CENTRO ARTÍSTICO 'A CASA AO LADO' CRIA CLUBE UNESCO EM FAMALICÃO

Vila Nova de Famalicão, 1 de outubro de 2018 - A Comissão Nacional da UNESCO (CNU) e o Centro Artístico - A Casa Ao Lado celebraram esta manhã um protocolo de colaboração com vista à criação de um Clube UNESCO em Vila Nova de Famalicão, especializado na área da intervenção e criação artística.

Denominada Clube UNESCO - A Casa Ao Lado, esta estrutura terá a sua sede nas instalações d'A Casa Ao Lado, na Avenida 25 de abril, em Famalicão, assumindo o compromisso de colaborar e cooperar com instituições locais, regionais e internacionais em iniciativas do campo artístico que partilhem dos ideais da UNESCO.

"A missão d'A Casa Ao Lado passa pelo apoio ao desenvolvimento das capacidades técnicas ligadas às artes junto de públicos de diversas faixas etárias, com especial enfoque em grupos em situação de maior vulnerabilidade social. A inclusão social que promovemos através da arte, roteiros culturais, visitas de estudo culturais e intervenções urbanas enquadra-se nos ideais defendidos pela UNESCO e está na base do interesse de ambas as instituições em reforçarem o seu relacionamento", explica Ricardo Miranda, diretor artístico d'A Casa Ao Lado.  

Por seu lado, Anna-Paula Ormeche, coordenadora nacional da rede de Clubes UNESCO, sublinha que "os projetos d'A Casa Ao Lado representam um contributo importante na promoção do equilíbrio social e do exercício de uma cidadania mais consciente e participativa"

"O Clube UNESCO - A Casa Ao Lado vai constituir-se como parceiro da comunidade educativa na promoção da educação para todos, visando a plena inserção dos jovens na vida da comunidade, contribuindo assim para o desenvolvimento da região, tendo sempre em atenção os princípios e valores da UNESCO", reforça Anna-Paula Ormeche.

Entre as iniciativas que o Clube UNESCO - A Casa Ao Lado irá promover, em consonância com os valores e ideais defendidos pela UNESCO, estará o desenvolvimento de programas de formação nas áreas da Educação Não Formal, bem como seminários, reuniões e exposições enquadráveis nos campos da intervenção e criação artística.

Recorde-se que o primeiro Clube UNESCO surgiu no Japão em 1947, como um movimento espontâneo da sociedade civil. Em Portugal, o primeiro Centro UNESCO foi criado em 1989, no Porto.

A rede portuguesa de Clubes UNESCO conta agora com 58 Centros/Clubes de Norte a Sul do país.

 

DOWNLOAD DO PRESS-RELEASE EM FORMATO EDITÁVEL (WORD): em anexo;

DOWNLOAD DE FOTOGRAFIA (Da esquerda p/ a direita: Anna-Paula Ormeche (Comissão Nacional da UNESCO), Joana Brito e Ricardo Miranda (diretores artísticos d'A Casa Ao Lado): em anexo;

Notas para o Editor:

SOBRE A CASA AO LADO:

Situada no centro de Vila Nova de Famalicão, o Centro Artístico A CASA AO LADO procura o envolvimento em projetos que, partindo de uma educação/formação artística de base, permitam assegurar o cunho artístico interventivo nas comunidades, consagrando a sua marca e primando pela autenticidade.

A CASA AO LADO desenvolve as suas valências de ensino, experimentação e intervenção numa ação intergeracional promotora do conhecimento e sensibilização artística articulada à responsabilidade social, focando diferentes temáticas e disciplinas das artes plásticas e visuais.

Para tal, trabalha com formadores de áreas específicas, como o desenho, pintura, joalharia, cinema de animação, decoração de interiores, conservação e restauro, fotografia, ilustração, realização de cinema, vídeo, multimédia, entre outros.

SOBRE OS CLUBES UNESCO:

Os Clubes UNESCO são grupos de pessoas (associações sem fins lucrativos, ONG, escolas, universidades, fundações, círculos culturais, sociais e administrativos da comunidade), de todas as idades, todos os horizontes, de todas as condições, que acreditam nos ideais da UNESCO e desejam apoiar a Organização na sua missão.

Estas estruturas têm como objetivo promover a UNESCO e os seus Programas, propagar os seus ideais através de atividades inspiradas nas atividades da Organização, contribuir para a formação cívica e democrática dos seus membros, apoiar os Direitos Humanos, favorecer a compreensão internacional e o diálogo entre os povos, difundir informação relativa à UNESCO junto do público, a nível local. Em suma, constituem-se como um prolongamento da ação das Comissões Nacionais.

 

 

Tags:

Sobre nós

Consultora de comunicação especializada.

Subscrever

Media

Media