Discussão está lançada para a reabilitação urbana do centro antigo de Portimão

Com as propostas ontem apresentadas pelos autores de diversos projetos, está aberto à sociedade local o convite para troca de ideias e discussão pública, tendentes à reabilitação de uma importante área do centro antigo de Portimão.


A iniciativa, que teve lugar no âmbito das Jornadas Europeias do Património, levou largas centenas de pessoas ao TEMPO – Teatro Municipal de Portimão para conhecerem os contornos do futuro Plano Estratégico de Reabilitação Urbana da parte antiga da cidade, delineados previamente pelos arquitectos Miguel Arruda, Catarina Antunes e Sidónio Pardal, enquadrados pelo professor doutor Carlos Lobo.


Fruto do trabalho desenvolvido nos últimos dois anos por uma equipa de técnicos liderada por estes especialistas, o plano estratégico de reabilitação do centro histórico de Portimão abrange 17 hectares e 726 edifícios, numa intervenção em quatro fases, estando ainda previstas intervenções específicas na Zona Ribeirinha e na área envolvente à Estação da CP, num investimento global de quase 24,9 milhões de euros, verba que será suportada pelos proprietários dos imóveis, por parcerias entre entidades públicas e privadas e com recurso a fundos de financiamento, de que é exemplo o programa comunitário JESSICA.


Num primeiro momento, vai ser feito um levantamento exaustivo das condições exteriores e interiores de cada imóvel, num processo que se prolongará até Março de 2012 e que também visa sensibilizar os moradores para a relevância deste plano.


Segundo o presidente da Câmara Municipal de Portimão, Manuel da Luz, “no actual contexto de crise, esta será uma oportunidade soberana de dar a volta ao texto e preparar o futuro numa zona degradada, através de um projecto que, antes do mais, a pensar nas pessoas


Ao mesmo tempo que será reabilitado o património construído e reforçada a oferta de alojamento de qualidade, fazendo com que o centro histórico apresente melhores parâmetros de comodidade, esta intervenção irá igualmente colmatar problemas relacionados com a insegurança e o desemprego, na perspectiva de um desenvolvimento económico equilibrado e em nome da competitividade, ao manter a identidade de Portimão e ao preservar a sua essência e singularidades, que distinguem a cidade de outros destinos turísticos.


“Uma visão de futuro implica tratar o processo de regeneração do passado, sendo que este Plano que Portimão quer concretizar representa a mais ambiciosa intervenção, a este nível, em todo o país”, realçou Carlos Lobo no final da apresentação.


Os painéis informativos com as sugestões ontem divulgadas estão em consulta no átrio do TEMPO durante as próximas semanas, podendo estas propostas também ser analisadas no Facebook do Município de Portimão.


Propostas e sugestões podem ser dirigidas para os seguintes e-mail: geral@cm-portimao.pt ou manuel.luz@cm-portimao.pt.

Tags:

Sobre nós

Instituição Parlamentar da União Europeia.

Subscrever

Media

Media