Crime + Investigation™ estreia Impostores

Acompanhe em 6 episódios a história de 6 dos mais famosos impostores: Michael Sabo, J. LeRoy, James Hogue, Juan Betancourt, Richard Minard e Steven Russel, que manipularam um grande número de pessoas para alcançar seus objetivos.

Astutos, sedutores e aventureiros, mudaram de identidades e falsificaram documentos, fazendo das burlas e das fraudes um peculiar estilo de vida.

Astutos e aventureiros mas, e ao mesmo tempo, sedutores, Michael Sabo, J. LeRoy, James Hogue, Juan Betancourt, Richard Bryan Minard e Steven Russel são seis dos mais famosos impostores que mudaram de identidades e falsificaram documentos, fazendo das burlas e das fraudes um peculiar estilo de vida.

Acompanhe na série “Impostores” as formas mais rebuscadas destes homens para escaparem às autoridades, a partir de 16 de dezembro , pelas 22h30, no canal Crime + Investigation™. 

Michael Sabo esteve fora do alcance das autoridades durante 13 anos, exercendo diferentes papéis como médico, psicólogo e piloto de avião. Ao longo deste período temporal, conseguiu acumular milhões de dólares, em bens valiosos e ao usar várias identidades.

JT LeRoy é o pseudónimo usado pela autora norte-americana Laura Albert, de 40 anos, que evitava aparecer em púbico, após ter vivido abusos durante a infância e adolescência. Baseando-se nisso, e refugiando-se numa identidade falsa, os seus livros autobiográficos, tinham como ambição e principal objetivo o reconhecimento do seu trabalho.

James Hogue esteve em liberdade condicional pela falsificação de cheques. Para se escapar, mudou de nome e seguiu o caminho do roubo, prisão e violação da liberdade condicional. Anos mais tarde, cria uma nova personagem e fez se passar por um estudante exemplar da Universidade de Princeton, enganando alguns membros da famosa instituição.

Astuto no mundo dos roubos, Juan Betancourt é um impostor colombiano que incorporou várias personagens, desde estudante de medicina a padre. As suas habilidades em enganar começaram a ser conhecidas algumas semanas após sua chegada a Miami, quando se fez passar por órfão, junto da família Colombiana que o recebeu. No entanto, a polícia suspeitou dos seus comportamentos. Mais tarde, acabou por ser responsável também por diversos roubos em hotéis luxuosos em diversos países.

À primeira vista, Richard Bryan Minard aparentava ser um crente nato na religião. Depois de ir morar para British Columbia (Canadá), anunciou que iria dar início a um programa na rádio cristã. No entanto, ocupava também o seu tempo com um projeto completamente à margem da lei: vendia propriedades em time-share , pondo à disposição resorts que não possuía, pacotes de férias e gravações de músicas cristãs que nunca existiram.

Steven Russel, ficou conhecido por escapar várias vezes da prisão. Nunca violentas, mas sempre engenhosas, todas as suas fugas aconteceram numa sexta-feira 13. Teve 14 pseudónimos conhecidos e foi apelidado de "Houdini" e "Rei dos Vigaristas”.

Foram em quantidades enormes os recursos gastos pelas equipas de polícias americanas e europeias, bem como de investigadores qualificados, numa tentativa de apanhar estes impostores. Por vezes, conseguiram levá-los à justiça, mas a estadia atrás das grades não era um obstáculo para planearem as fugas mais elaboradas que se podem imaginar. 

Os episódios em dezembro…

Michael John Sabo

Foi considerado o impostor mais bem-sucedido do seu tempo. Em fuga durante 13 anos, após uma ousada evasão da prisão, o vigarista Michael Sabo, que é um mestre na arte de representar, assumiu papéis de médico, psicólogo e piloto de avião. Vestiu uniformes de diferentes companhias aéreas, percorrendo diferentes estados e enganando comerciantes e hotéis. Acumulou milhões de dólares nesse período. Michael mudava de identidade com sucesso, conseguindo manter-se à frente da lei, até que um investigador percebeu o seu esquema. Em 1966, aos 24 anos, Michael Sabo voltou aos EUA após uma dispensa da Guerra da Coreia. Enquanto trabalhava no aeroporto de LAX, não podia deixar de admirar o respeito dado aos pilotos de avião.

Sexta-feira, 16 de dezembro, 22h30

J.T. LeRoy

Um livro publicado em 2000, "Sarah", tornou-se um clássico de culto, com críticas positivas do New York Times e The Guardian. O jovem vulnerável JT LeRoy foi o autor e sofrendo de ansiedade terrível, evitava aparecer em público. Um ano mais tarde, o segundo livro de JT foi publicado, "Maldito Coração" e as críticas igualmente elogiosas e a massa crescente de fãs, forçam-no a sair do esconderijo em que se refugiava e a fazer as primeiras aparições públicas. Mas nem todos são seus fãs. Cinco anos após a publicação do primeiro livro, surge um artigo explosivo na New York Magazine. Nele, o jornalista Steve Beachy deixa cair uma bomba: Não existe nenhum JT LeRoy. É apenas um pseudónimo criado por Laura Albert, de 40 anos, alguém que anseia ver o seu trabalho reconhecido.

Sexta-feira, 16 de dezembro, 23h16

James Hogue

James Hogue nasceu em 1959, no seio de uma boa família. Tornou-se conhecido pelos seus pés ágeis e rápidos na equipa de atletismo da escola secundária. Mas a sua vida assume uma espiral descendente e em 1983 foi posto em liberdade condicional por falsificação de cheques. As suas decisões acabaram por lhe transformar a vida para sempre: mudou de identidade pela primeira vez. Seguem-se falsificação, roubo, prisão e violação da liberdade condicional. Vários anos mais tarde, James cria uma nova personagem, com grandes sonhos e ambições, vai para Princeton e começa uma nova vida. Os seus companheiros e colegas veem-no como misterioso e inteligente, e é convidado a integrar o prestigiado Ivy Club (famoso por membros como os Rockefeller). Mas as coisas estão prestes a ficar complicadas para ele.

Sexta-feira, 23 de dezembro, 22h30

 

Juan Carlos Guzman Betancourt

Juan Carlos Guzman Betancourt nasceu numa aldeia colombiana em 1976. Tornou-se um ladrão engenhoso e célebre é uma história que levou anos a desvendar. Apresentou-se como estudante de medicina, homem de família inglês, empregado de Cia aérea, padre de NY e xeque árabe. O seu primeiro conto fantástico pode ser o único verdadeiro: a sua chegada à América. O jovem identificava-se como um órfão de 13 anos, originário da Colômbia. Não tardou muito que as autoridades suspeitassem que o menino não fosse quem dizia ser. Manteve-se sempre fiel à sua história de como tinha chegado à América. A carreira oscilou entre a entrada clandestina na América e roubo de cartões de crédito em hotéis.

Sexta-feira, 23 de dezembro, 23h16

 

Richard Bryan Minard

Em janeiro de 1999, quando Bryan Richards se mudou de LA para British Columbia (Canadá), rapidamente se tornou no centro das atenções, gerando bastante alarido. Apesar da personalidade impetuosa, muitos deixaram-se impressionar pelo seu compromisso com a fé cristã. Mas nem todos estavam encantados com ele, o Pastor Don Richmond não conseguia evitar um sentimento de nervosismo. Apenas um mês depois da chegada, Bryan anunciou grandes planos: ia iniciar o próprio programa na rádio cristã. Enquanto isso, o Pastor Richmond continuava com a sensação de que algo ia correr mal. Para além do programa de rádio, Bryan ocupava-se com outro projeto: propriedades em time-share. O conflito entre o Pastor e o recém-chegado polarizou a comunidade. Ninguém sabia de que lado ficar. Teria o Pastor Richmond perdido a cabeça ou havia algo sobre Bryan Richards que todos precisavam de saber.

Sexta-feira, 30 de dezembro, 22h30

Steven Jay Russell

Steven Jay Russell fingiu ser juiz, médico, agente do FBI e advogado. Teve 14 pseudónimos conhecidos e foi apelidado de "Houdini" e "Rei dos Vigaristas". As façanhas inspiraram o filme "Eu Amo-te, Phillip Morris", com Jim Carrey e Ewan McGregor. Após vários golpes e quatro fugas de distintas prisões do Texas, Steven Russell ficou conhecido por três características e feitos: mestre vigarista, fugitivo lendário e tolo para o amor. Nunca violentas, mas sempre engenhosas, todas as suas fugas se deram numa sexta-feira 13. Em 1990, Russell, já na casa dos 30 anos, finge uma queda provocada por um deslize, como forma de realizar algum dinheiro extra. Acabou por receber 45 000 dólares resultantes de um acordo.

Sexta-feira, 30 de dezembro, 23h16

CRIME + INVESTIGATION™

Crime + Investigation é o único canal de televisão dedicado a crimes reais.

Produzido por The History Channel Iberia, uma joint-venture entre a AMC Networks International-Iberia e a A+E Networks. Com o Crime + Investigation, os telespectadores mergulham no mundo fascinante e complexo do crime e da investigação criminal. Através de uma ampla e variada programação fazemos uma viagem intensa até ao coração  da mente criminosa. Crimes reais. Pessoas reais. Dramas Reais.

Mais de 1.500 horas de casos reais compõem o catálogo mais completo e mais valioso do mundo. CI está presente em mais de 85 países e em Portugal é distribuído na NOS.
 

Para descarregar as imagens com resolução, aceda ao seguinte link:

http://informedia.com.pt/

user: CI
pass: atrevia

Tags:

Sobre nós

Grupo empresarial que oferece soluções fixas e móveis de última geração, de televisão, internet, voz e dados para todos os segmentos de mercado.

Subscrever

Media

Media