PAN felicita a DGS pela publicação de "Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável"

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza felicita a Direcção-Geral de Saúde (DGS) pela publicação de um manual sobre a alimentação vegetariana, pois considera que este tipo de guias é um passo importante para que Portugal seja um país mais saudável, sustentável e ético.
 
“Linhas de orientação para uma alimentação vegetariana saudável” está disponível no site do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável e da própria DGS, e surgiu para responder ao número cada vez maior de pessoas que querem seguir uma alimentação isenta de produtos animais, mas também para valorizar e dar a conhecer um padrão alimentar saudável junto da população e criar condições para que os profissionais de saúde possam aceder a informação que lhes permita ganhar competências para aconselhamento nesta matéria.
 
O manual salienta a importância de aliar este tipo de alimentação a um estilo de vida mais saudável e promove a utilização de produtos vegetais de origem nacional, sazonais e enquadrados na nossa tradição culinária, sugerindo assim que é possível e desejável juntar sabor, tradição e saúde.
 
“A alimentação vegetariana é, na maior parte das vezes, uma alternativa para quem procura um estilo de vida mais saudável, justo para com os animais (humanos e não-humanos) e ecológico. Além disso, nos últimos anos, este tipo de nutrição tem sido largamente estudada ao nível da prevenção de doenças muito prevalentes na nossa sociedade, nomeadamente as doenças crónicas como a doença cardiovascular, a oncológica, a diabetes ou a obesidade”, recorda André-Silva, porta-voz do PAN e candidato por Lisboa às eleições legislativas de 04 de Outubro, sublinhando que “esta tomada de consciência tem tido como consequência o aumento gradual e sustentado do número de vegetarianos em Portugal e no mundo e que este manual, como instrumento de apoio e esclarecimento, é um incentivo para todos aqueles que pretendem adoptar este tipo de padrão alimentar, quer por razões de saúde ou de filosofia de vida.”
 
Prevenir para não delapidar o erário público e o Serviço Nacional de Saúde
No entender do PAN, este tipo de ferramentas são também uma peça crucial para a mudança diária de hábitos que irá beneficiar não só a saúde pública como os recursos administrados pelo Serviço Nacional de Saúde, uma vez que impactam diretamente as causas dos problemas e não assentam em soluções paliativas, cujo custo para o erário público é muito superior às alternativas preventivas.
 
Aliás, no programa eleitoral com o qual o PAN-Pessoas-Animais-Natureza se vai apresentar às legislativas deste ano, a “Promoção de uma Alimentação Saudável” é uma das principais medidas defendidas pelo Partido nos eixos de “Sustentabilidade” e “Saúde” para que se “desenvolvam padrões alimentares mais justos, saudáveis, ambientalmente sustentáveis e geradores de maior potencial de desenvolvimento.”
 
De acordo com os dados disponíveis, conclui-se que um estilo de vida sem produtos de origem animal, em termos de emissões de gases, equivale a uma poupança anual semelhante a uma viagem de automóvel de cerca de 7.000 kms, enquanto ao nível do consumo de água, equivale a uma poupança anual de cerca de 8.000 duches.
 
Nota: Em anexo comunicado na íntegra.

Tags:

Sobre nós

PAN – Pessoas Animais Natureza

Subscrever