A RENAULT NA LINHA DA FRENTE NO INÍCIO DE UMA NOVA ERA PARA O DESPORTO AUTOMÓVEL

1
No próximo dia 13 de Setembro, o desporto automóvel entrará numa nova era com a primeira corrida
FIA de Fórmula E, organizada na China, nas ruas de Pequim. Disputado com monolugares eléctricos
de 200 kW (270 cv), este campeonato surge como um suporte de pesquisa e de desenvolvimento
para os veículos "zero emissões". A Renault, cujo compromisso no desenvolvimento da mobilidade
eléctrica é amplamente conhecido, aplicou todos os seus conhecimentos técnicos na concepção do
Spark-Renault SRT_01E, que será utilizado pelas dez escuderias participantes na competição. A
Renault é também name sponsor da equipa e.dams, criada por Alain Prost e Jean-Paul Driot.
 
2
TRÊS PERGUNTAS PARA… PATRICE RATTI
DIRETOR GERAL DA RENAULT SPORT TECHNOLOGIES
Da Fórmula 1 às World Series by Renault, a Renault está fortemente empenhada no desporto automóvel. Quais
foram as razões que vos levaram a apostar no campeonato FIA de Fórmula E?
"A nossa presença em múltiplas competições justifica por si só o nosso interesse pela Fórmula E. Para a Renault, fazer
parte desta aventura era uma evidência. Trata-se de uma experiência única, extremamente inovadora, que cria um
novo rosto para os desportos mecânicos. Esta orientação é perfeitamente coerente com o desenvolvimento da gama
100% eléctrica Renault Z.E., que conta já com quatro modelos."
Como decorreu a colaboração entre os engenheiros da Renault Sport e as outras entidades envolvidas na
concepção do monolugar?
"Pode dizer-se que o Spark-Renault SRT_01E é obra de todos. Renault, Dallara, McLaren, Williams, Michelin. E não é
por acaso que tantos nomes históricos do desporto automóvel se reuniram em torno de um projecto decididamente
voltado para o futuro. Cada um, na sua área de actuação, esforçou-se por optimizar o mais ínfimo pormenor
susceptível de oferecer às equipas monolugares fiáveis e eficientes. E o nosso trabalho não fica por aqui: estaremos
presentes em todas as corridas para oferecer aos concorrentes uma assistência técnica semelhante à que prestamos
nos campeonatos que organizamos."
A Renault é parceiro fundador e técnico do campeonato de Fórmula E, mas também name sponsor da equipa
e.dams-Renault…
"De facto, pretendíamos mostrar o nosso empenho neste novo campeonato e beneficiar de uma maior visibilidade
mediática. Também por isto, eram evidentes as vantagens de uma associação com a escuderia de Alain Prost e Jean-
Paul Driot. Alain Prost tem uma longa história em comum com a Renault e é também embaixador da Marca. O
palmarés destes dois grandes nomes fala por si e nós sabemos que não se pouparão a esforços para fazer brilhar a
e.dams-Renault."
 
3
01
CAMPEONATO FIA DE FÓRMULA E:
À CONQUISTA DE UM NOVO MUNDO
02
SPARK-RENAULT SRT_01E: UM MONOLUGAR
CONCEBIDO COM A COMPETÊNCIA DA RENAULT SPORT
03
CRONOLOGIA
 
4
01
CAMPEONATO FIA DE FÓRMULA E
À CONQUISTA DE UM NOVO MUNDO
Seja qual for o domínio, nada é convencional no campeonato FIA de Fórmula E. Monolugares,
equipas, circuitos, formato desportivo: tudo é inovador nesta competição assente em três valores
fundamentais: energia, ambiente e diversão.
UM PROJECTO INOVADOR E REVOLUCIONÁRIO
Em 2011, a Federação Internacional do Automóvel manifestou o desejo de ver nascer uma competição de veículos
100% eléctricos. Em sintonia com os desafios colocados à indústria automóvel, este campeonato deveria impor-se
como um suporte de pesquisa, ao mesmo tempo que teria de suscitar o interesse do público pela mobilidade
sustentável.
 
5
Combinando engenharia, tecnologia, desporto, ciência e música, o projecto de Alejandro Agag foi aprovado pela FIA a
27 de agosto de 2012. O promotor do campeonato confiou, então, à Spark Racing Technology a missão de conceber e
fabricar os quarenta primeiros monolugares de Fórmula E. Entre os parceiros técnicos que se associaram a esta
aventura, a Renault desempenhou um papel central ao tornar-se o arquitecto da cadeia de tracção eléctrica.
UM CALENDÁRIO MUNDIAL E URBANO
Actualmente, a grande maioria dos veículos eléctricos "vive" na cidade. O mesmo acontecerá com a Fórmula E, que
terá lugar em dez circuitos urbanos, traçados nas maiores metrópoles do planeta. Com início em Setembro e até Junho
do próximo ano, o calendário é complementar ao da F1 e das World Series by Renault.
13/09/2014 Pequim China
22/11/2014 Putrajaya Malásia
13/12/2014 Punta del Este Uruguai
10/01/2015 Buenos Aires Argentina
14/02/2014 Aguarda anúncio oficial
14/03/2015 Miami EUA
04/04/2015 Los Angeles EUA
09/05/2015 Mónaco Principado do Mónaco
30/05/2015 Berlim Alemanha
27/06/2015 Londres Grã-Bretanha
10 EQUIPAS, 20 PILOTOS E 40 MONOLUGARES
O campeonato FIA de Fórmula E está aberto a dez equipas, cada uma delas com dois pilotos. A disputa da temporada
inaugural adivinha-se animada, dado que dez dos pilotos já nomeados contam, na sua carreira, com participações na
Fórmula 1. Nas provas, cada concorrente terá à sua disposição dois monolugares que poderá utilizar consoante as
necessidades. Aliás, o regulamento torna obrigatória uma troca do monolugar durante a corrida.
UM FORMATO INOVADOR
As corridas decorrerão de acordo com um esquema idêntico. A concentração dos acontecimentos num único dia
permitirá limitar as perturbações na cidade, e para os seus habitantes, ao mesmo tempo que diminui os custos. As
animações assumirão um grande destaque e o baixo ruído dos monolugares será mesmo compatível com a
organização de concertos durante as corridas!
 
6
Durante a manhã, as duas sessões de treinos livres darão aos concorrentes o tempo necessário para conhecer o
traçado do circuito e optimizar as afinações. No início da tarde, as qualificações decorrerão em quatro sessões de dez
minutos, com cinco pretendentes à pole position em cada série.
A corrida – ou ePrix – terá a duração de uma hora aproximadamente, sendo obrigatório que cada piloto troque de
monolugar pelo menos uma vez. Ao contrário dos treinos livres e das qualificações que decorrerão na máxima potência
(200 kW – 270 cv), na corrida a potência será limitada a 150 kW (202 cv). Os três pilotos mais populares na opinião
dos internautas beneficiarão, além disso, do FanBoost (180 kW durante 5 segundos).
Os pontos serão atribuídos aos dez primeiros de acordo com a habitual tabela FIA (25, 18, 15, 12, 10, 8, 6, 4, 2 e 1
pontos). O ocupante da pole position será recompensado com mais três pontos e o piloto com a melhor volta em
corrida arrecadará dois pontos. No final da época, o título de campeão do mundo de Pilotos será calculado deduzindo a
classificação menos favorável de cada piloto. Para o campeonato do mundo de construtores serão considerados todos
os resultados dos dois monolugares.
 
7
02
SPARK-RENAULT SRT_01E: UM MONOLUGAR
CONCEBIDO COM A COMPETÊNCIA DA
RENAULT SPORT
Especificamente desenvolvido para o campeonato FIA de Fórmula E, o Spark-Renault SRT01_E
concentra o know how dos mais importantes nomes do desporto automóvel. A arquitectura da
cadeia de tracção eléctrica, a sua integração, a segurança e a optimização dos seus desempenhos
são obra dos engenheiros da Renault Sport.
UMA EVIDÊNCIA PARA A RENAULT
Oficializada a 15 de maio de 2013, a parceria entre Renault, Formula E Holdings e Spark Racing Technologies faz todo
o sentido para o construtor líder no domínio dos veículos zero-emissões. Com uma gama de quatro veículos Z.E. em
 
8
comercialização, a Renault aproveita esta oportunidade para demonstrar a excelência e a fiabilidade das suas soluções
técnicas. E o campeonato FIA de Fórmula E constitui igualmente um laboratório técnico por excelência e único.
O PAPEL DE ARQUITECTO
Com um campo de acção que abrange a concepção, o desenvolvimento e a comercialização de automóveis
desportivos e de competição, a Renault Sport era um parceiro indispensável para assegurar a gestão do projecto logo
desde a fase de estudos.
Com o aparecimento do KERS no campeonato do mundo de F1 em 2009 e, posteriormente, no contexto da introdução
das Power Units em 2014, a Renault adquiriu um know-how absolutamente único em matéria de recuperação e
restituição de energia. As equipas de Viry-Châtillon dispõem igualmente de meios adaptados de medição, análise e
simulação.
"O desenvolvimento do Spark-Renault SRT_01E foi um verdadeiro trabalho de exploração tecnológica. No domínio da
motorização eléctrica de elevado desempenho, os especialistas são ainda muito poucos. Além disso, foi necessário
responder a outras problemáticas importantes, como a segurança, o peso ou o custo. A bateria é um bom exemplo
desta complexidade: este órgão, aparentemente banal, é na realidade constituído por mais de 4000 peças. A
densidade do conjunto é extraordinária, dado que do volume de 300 litros só 2% são ar. Por conseguinte, é
indispensável que este componente, muito sensível, esteja perfeitamente protegido, em caso de acidente. Ao fazer
parte do grupo de parceiros fundadores da Fórmula E, a Renault, que contribuiu com a sua competência técnica, retira
agora do seu envolvimento benefícios tecnológicos que, um dia, serão integrados nos veículos da gama Z.E."
Christophe Chapelain, Responsável técnico de competição da Renault Sport Technologies
OS MAIS IMPORTANTES NOMES DO DESPORTO AUTOMÓVEL REUNIDOS
O desenvolvimento de um monolugar totalmente novo constitui um enorme desafio tecnológico. Por isso, a Formula-e
Holdings e a Spark Racing Technologies associaram os mais importantes nomes do desporto automóvel neste
projecto:
- Spark Racing Technology – A empresa criada por Frédéric Vasseur tomou sob a sua responsabilidade a
concepção mecânica (os trens rolantes, a aerodinâmica) e a montagem dos 40 monolugares.
- Dallara – A firma italiana forneceu o chassis em carbono e a estrutura em ninho de abelha que respeita as normas
de segurança FIA F1 2014.
- Renault Sport – Arquitecto da cadeia de tracção eléctrica, o construtor foi também responsável pela integração
dos sistemas, pela sua segurança e pela optimização do seu desempenho.
- McLaren Electronic Systems – Associado a uma caixa de velocidades sequencial Hewland, o motopropulsor
inversor é derivado do supercarro P1.
 
9
- Williams Advanced Engineering – A filial de engenharia do Grupo Williams concebeu e fabricou as baterias, bem
como o respectivo sistema electrónico de gestão.
- Michelin – O fabricante desenvolveu pneus esculpidos de 18" que podem ser usados tanto em pista seca como
húmida.
-
A SEGURANÇA COMO PRIORIDADE
Ao integrar-se no meio urbano, a Fórmula E tem de ser extremamente exigente em matéria de segurança. Por
exemplo, o design da carroçaria foi pensado para evitar que os veículos se elevem da pista caso as rodas dos
monolugares se toquem.
Os especialistas da Renault em segurança rodoviária contribuíram com os seus conhecimentos em caso de situações
extremas, como seja a imersão ou o incêndio de uma bateria. Estas informações muito específicas permitiram adaptar
a formação dos funcionários e comissários de pista para esta nova modalidade de desporto automóvel.
 
10
03
CRONOLOGIA
Julho de 2011 A FIA apela a candidaturas para a organização de um campeonato de carros eléctricos
7 de dezembro de 2011 Oficialização do campeonato de Fórmula E
27 de agosto de 2012 Assinatura do acordo entre a FIA e a Formula-e Holdings
Novembro de 2012 Assinatura do acordo entre a Formula-e Holdings e a Spark Racing Technology
15 de maio de 2013 Assinatura da parceria entre Formula-e Holdings, Spark e Renault
10 de setembro de 2013 Revelação do Spark-Renault SRT_01E no Salão de Frankfurt (Alemanha)
24 de outubro de 2013 Criação da equipa e.dams
20 de novembro de 2013 Primeiros testes do Spark-Renault SRT_01E em Ferté Gaucher (França)
6 de janeiro de 2014 Demonstração pública do Spark-Renault SRT01_E em Las Vegas (EUA)
16 de maio de 2014 Entrega dos 10 primeiros monolugares às equipas
30 de junho de 2014 Apresentação da escuderia e.dams-Renault
3-4 de julho de 2014 Testes colectivos em Donington (Grã-Bretanha)
9-10 de julho de 2014 Testes colectivos em Donington
22 de julho de 2014 Entrega dos 10 últimos monolugares às equipas
19 de agosto de 2014 Testes colectivos em Donington
13 de setembro de 2014 Arranque do campeonato FIA Fórmula E em Pequim (China)
 

Tags:

Sobre nós

Comércio automóvel.

Subscrever

Media

Media