UNKOWN MORTAL ORCHESTRA E ARCHIE BRONSON OUTFIT NA EDIÇÃO DE NOVEMBRO DO OPTIMUS CLUBBING

• SÁBADO, 23 DE NOVEMBRO, 22H30
• PEDRO PUPPE E ERMO SÃO AS BANDAS OPTIMUS DISCOS

Unkown Mortal Orchestra começou como um projeto caseiro do compositor e multi-instrumentista Ruban Nielson (ex-membro dos Mint Chicks) fundindo psicadelismo, soul, percussões cruas e funk. Servindo-se de influências como os Rolling Stones, The Beatles, Pink Floyd e Soft Machine, e passando-as pelo seu tortuoso filtro rock'n'roll, editaram um primeiro disco homónimo que percorreu os Estados Unidos como banda suporte dos Grizzly Bear e Liars. Após II, o seu segundo álbum, solidificaram a sua posição como uma banda corajosamente psicadélica e definitivamente intrigante.

Archie Bronson Outfit é um duo inglês formado por Arp Cleveland e S Windett, especializado na mais crua música garage psicadélica, remetendo para tudo o que circula entre Son House e Faust, Wire e Hawkwind. Ao vivo juntam-se habitualmente ao mago da eletrónica Capitol K. O seu rock é minimalista, de batida pulsante e linhas fortes de guitarra distorcida. Os três álbuns que editaram pela Domino Records foram muito bem recebidos no mercado.

A música feita em Portugal está também representada ao mais alto nível, desde logo através de dois dos mias recentes nomes do projeto Optimus Discos: Pedro Pupe e Ermo.Se se disser que Pedro Puppe tem um curso de arquitetura, paraquedismo e foi campeão nacional de sabre, não deixa de causar boa impressão, mas se a isso juntarmos o facto de ser a voz/guitarra dos OIOAI ou o autor/compositor dos MIUDA, é de se lhe tirar o chapéu!

Pedro Puppe estreia-se a solo com o álbum “Setembro”, uma homenagem ao seu avô que, quando desenhava, assinava 13 de maio, a sua data de nascimento. O disco é triste e melancólico, fim deverão e cor púrpura.

Ermo é um projeto bracarense que pisou um palco pela primeira vez em 2012. Motivados pela vontade de desenvolver uma sonoridade ímpar, trazem à mistura ecos do imaginário português, a música tradicional que dele advém, e eletrónica marcadamente influenciada pela arte feita em Braga durante os anos 80. "Faz-me sofrer, Portugal. Amar-te-ei mais ainda." é a premissa para o primeiro single, "Correspondência", do álbum de estreia "Vem por Aqui".

A/M goes Digitópia assinala o início da residência do projeto Acousmatics/Mathematics na Digitópia, para sessões/concertos de gravação ao vivo de podcasts. Cada sessão resulta num volume/podcast de livre acesso ilustrado com uma fotografia original de Carlos Mesquita.

Os Bares são animados por vários DJs convidados: no Bar Casa da Música toca uma jovem dupla do Porto que tem vindo a dar nas vistas com o nome Fina & Segura e, mais tarde, Miguel Quintão, conhecido pelo programa Bons Rapazes na Antena 3 onde apresenta sonoridades rock, pop e eletrónicas mais alternativas. Nos Bares 1 e 2 apresentam-se DJ Pitchy, sempre atento às novidades pop, rock, electro e punk; e Neonlogic, alter-ego do DJ portuense Pedro Frederico que criou a marca Neonlogic World onde apresenta as suas misturas de faixas deep techno e house.

23:30 SALA SUGGIA
UNKNOWN MORTAL ORCHESTRA
ARCHIE BRONSON OUTFIT
Bilhete único – 12 € - com acesso a todos os espaços e sem consume mínimo no Bar Casa da Música

22:30 BARES 1 e 2 | ENTRADA LIVRE
PITCHY DJ
NEONLOGIC DJ

23:00 CIBERMÚSICA | ENTRADA LIVRE
BANDAS OPTIMUS DISCOS
ERMO
PEDRO PUPPE

CORREDOR NASCENTE
A/M GOES DIGITÓPIA

LOBBY | ENTRADA LIVRE
DUB VIDEO CONNECTION

23:00 BAR CASA DA MÚSICA | CONSUMO MÍNIMO OBRIGATÓRIO
FINA & SEGURA
MIGUEL QUINTÃO (OS BONS RAPAZES, Antena 3)

Tags:

Sobre nós

Grupo empresarial que oferece soluções fixas e móveis de última geração, de televisão, internet, voz e dados para todos os segmentos de mercado.

Subscrever