Projeto “Quintinha Fora da Rede” apresentado em Conferência BIO Sintra

- Conferência final do projeto BIO Sintra
- Apresentação do projeto de energias renováveis “Quintinha Fora da Rede”
- Espaço tornado 100% autónomo do ponto de vista energético

A Parques de Sintra realizará, no dia 8 de julho (próxima 3ª feira), às 10h00, a conferência final do projeto BIO Sintra (que terminará este verão), incluindo a apresentação do projeto de energias renováveis “Quintinha Fora da Rede”, na Quintinha de Monserrate, resultado de um investimento de cerca de 60.000 Euros por parte da empresa.
A conferência contará com a participação da Dra. Isabel Lico, da Agência Portuguesa do Ambiente, representante do LIFE em Portugal, abordando os resultados do projeto LIFE e o novo programa LIFE 2014-2020; da Doutora Maria Inês Moreira, coordenadora do projeto BIO Sintra, focando-se nas ações concretizadas por este projeto; do Professor Manuel Pinheiro e Dr. Frederico Galão, ambos do Instituto Superior Técnico, apresentando o projeto “Destino Sustentável Sintra”. Seguir-se-á um debate com representantes de escolas, hotéis, restaurantes, transportes e outros serviços.
Às 12h30 será apresentado o projeto de energias renováveis “Quintinha Fora da Rede”, com explicação dos equipamentos e da estratégia que conduziu à sua implementação, seguindo-se um almoço para todos os participantes.

“Quintinha Fora da Rede”
O projeto “Quintinha Fora da Rede” que foi implementado na Quintinha de Monserrate permite produzir energia suficiente para o funcionamento do espaço de forma autónoma. Foram instalados no local um aerogerador (energia eólica), uma hidroturbina (energia hídrica) e um conjunto fotovoltaico (energia solar), ligados a uma central.
A energia produzida é armazenada em baterias na Central e invertida de Corrente Contínua para Corrente Alternada (que se utiliza nas casas). A utilização das três fontes de energias renováveis, cuja produção é sazonal, permite que não seja necessário recorrer a energia da rede pública
Estes equipamentos permitem apresentar e explicar aos visitantes da Quintinha os métodos de produção de energia através de fontes como a água, o vento e o sol, observando in loco o funcionamento dos equipamentos. A eletricidade produzida é utilizada apenas nos consumos da Quintinha, não havendo lugar a venda de energia para a rede pública. Com esta opção, a Parques de Sintra pretende transmitir a mensagem de que a utilização de energias renováveis deve focar-se na proteção ambiental e não no potencial negócio associado à produção/venda de energia.
O projeto “BIO Sintra - Redução da pegada de carbono, uma contribuição para valorizar a biodiversidade em Sintra”, cofinanciado pelo Programa LIFE da Comissão Europeia, teve início em setembro de 2010 com o objetivo de implementar uma experiência piloto na Paisagem Cultural de Sintra, que possa ser reprodutível noutros locais, e que resulte em mudanças de atitudes com vista à redução das emissões de carbono nas atividades do dia-a-dia. As ações centraram-se na área tutelada pela Parques de Sintra, que consiste em 40% da área listada pela UNESCO como Património da Humanidade (aprox. 946 hectares).
Para além da “Quintinha Fora da Rede”, outras importantes ações do projeto BIO Sintra ao longo dos últimos 3 anos foram: os documentários “Sinfonia” e “Sintra – O Monte da Lua”, inúmeros workshops dirigidos a escolas (até junho de 2014 participaram 358 escolas, num total de 7.160 alunos, números muito acima das expectativas iniciais), a aplicação Talking Heritage, a Calculadora da Visita a Sintra, o jogo BIO Sintra, vários concursos de fotografia, abertura e sinalização de caminhos pedestres, construção do totem da Quintinha de Monserrate, e ações de comunicação como o website do projeto, a presença nas redes sociais e a divulgação em publicações impressas.

Tags:

Sobre nós

Empresa de capitais exclusivamente públicos criada em 2000 (decreto-lei nº 215/2000, de 2 de Setembro), na sequência da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade e dos compromissos assumidos com a sua recuperação, conservação e divulgação.

Subscrever

Media

Media