeções e aumentar a fiabilidade dos resultados. O ASIST, munido de um leque variado de sensores modernos, será capaz de detetar automaticamente falhas numa fase inicial, as quais de outra forma poderiam passar despercebidas e ter implicações na segurança ou integridade estrutural da infraestrutura.

Por seu lado o objetivo da proposta submetida por Diogo Henriques, do programa Doutoral em Sistemas Sustentáveis de Energia, intitulada "Monitorização da qualidade do ar interior para inferência de taxas de ocupação, conforto e eficiência energética” é desenvolver e testar um sistema de monitorização da qualidade do ar de espaços interiores para tirar conclusões sobre taxas de ocupação, conforto e eficiência energética, o que lhe valeu um prémio de 3.960€. O trabalho propõe desenhar um dispositivo IoT (Internet of Things) multisensor que avalia as condições ambientais e a qualidade do ar em edifícios, tais como salas de aula, ou meios de transporte, por exemplo autocarros. Estes equipamentos serão compostos por sensores de CO2 de infravermelho (NDIR), de VOCs (Volatile Organic Components), de temperatura, de humidade, de partículas suspensas e de movimento. Finalmente a equipa em que se insere o aluno Paulo Cambra, do Doutoramento em Sistemas de Transportes do Programa MIT Portugal, apresentou o projeto BikeRider, um sistema de navegação e mapeamento sensorial da rede ciclável que permite ao utilizador encontrar os percursos origem/destino mais adaptados ao seu perfil de ciclista e assim aumentar a utilização da bicicleta em meio urbano. Este sistema, apoiado por um prémio no valor de 3.820€ , irá recolher dados a partir de bicicletas e ciclistas que permitirão o registo de um conjunto de atributos, baseados na sua percepção de conforto e segurança do trajeto. A criação deste perfil de ciclistas “sonda” permitirá mapear os percursos mais cicláveis em função da própria experiência de quem os percorreu. Esta não é a primeira vez que alunos do Programa MIT Portugal se destacam neste concurso. Já na 1ª edição, também este ano, duas equipas constituídas por alunos do Programa ocuparam os dois lugares cimeiros. O grupo de Mário Alberto Vieira, do Programa doutoral em EDAM-LTI com o projeto AAL2Life (Ambient Assisted Living Integrated Solution) arrecadou o valor de 4800€ e um outro trabalho também desenvolvido por Paulo Cambra, intitulado WalkBot: Levantamento automatizado de dados de acessibilidade pedonal, recebeu 4.970€.

Segundo informações da própria instituição, o concurso Tecinnov Thales promovido pelo IST distingue os melhores trabalhos com um prémio máximo de 5 mil euros por projeto, e um total de 20 mil, nas áreas de apoio à decisão, big data, sensores, monitorização/gestão de multidões, métodos para apoio à orientação, interpretação de descrições cognitivas de cenário, e métodos de interface gráfica com humanos.

Tags:

Sobre nós

Programa financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia que visa o desenvolvimento da investigação e ciência em Portugal.

Subscrever