NOS CONSOLIDA CRESCIMENTO

A NOS apresentou mais um trimestre de crescimento, com o aumento do número de serviços prestados, quer no acesso móvel quer no acesso fixo. O crescimento registado foi o motor do aumento de receitas e melhoria dos resultados operacionais. No primeiro trimestre de 2018, a NOS reforçou, ainda, o seu investimento nas redes de nova geração e na capacidade instalada de datacenters, melhorando a sua rede fixa e móvel e reforçando a sua infraestrutura de serviços na cloud.

As Receitas cresceram, neste período, 0,7%, face ao primeiro trimestre de 2017, alcançando 383 milhões de euros, com as receitas da divisão de telecomunicações a aumentarem 0,9%. Em resultado, o EBITDA aumentou 3% para 146,7 milhões de euros, com a margem EBITDA a progredir 0,9 pp para 38,3%.

O Resultado Líquido Consolidado atingiu 33,8 milhões de euros, um crescimento de 3%.

Destaques Financeiros

·      As Receitas de Exploração apresentaram um crescimento de 0,7% para 383 milhões de euros, com as receitas de telecomunicações a crescerem 0,9%, motivadas pelo crescimento de 3,3% do número de serviços.

·      O EBITDA Consolidado apresentou uma variação positiva de 3%, para 146,7 milhões de euros, com a margem EBITDA a atingir 38,3%, mais 0,9 pp que nos 3M17.

·      O Resultado Líquido Consolidado atingiu 33,8 milhões de euros, um crescimento de 3%.

·      O Free Cash Flow, antes do pagamento de dividendos e de alienações, atingiu 37,8 milhões de euros.

·      O Investimento (CAPEX total) atingiu 87,7 milhões de euros.

Destaques Operacionais

·       O número de serviços aumentou 3,3% para 9,454 milhões, com adições líquidas de 299 mil face aos primeiros três meses de 2017.

·       O número de subscritores móveis atingiu 4,703 milhões, com adições líquidas de 216 mil novos clientes face ao período homólogo.

·       Os clientes de televisão por acesso fixo aumentaram 1,5% para 1,295 milhões, com o total de clientes de TV a situar-se nos 1,615 milhões.

·       Nos serviços de banda larga fixa e telefone fixo continuou a registar-se uma evolução positiva, com crescimentos de 4,2% e 1,3% para 1,344 milhões e 1,761 milhões respetivamente.

·       O número de serviços empresariais aumentou 55,2 mil face ao final de março de 2017, atingindo 1,486 milhões de serviços.

·       A NOS reforçou a cobertura da sua rede fixa de nova geração, aumentando em 17 mil o número de casas passadas, contando no final do trimestre com 4,101 milhões de lares conectados com rede fixa de última geração.

Nos negócios de Cinema e Audiovisuais o número de bilhetes vendidos situou-se em 2,184 milhões, um decréscimo de 4,9% face a 2017, motivado sobretudo pela ausência de grandes êxitos de bilheteira a nível mundial.

RECEITAS AUMENTAM 0,7% E EBITDA CRESCE 3%

As receitas consolidadas na NOS aumentaram 0,7% no primeiro trimestre do ano, para 383 milhões de euros, demonstrando assim o excelente desempenho da sua principal área de negócio. As receitas do segmento de telecomunicações situaram-se nos 365,7 milhões de euros, tendo registado um crescimento de 0,9%.

As receitas da área de cinemas e audiovisuais recuaram 9% para 27,2 milhões de euros, impactadas sobretudo pela inexistência de blockbusters neste período.

Neste período, o EBITDA aumentou 3% para 146,7 milhões de euros, com a margem EBITDA a melhorar 0,9pp para 38,3%.

O Resultado Líquido Consolidado da NOS apresentou um crescimento de 3% para 33,8 milhões de euros. O resultado líquido da antes das empresas associadas e dos interesses não controlados atingiu, nos primeiros três meses de 2018, 39,8 milhões de euros, mais 45,4% que em igual período de 2017. A desvalorização cambial ocorrida em janeiro em Angola, provocou um contributo negativo da sua operação naquele mercado.

Simultaneamente, a NOS continuou, neste período, comprometida, em levar as suas redes de nova geração a todo o País, tendo o investimento (CAPEX Total) atingido 87,7 milhões de euros.

No final do período em análise, a dívida financeira líquida situou-se nos 1.050 milhões de euros, menos 0,3% que no ano passado, representando 1,8x o EBITDA, um rácio bastante conservador face às congéneres do setor.

De recordar que no final do primeiro trimestre, a NOS viu reconhecida a robustez financeira do seu negócio e reforçada a confiança da comunidade financeira, ao ser-lhe atribuído um rating de Investment Grade de BBB- pela Standard & Poor´s Global Ratings (Standard & Poor´s) e de BBB pela Fitch Ratings (Fitch), ambas com um outlook estável.

NOS AUMENTA SERVIÇOS PRESTADOS E REGISTA FORTE DINÂMICA NO SEGMENTO MÓVEL

A NOS continuou a crescer a sua base de clientes e a incrementar o número serviços prestados, que aumentaram 3,3% face ao período homólogo de 2017, contando com 9,454 milhões no final dos primeiros três meses de 2018. Este aumento reflete o crescimento de 4,8% no móvel, para 4.703 milhões, 4,2% na banda larga fixa, 1,3% na voz fixa e 1,5% nos serviços fixos de televisão.

O número de clientes convergentes aumentou 6% para 739,6 mil no final de março de 2018, representando 49% do total da base de clientes de acesso fixo, mais 2,2pp do que o verificado no final de março de 2017.

Os serviços móveis registaram uma forte dinâmica, com mais 30,6 mil adições líquidas no decorrer deste trimestre, elevando a 216 mil, os novos clientes desde o período homólogo de 2017.

No serviço fixo de televisão, o número de clientes registou uma evolução líquida de 2,8 mil, nestes três meses. A NOS contava, no final deste período com 1,615 milhões de clientes de televisão.

O número de serviços empresariais atingiu 1,486 milhões, ou seja, mais 55,2 mil face ao período homólogo de 2017.

Os serviços de última geração chegam a cada vez mais famílias e empresas, resultado do forte investimento que a NOS continua a realizar nas suas infraestruturas de rede. A cobertura de rede fixa atingiu, no final de março de 2018, 4,1 milhões de casas.

Na área de exibição, no primeiro trimestre do ano, a NOS vendeu 2,184 milhões de bilhetes, uma quebra de 4,9% face ao ano anterior, ainda assim menor do que a quebra registada, no setor que atingiu os 5,6%. A receita média por bilhete cifrou-se em 4,9 euros.

Os filmes de maior sucesso neste primeiro trimestre foram “Fifty Shades Free”, “Black Panther”, “The Post”, “Jumanji: Welcome to the Jungle” e “Tomb Raider”. De salientar que nos primeiros três meses deste ano, a NOS foi a distribuidora dos três filmes mais vistos.

Sobre a NOS

A NOS é o maior grupo de comunicações e entretenimento em Portugal. Oferece soluções fixas e móveis de última geração, televisão, internet, voz e dados para todos os segmentos de mercado. É líder na TV por subscrição, em serviços de banda larga de nova geração e na distribuição e exibição cinematográfica em Portugal. No mercado empresarial posiciona-se como uma alternativa sustentada nos segmentos Corporate e Mass Business, oferecendo um portefólio alargado de produtos e serviços, com soluções à medida de cada setor e de negócios de diferentes dimensões, complementando a sua oferta com serviços ICT e Cloud. A NOS está no principal índice bolsista nacional (PSI-20), conta com mais de 4,7 milhões de clientes móveis, 1,6 milhões de clientes de televisão, 1,8 milhões de clientes de telefone fixo e 1,3 milhões clientes de internet de banda larga fixa.

Mais informação em  http://www.nos.pt/institucional

Tags:

Sobre nós

Grupo empresarial que oferece soluções fixas e móveis de última geração, de televisão, internet, voz e dados para todos os segmentos de mercado.

Subscrever