Rubens Figueiredo vence Prémio Portugal Telecom de Literatura 2011

O Prémio Portugal Telecom de Literatura 2011 divulgou na noite de ontem, terça-feira, 8 de novembro, os três vencedores deste ano. Em primeiro lugar ficou o livro Passageiro do fim do dia, de Rubens Figueiredo, em segundo Uma viagem à Índia, de Gonçalo Tavares e em terceiro Minha Guerra Alheia, de Marina Colasanti.


Entre os 10 finalistas, divulgados em setembro passado, constavam dois escritores portugueses e oito brasileiros. Após extenso processo de análise feita pelo juri final, uma reunião no próprio dia 8 de novembro definiu os três vencedores. O primeiro lugar recebe um prêmio no valor de R$ 100 mil, o segundo de R$ 35 mil e o terceiro de R$ 15 mil.


Realizado desde 2003, o prémio reconhece obras em língua portuguesa que tenham sido publicados no Brasil.


Sinopses e Biografias dos 3 vencedores:


1) Passageiro do fim do dia, de Rubens Figueiredo


Este romance de escritura primorosa narra um percurso. É o que se opera na consciência de Pedro durante uma viagem de autocarro para o bairro do Tirol, na periferia pobre da cidade onde mora - uma espécie de panela de pressão de violência e injustiça sistemática. É lá que mora Rosane, namorada de Pedro: faz algum tempo que ele passa os fins de semana com ela.


De rádio no ouvido, lendo a intervalos, observando o que se passa dentro do ônibus e fora nas ruas, Pedro, sem se dar conta, costura as ideias. No fim da viagem ele não será o mesmo: o que vê e pensa durante o trajeto, os fatos de sua vida, os seus afetos, o mundo em que está imerso, tudo reunido terá formado um novo conhecimento, mais profundo e mais crítico, mas que nem por isso o deixará desprotegido numa sociedade em que parece não haver como fugir de um destino opressivo. O passageiro do fim do dia não deixa dúvida sobre a importância de Rubens Figueiredo no cenário literário contemporâneo no Brasil.


Rubens Figueiredo nasceu no Rio de Janeiro em 1956. Formado em letras na Universidade Federal do Rio de Janeiro, é tradutor e professor de português e tradução literária. Em 1998 seu livro de contos As palavras secretas recebeu os prêmios Jabuti e Arthur Azevedo.


2) "Uma Viagem à Índia", de Gonçalo Tavares

A primeira epopéia portuguesa do século XXI. Imagine-se uma aventura da mesma magnitude de Os Lusíadas, mas que fosse escrita hoje. Um homem que faz uma viagem à Índia, tentando aprender e esquecer no mesmo movimento, traçando um itinerário de uma certa melancolia contemporânea. É assim que os grandes críticos têm definido este livro, escrito por Gonçalo M. Tavares, um dos mais aclamados escritores portugueses da nova geração.


Gonçalo M. Tavares nasceu em 1970. Estão em curso cerca de 210 traduções com edição em 44 países das suas obras. Os seus livros deram origem, em diferentes países, a peças de teatro, peças radiofónicas, curtas metragens, vídeos de arte, ópera, performances e projetos de arquitetura.


Foi distinguido com vários prémios, entre os quais o Portugal Telecom em 2007 com Jerusalém, o Prémio José Saramago 2005 e o Prémio LER/Millennium BCP 2004, também com o romance. Uma Viagem à India foi reconhecida com Grande Prémio Romance e Novela, Associação Portuguesa de Escritores e pelo Prémio Fernando Namora/Casino Estoril 2011.


3) Minha Guerra Alheia, Marina Colasanti


Uma cena de guerra dá início a este livro e à vida de Marina Colasanti. Este não é apenas um livro de memórias, é um documento. Como jornalista que é, Marina alia suas lembranças a um intenso trabalho de pesquisa para traçar, através da saga familiar, o retrato de uma época e do conflito que abalou o mundo.

Depois de Asmara na Etiópia, Tripoli, na Líbia. A vida na colônia é efervescente: caçadas, corridas de automóveis, festas sob as tendas iluminadas por archotes. Mas o sonho seria de curta duração. Com o início da Segunda Guerra e a volta para a Itália, será necessário enfrentar novos tempos.


O pai fascista, o avô historiador da arte, o tio figurinista, uma cena de ópera, cartas do poeta d" Annunzio, uma filmagem em Cinecittá, se entrecruzam com o avanço dos aliados, a falta de gêneros, um ato de espionagem, o medo e a insegurança. Este livro entusiasmante que se lê como um romance, revela-nos mais uma faceta dessa escritora já consagrada em ficção, ensaio e poesia.


Marina Colasanti nasceu em Asmara, capital da Etiópia, morou até aos 10 anos em Itália, e chegou ao Brasil em 1948, quando sua família se radicou no Rio de Janeiro. Em 1968, iniciou a sua carreira literária, com o livro Eu sozinha. Tem mais de 40 títulos publicados, entre poesia, crônicas, contos, livros para crianças e jovens. Entre outros prémios, ganhou quatro Jabutis e o Livro do Ano por Ana Z aonde vai você?, além de prêmios da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, da Câmara Brasileira do Livro, da Associação Brasileira de Críticos de Arte, do Concurso Latino-americano de Cuentos para Niños, promovido pela FUNCEC/UNICEF, e o Prêmio Norma-Fundalectura latino-americano.


Estrutura do Prémio Portugal Telecom 2011


O Prémio Portugal Telecom é desenvolvido em três etapas:


Primeira Etapa: Júri Inicial

A Curadoria indica um Júri Inicial composto por professores de literatura – brasileira, portuguesa e africana - críticos literários, escritores e jornalistas especializados das cinco regiões do Brasil. Este Júri Inicial faz uma primeira triagem. Dentre os livros inscritos, elege entre 11 de abril a 15 de maio de 2011, os 50 primeiros primeiros classificados. Escolhe, também, dentre seus membros onze profissionais para, junto com a curadoria, formar o Júri Intermediário, responsável pela segunda etapa do prémio.


Segunda Etapa: Júri Intermediário

O Júri Intermediário é composto pelos quatro curadores e os onze profissionais eleitos pelo júri inicial e elege, em Setembro de 2011, os 10 livros finalistas dentre os 50 classificados pelo Júri Inicial. São escolhidos dentre seus membros, seis profissionais para, junto com a curadoria, formar o Júri Final, responsável pela terceira e última etapa do prêmio.


Terceira Etapa: Júri Final

O Júri Final é composto pelos quatro curadores e os seis profissionais eleitos pelo Júri Intermediário, e elegeu os três livros vencedores.


Os vencedores de 2010

Na 8ª edição do Prêmio, “Leite Derramado” (Companhia das Letras), o quarto romance do compositor e escritor Chico Buarque foi o vencedor, seguido de “Outra Vida” (Alfaguara) o quarto romance do escritor Rodrigo Lacerda e de “Lar,” (Companhia das Letras) do escritor Armando Freitas Filho.


Informações para imprensa

Raquel Andrade Neves

Telf. 215 002 629

m.raquel.neves@telecom.pt

Tags:

Sobre nós

Operador global de telecomunicações.

Subscrever

Media

Media