NOS DIVULGA PRIMEIRO ESTUDO «PORTUGAL TECH INSIGHTS 2020»

Já são conhecidos os resultados do primeiro estudo desenvolvido no âmbito do Portugal Tech Insights 2020, sobre as principais tendências tecnológicas em Portugal.
 
O estudo “Cloud Computing: Como criar valor para o seu negócio?” revela que os responsáveis de negócio e de TI estão conscientes de que as soluções de Cloud Computing são fatores críticos para a agilidade de negócio e para a eficácia das operações de TI, mas Portugal está atrás da Europa Ocidental no que toca à adoção e criação de valor através de serviços de Cloud Computing, com apenas 14% das médias e grandes organizações nos níveis mais altos de maturidade, face aos 33% na Europa Ocidental.
 
Os resultados do estudo foram publicados hoje no microsite do projeto – Portugal Tech Insights 2020 – que resulta da parceria entre a NOS e a IDC, empresa líder mundial na área de Market Intelligence, serviços de consultoria e organização de eventos para os mercados das Tecnologias de Informação, Telecomunicações e Eletrónica de Consumo.
 
Desenvolvido no âmbito do IDC Tech Insights 2020, o estudo identifica a maturidade das organizações portuguesas na adoção de serviços de Cloud Computing e as perspetivas de evolução nos próximos anos, assim como os passos necessários para que as organizações nacionais possam criar valor neste novo paradigma tecnológico.
 
De uma forma geral, conclui-se que grande parte das organizações ainda não investiu o suficiente na implementação de processos de gestão, de tecnologias e de um conjunto de competências que são necessárias para alcançar a generalidade dos objetivos relacionados com Cloud Computing. Paralelamente, a maioria das organizações que já adotaram algum tipo de estratégia relacionada com Cloud Computing sentem que as suas capacidades não estão completamente preparadas para suportar os seus objetivos.
 

Principais conclusões

  • Apesar de 38% das organizações já integrarem os serviços de Cloud Computing na estratégia de TI, apenas 17% das médias e grandes organizações portuguesas já incorporaram o Cloud Computing na estratégia de negócio da organização.
  • Apenas 11% das organizações inquiridas não procederam à discussão destas tecnologias, enquanto um terço dos inquiridos revela que estes serviços têm sido discutidos informalmente no interior das suas organizações.
  • Verifica-se a existência de duas fases distintas na adoção dos serviços de Cloud Computing no território nacional. As organizações que iniciaram o caminho de consolidação e de normalização há cerca de 5-6 anos e hoje já estão perto das fases finais da maturidade dos serviços de Cloud Computing, começam a obter ganhos significativos para o negócio, enquanto as organizações que iniciaram este caminho há cerca de 1 ou 2 anos estão ainda nas fases iniciais deste modelo.
  • Apesar da generalidade das aplicações ainda serem implementadas com recurso aos modelos tradicionais de computação e de ainda ser reduzida a utilização dos serviços de Cloud Pública, os dados recolhidos permitem constatar que serviços como as comunicações unificadas (14% das organizações), o correio eletrónico (12%), aplicações de colaboração (11%), CRM (8%), gestão/criação de sites (8%) e desenvolvimento e teste de aplicações (7%) são os serviços de Cloud Pública com maior utilização no território nacional.
  • Contudo a adoção dos serviços de Cloud Pública vai generalizar-se no interior das organizações nacionais nos próximos dois anos, assim como vai alargar-se o número de serviços utilizados. Assim, soluções como correio electrónico (35% das organizações), produtividade pessoal (26%), colaboração (24%), comunicações unificadas (19%), gestão/criação de websites (18%), desenvolvimento e teste de aplicações (15%), CRM (14%), contact center (14%) e disaster recovery (13%) serão aquelas que mais relevância irão ganhar nos próximos dois anos em Portugal em termos de Cloud Pública.
  • Paralelamente à adoção dos serviços públicos de Cloud Computing, verifica-se também neste estudo que, principalmente nas grandes organizações, há uma grande dinâmica no desenvolvimento de infraestruturas privadas de Cloud Computing e interesse na utilização de serviços privados de Cloud Computing em Hosting. Mais concretamente, em 2017 estas duas categorias serão responsáveis por 33% de todo o orçamento de TI das médias e grandes organizações portuguesas, quando em 2013 representavam menos de 15%.
  • Apesar de hoje representar menos de um quarto do orçamento, em 2020 as três categorias de serviços de Cloud Computing (Cloud Pública, Cloud Privada e Cloud Privada em Hosting) irão representar mais de 40% do orçamento corporativo nas médias e grandes organizações portuguesas.
  • Em 2016 mais de um terço das médias e grandes organizações portuguesas irão recorrer a serviços públicos de Cloud Computing para a gestão do email.
 
Investimento crescente
Em 2014 as organizações nacionais atribuíram cerca de 7% do orçamento de TI à aquisição de serviços privados de Cloud Computing e ligeiramente menos (5%) à aquisição de serviços públicos de Cloud Computing, ou seja, grande parte do orçamento em 2014 era consagrado para as TI internas tradicionais. No entanto, os resultados deste estudo mostram que a despesa prevista para a Cloud vai crescer substancialmente nos próximos anos.
 
 
Para a NOS, este estudo é uma ferramenta relevante e necessária, pois ao identificar as principais tendências tecnológicas até 2020 em Portugal, permite também analisar de que forma as organizações portuguesas podem ganhar vantagem competitiva neste novo contexto económico e tecnológico, impulsionando o processo de transformação digital e explorando novas formas de apoio às organizações nacionais nesse sentido.
Neste contexto, os responsáveis das organizações nacionais identificam as principais vantagens da utilização destes novos serviços:
  • Redução dos custos de capital , a principal vantagem identificada pelas organizações portuguesas.
  • Redução dos custos de manutenção da infraestrutura de TI . Estudos recentes da IDC Portugal evidenciam que os custos operacionais representam entre 60 a 80% da despesa TI nas organizações nacionais;
  • Melhoria da produtividade das TI e os níveis de serviço disponibilizados aos utilizadores .
  • Simplificação da gestão de recursos de TI. A adoção de serviços de Cloud Computing pode contribuir para a simplificação dos ambientes de TI nas organizações, e para aumentar a produtividade do departamento de TI.
 
 
Metodologia
Este estudo foi desenvolvido com base no framework metodológico da IDC que combina informações de diversas fontes de informação em todo o mundo. De forma a atualizar o grau de maturidade e tendências do Cloud Computing em Portugal, a IDC lançou durante os meses de outubro e novembro de 2014 um inquérito às médias e grandes organizações nacionais. Mais concretamente a IDC analisou uma amostra de 358 organizações, a partir de 3.567 organizações (2.500 selecionadas entre as maiores empresas por volume de negócios, incluindo instituições financeiras, e 1.067 organismos da Administração Pública).
 

Tags:

Sobre nós

Grupo empresarial que oferece soluções fixas e móveis de última geração, de televisão, internet, voz e dados para todos os segmentos de mercado.

Subscrever