"Cintra’s Glorious Eden" no Salão Nobre do Palácio da Pena

21 de dezembro

- Trio Aeternus: três amigos unidos pela música
- Concerto de abertura do ciclo “Serões Musicais no Palácio da Pena”
- Programa inclui obras de C. M. von Weber, F. Schubert e B. Smetana


Vídeo sobre o ciclo: https://www.youtube.com/watch?v=qv41c3iz4kk&feature=youtu.be
 

Tem lugar a 21 de dezembro o primeiro serão do ciclo “Serões Musicais no Palácio Nacional da Pena”, intitulado “Cintra’s Glorious Eden”, com um concerto do Trio Aeternus, às 21h30, precedido de uma conferência.

Tanto o concerto como a conferência, que será apresentada pela musicóloga Luísa Cymbron, às 21h00, têm lugar no Salão Nobre do Palácio Nacional da Pena, restaurado no início deste ano.
 
Apresentado pela Parques de Sintra e pelo Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal (CEMSP), o ciclo decorre até 14 de fevereiro e é composto por quatro serões, cada um deles com um concerto e uma conferência. Pretende evocar – através da música – questões, imagens e figuras ligadas aos ambientes de Sintra, e em particular da Pena, no século XIX. Além do amor à Natureza (um dos grandes tópicos do imaginário romântico, com uma afirmação transversal às várias artes) e do interesse pelo exotismo, sobretudo a nível arquitetónico, outra grande paixão de D. Fernando II foi a música, como fica claro tanto através de muitos testemunhos contemporâneos, como do inventário do seu vasto espólio musical.
 
O Trio Aeternus é composto por três músicos: o violinista inglês Alexander Stewart, o pianista polaco Lucjan Luc e o violoncelista arménio Varoujan Bartikian. O desejo comum de explorar o vasto e magnífico repertório para esta formação tornou-se realidade no início do ano 2013, e formaram o Trio Aeternus.
 
Alexander Stewart tem uma licenciatura da Guildhall School of Music and Drama e é um dos Concertinos da Orquestra Sinfónica Portuguesa. O violoncelista Varoujan Bartikian, originário da Arménia, toca violoncelo desde os dez anos e integra a Orquestra Gulbenkian em 1989 onde é 1º Violoncelo Solista. O pianista Lucjan Luc estudou na Academia de Música de Katowice na Polónia com Andrzej Jasínski, um professor de piano de fama internacional, e também viveu durante muitos anos em Portugal. Atualmente Lucjan Luc vive em Badajoz, onde leciona no conservatório dessa cidade.
 
O programa da noite de abertura inclui o Trio em Si bemol Op. 99 D898, de F. Schubert; excertos da ópera "Der Freischutz" (versão para trio com piano) de C. M. von Weber (estreia moderna em Portugal) e o Trio Op.15 em Sol menor, de B. Smetana.
 
Partindo da célebre frase de Lord Byron, “Cintra’s Glorious Eden”, este concerto procura explorar o fascínio que a Natureza – nas suas facetas amenas mas também nas mais agrestes – exerceu sobre muitos músicos do século XIX, sobretudo na tradição germânica, e o modo como ela foi evocada musicalmente por compositores como Franz Schubert ou Carl Maria von Weber.
 
O ciclo “Serões Musicais no Palácio da Pena” é cofinanciado pelo POR Lisboa – Programa Operacional Regional, conta também com o apoio da Direção-Geral das Artes e com a Antena 2 como media partner .
Serões Musicais no Palácio da Pena
 
“Cintra’s Glorious Eden”
Domingo, 21 de dezembro de 2014, Salão Nobre
21h00: Conferência com Luísa Cymbron
21h30: Trio Aeternus
Bilhetes à venda nos locais habituais ou online
 
“Exotismos”
Sábado, 10 de janeiro de 2015, Salão Nobre
21h00: Conferência com Luísa Cymbron
21h30: Dora Rodrigues (soprano); João Paulo Santos (piano); Luís Rodrigues (barítono); Mário Alves (tenor)
Bilhetes à venda nos locais habituais ou online
 
“Elise Hensler, Rainha da Pena”
Sábado, 31 de janeiro de 2015, Salão Nobre
21h00: Conferência com Luísa Cymbron
21h30: Cristiana Oliveira (soprano); João Paulo Santos (piano); Nuno Pereira (barítono); João Merino (baixo); Paulo Guerreiro (trompa)
Bilhetes à venda nos locais habituais ou online
 
“D. Fernando e a sua Baviera”
Sábado, 14 de fevereiro de 2015, Salão Nobre
21h00: Conferência com Luísa Cymbron
21h30: Ana Franco (soprano); Bruno Almeida (tenor); Carolina Figueiredo ( mezzosoprano ); João Paulo Santos (piano)
Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

BILHETES:
10 Euros por concerto
À venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online em www.blueticket.pt e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.
M/6 anos
 
INFORMAÇÕES (PÚBLICO):
Email: comercial@parquesdesintra.pt
Website: www.parquesdesintra.pt
Facebook: www.facebook.com/parquesdesintra
Telefone: +351 21 923 73 00

Sobre o Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal
O Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, com sede nas instalações do Palácio Nacional de Queluz, tem como objetivo principal a promoção e divulgação do património musical associado ao Palácio de Queluz, no qual a música ocupou desde sempre um papel central, e onde foram apresentadas dezenas de serenatas e óperas. Serão realizados, nas salas do Palácio, concertos, eventos, conferências, simpósios e colóquios, assim como masterclasses e outras iniciativas que se propõem estudar e recuperar o tempo e a tradição de grandes acontecimentos musicais da época da permanência da Família Real no Palácio de Queluz, contribuindo em simultâneo para a fruição pública de uma programação musical de qualidade e para a afirmação do Palácio como referência incontornável da nossa herança cultural. 
www.divinosospiro.org
 
Sobre a Parques de Sintra - Monte da Lua
A Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A. (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade. A sua criação teve como objetivo reunir as instituições com responsabilidade na salvaguarda e valorização da Paisagem Cultural de Sintra, e o Estado Português entregou-lhe a gestão das suas principais propriedades na zona. Não recorre ao Orçamento do Estado, pelo que a recuperação e manutenção do património que gere são asseguradas pelas receitas de bilheteiras, lojas, cafetarias e aluguer de espaços para eventos.
Em 2013, os valores naturais e culturais que a PSML gere (Parque e Palácio da Pena, Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz, Chalet da Condessa d’Edla, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate, Convento dos Capuchos, e Escola Portuguesa de Arte Equestre) receberam aproximadamente 1.700.000 visitas, mais de 90% das quais por parte de estrangeiros.
São acionistas da PSML o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, a Direção Geral do Tesouro e Finanças (que representa o Estado), o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra.
www.parquesdesintra.pt ou www.facebook.com/parquesdesintra
 

Tags:

Sobre nós

Empresa de capitais exclusivamente públicos criada em 2000 (decreto-lei nº 215/2000, de 2 de Setembro), na sequência da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade e dos compromissos assumidos com a sua recuperação, conservação e divulgação.

Subscrever